“E NOS DIAS DE HOJE, QUEREM QUE VOLTE ESTÁ ÉPOCA”:

o anticomunismo em narrativas de estudantes sobre Ditadura Militar

Autores

  • Andréa Mazurok Schactae IFPR/Mestrado Profissional em História UEPG
  • Christiane Marques Szesz Universidade Estadual de Ponta Grossa

DOI:

https://doi.org/10.21680/1984-817X.2022v18n1ID25949

Palavras-chave:

Ditadura militar; Anticomunismo; Ensino de história; Representações

Resumo

O artigo objetiva analisar narrativas de estudantes do ensino médio sobre Ditaduras Militares na América Latina, tendo como recorte, a ideia do anticomunismo. Para análise são utilizados os conceitos de representações sociais, memória e consciência histórica, articulados com uma apresentação breve do discurso anticomunista, no Brasil do século XX, e a retomada desse discurso no século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christiane Marques Szesz, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Possui graduação em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa(1987), mestrado em História pela Universidade Federal do Paraná(1997) e doutorado em História pela Universidade de Brasília(2007). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Membro de corpo editorial da Revista de História Regional (1414-0055) e Membro de corpo editorial da Revista Praxis Educativa. Atuando principalmente nos seguintes temas:Ariano Suassuna, obra texto e contexto apropriação.

Referências

ABREU, Luciano. Autoritarismo e desenvolvimento no Brasil. Historiæ, Rio Grande, vol. 1, n. 3, p. 117-130, 2010.

ARAUJO, Maria Paula Nascimento; SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. História, memória e esquecimento: Implicações políticas. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 79, p.95-11, 2007. Disponível: <http://www.ces.uc.pt/publicacoes>

BRAGON, Ranier. Nos anos 90, Bolsonaro defendeu novo golpe militar e guerra. Folha de São Paulo, 03 de julho de 2018. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/>, acesso em 20 de dezembro de 2019.

CARDOSO, Lucileide Costa. Os discursos de celebração da ‘Revolução de 1964’. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 31, n. 62, p. 117-140, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbh/v31n62/a08v31n62>

CARVALHO, José M. Os três povos da República. Revista USP, São Paulo, n.59, p. 96-115, 2003.

CARVALHO, Marcelo S. R. M. A trajetória da internet no Brasil: do surgimento das redes de computadores à instituição dos mecanismos de governança. Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Engenharia de Sistema de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: <https://unifesp.academia.edu/MarceloCarvalho>.

CODATO, Adriano. Instituições de governo, ideias autoritárias e políticos profissionais em São Paulo nos anos 1940, In: Revista Brasileira de Ciência Política, n.11. Brasília, pp. 143-167, 2013.

CODATO, Adriano. Os mecanismos institucionais da ditadura de 1937: uma análise das contradições do regime de Interventorias Federais nos estados. História, São Paulo, v.32, n.2, p. 189-208, jul./dez. 2013.

COUTO, Geraldo Homero Neto. A “nova direita” no youtube: conservadorismo e negacionismo histórico sobre a ditadura militar brasileira. Revista Ágora , Vitória , n. 29, p. 83-103, 2019. Disponível em: <http://periodicos.ufes.br/agora>

FERREIRA, Marieta de Moraes; PINTO, Surama Conde Sá. Estado e oligarquias na Primeira República: um balanço das principais tendências historiográficas. Revista Tempo, v. 23 n. 3, p.422-442, Set./Dez. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tem/v23n3/1980-542X-tem-23-03-422.pdf>

FICO, Carlos. Ditadura Militar: mais do que algozes e vítimas. A perspectiva de Carlos Fico. [Entrevista realizada em 24 de julho, 2013]. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 5, n.10, jul./dez., p. 464-483, 2013. Entrevistadores: Silvia Maria Fávero Arend, Rafael Rosa Hagemeyer e Reinaldo Lindolfo Lohn.

FICO, Carlos. Espionagem, polícia política, censura e propaganda: os pilares básicos da repressão. In: FERREIRA, J.; DELGADO, L.; Brasil Republicano - O tempo da ditadura: regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 167-205.

GOLDZWEIG, Rafael. Analise: como um filme pró-golpe de 1964 viralizou nas redes sociais. Exame, 09 de abril, 2019. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/brasil/analise-como-um-filme-pro-golpe-de-1964-viralizou-nas-redes-sociais/>

GOMES, Angela Castro. Autoritarismo e cooperativismo no Brasil: o legado de Vargas. Revista USP, São Paulo, n.65, p. 105-119, março/maio 2005.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

JEDLOWSKI, Paolo. Memórias. Temas e problemas da sociologia da memória no século XX. Pro-posições, v. 14, n. 1, p. 217-234, 2003. Disponível em: <https://www.fe.unicamp.br/pf-fe/publicacao/2187/40-traducao-jkedlowskip.pdf>, acesso em 29 de dez. 2019.

