O sertão de Guimarães Rosa e suas armadilhas

uma leitura de "-Uai, eu?"

  • Glener Ochiussi FFLCH - USP
Palavras-chave: História dos Espaços, João Guimarães Rosa, Obstáculo cultural, Uai eu?

Resumo

Este trabalho pretende analisar o conto “-Uai, eu?”, publicado por João Guimarães Rosa em 1967, por meio ferramental teórico da história dos espaços. Para começar, desenvolvemos algumas reflexões sobre os distanciamentos e as aproximações entre o discurso literário e a narrativa histórica, de onde depreendemos a possibilidade de utilizar a literatura como fonte histórica (âmbito da história da cultura). Em seguida, munidos da teoria da literatura, e em busca de algumas facetas do “sertão rosiano”, passamos à leitura analítica do conto. Ao que se sucede, por fim, com base nas pesquisas de Gancho (2003), Leonel (2017), Braudel (2014) e Albuquerque Júnior (2011), a problematização da temática do espaço e sua respectiva importância para a interpretação de “-Uai, eu?”. A conclusão é a de que, no desfecho do conto, a transformação completa de Jimirulino esbarra em seu maior obstáculo cultural (gestado pela dinâmica do “sertão rosiano”), qual seja, nutrir por Mimoso certa afeição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glener Ochiussi, FFLCH - USP

Mestre em Letras pela Unesp (Campus de São José do Rio Preto – SP) e doutorando em História social pela FFLCH-USP – São Paulo. E-mail: glenerochiussi@usp.br

Publicado
18-07-2020
Como Citar
OCHIUSSI, G. O sertão de Guimarães Rosa e suas armadilhas. Revista Espacialidades, v. 16, n. 2, p. 154-172, 18 jul. 2020.