CIDADE E SAÚDE

O HOSPITAL REAL DE TODOS-OS-SANTOS DE LISBOA (SÉCULOS XVI-XVIII)

Autores

  • Joana Balsa de Pinho Universidade de Lisboa
  • Edite Martins Alberto

DOI:

https://doi.org/10.21680/1984-817X.2021v17n1ID21889

Resumo

Fundado com a anterioridade a 1492, em Lisboa, o Hospital Real de Todos-os-Santos foi o primeiro edifício público hospitalar de iniciativa régia em Portugal. Em atividade até 1775, quando se inicia a sua demolição, o edifício, marcou o desenho da cidade, dos seus espaços públicos e de circulação, tornando-se um símbolo do poder régio e de urbanidade. Tendo por base a documentação administrativa pertencente ao arquivo do hospital, obras de autores coevos, iconografia da cidade e vária documentação de outros fundos, este texto procura contribuir para a compreensão do edifício e para a sua caracterização como espaço de saúde. Pretende-se igualmente analisar o hospital como local social, elemento ordenador do espaço urbano, e símbolo cívico, prestigiador dos seus promotores, na linha em que têm sido estudados outros hospitais europeus por Félez (1979), Bianchi e S?o? (2006) e Piccini (2016).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana Balsa de Pinho, Universidade de Lisboa

Licenciada e Doutora em História da Arte pela Universidade de Lisboa e Mestre em Museus e Museologia pela Universidade de Alcalá, desenvolve investigação nas áreas da arquitetura assistencial e hospitalar de finais da idade média e do renascimento. Desde 2018, é investigadora responsável do projeto «Hospitalis – Arquitetura hospitalar em Portugal nos alvores da Modernidade», financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Presentemente é Investigadora Auxiliar no Artis – Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Downloads

Publicado

29-03-2021

Como Citar

PINHO, J. B. de; ALBERTO, E. M. CIDADE E SAÚDE: O HOSPITAL REAL DE TODOS-OS-SANTOS DE LISBOA (SÉCULOS XVI-XVIII). Revista Espacialidades, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 91–123, 2021. DOI: 10.21680/1984-817X.2021v17n1ID21889. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/21889. Acesso em: 28 maio. 2022.