KALIL, Isabela Oliveira (coor.). Quem são e no que acreditam os eleitores de Jair Bolsonaro. São Paulo, 2018. Disponível em: <https://www.fespsp.org.br>, acesso em 29 de dez. 2019.

MARQUES, Raphael Peixoto de Paula. Repressão política e anticomunismo no primeiro Governo Vargas: a elaboração da primeira lei de segurança nacional. Revista Jurídica da Presidência, Brasília v. 15 n. 107, p. 631-665, 2014.

MAZUI, Guilherme. Bolsonaro determinou que defesa faça as comemorações devidas ao golpe de 64, diz porta voz. G1, Brasília, 25 de março de 2019. Disponível em: <https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/03/25/>

MELO, Demian B. Ditadura “civil-militar”? Controvérsias historiográficas sobre o processo político Brasileiro no pós-1964 e os desafios do tempo presente. Espaço Plural, Ano XIII, n. 27, p. 39-53, 2012. Disponível em: <http://saber.unioeste.br/index.php/espacoplural>, acesso em: 02 de jan. 2020.

MENEGAT, Rodrigo. Bolsonaro mencionou a ditadura em ¼ dos seus discursos como deputado. Jornal Estadão, 30 de março de 2019. Disponível em: <https://www.estadao.com.br/>

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. O anticomunismo nas pesquisas de opinião: Brasil, 1955-1964 , Nuevo Mundo Mundos Nuevos , Colloques, mis en ligne le 14 janvier 2016, consulté le 29 décembre 2019. Disponível em: <http://journals.openedition.org/nuevomundo/68817>

NAPOLITANO, Marcos. O golpe de 1964 e o regime militar brasileiro Apontamentos para uma revisão historiográfica. Contemporane - Historia y problemas del siglo XX, Vol. 2, Año 2, p. 209-217, 2011.

NASCIMENTO, Bruno. A Ditadura Militar e o ensino de História: uma relação conflituosa. Macapá, v. 6, n. 3, p. 29-39, set./dez. 2016, disponível em: <https://periodicos.unifap.br/index.php/estacao>

NOBREGA, José Maria Pereira. A Semidemocracia Brasileira: autoritarismo ou democracia? Sociologias, Porto Alegre, ano 12, n. 23, p. 74-4, jan./abr. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/soc/n23/05.pdf>

PASTORE, Bruna. Complexo IPES/IBAD, 44 anos depois: Instituto Millenium? Aurora, Marília, v. 5, n. 2, p. 57-80, 2012. Disponível em: <http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/aurora/article/view/2351/1912>, acesso em: 02 de jan. 2020.

REZENDE, Maria J. A ditadura militar no Brasil: repressão e pretensão de legitimidade (1964-1984). Londrina: Ed. UEL, 2001.

RODEGHERO, Carla Simone. Religião e patriotismo: o anticomunismo católico nos Estados Unidos e no Brasil nos anos da Guerra Fria. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 22, nº 44, pp. 463-488, 2002.

RUSEN, Jorn. A Razão histórica – Teoria da História: os fundamentos da ciência Histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.

SALES, Mariana. Jovens brasileiros são mais dependentes de redes sociais. Correio, 21 de julho de 2016. Disponível em: <https://www.correio24horas.com.br>

SAMWAYS, Daniel Trevisan. A “ameaça vermelha”: medo e paranoia anticomunista (artigo). Café História – história feita com cliques. Disponível em: < https://www.cafehistoria.com.br/medo-e-paranoia-anticomunista/> ?. Publicado em: 22 jan. 2018. Acesso: 30 de dez. 2019.

SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SILVA, Carla L. Onda vermelha: imaginários anticomunistas brasileiros (1931-1934). Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001.

SOUZA, Ricardo Luiz. Autoritarismo, Cultura e Identidade Nacional (1930-1945). História da Educação, Pelotas, n. 15, p. 89-127, 2004.

TABAK, Fanny. Autoritarismo e participação política da mulher. Rio de Janeiro: Edição Graal, 1983.

ZAGNI, Rodrigo M. As políticas culturais dos Estados Unidos para a América Latina durante a Segunda Guerra Mundial e a montagem do sistema Pan-Americano. Tese de doutorado, Programa de Pós Graduação em Integração da América Latina, Universidade de São Paulo - USP, São Paulo, 2011.

Downloads

Publicado

11-04-2022

Como Citar

MAZUROK SCHACTAE, A.; SZESZ, C. M. . “E NOS DIAS DE HOJE, QUEREM QUE VOLTE ESTÁ ÉPOCA”:: o anticomunismo em narrativas de estudantes sobre Ditadura Militar. Revista Espacialidades, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 75–96, 2022. DOI: 10.21680/1984-817X.2022v18n1ID25949. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/25949. Acesso em: 10 ago. 2022.