QUANDO ECOOU OS MOTORES E OS APARELHOS MODERNOS:

dilemas, conflitos e tensões da modernidade em Aldeias Altas-MA (1960-1980)

Autores

  • Ellyson Eduardo dos Santos Roque Universidade Estadual do Maranhão
  • Marcus Pierre de Carvalho Baptista Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.21680/1984-817X.2022v18n1ID26383

Palavras-chave:

Cidade; Aldeias Altas; Modernidade; Contradições.

Resumo

O presente texto tem como objetivo discutir os dilemas, tensões e conflitos que processo de modernização trouxe para a cidade de Aldeias Altas (MA) entre as décadas de 1960 a 1980. A metodologia utilizada nesta produção consistiu em pesquisa bibliográfica e documental e do aporte da História Oral. As fontes utilizadas foram os jornais “O Correio do Nordeste” (1961) e “O Combate” (1965), disponíveis na Biblioteca Benedito Leite e Hemeroteca Digital. Como aporte teórico utilizou-se de Berman (1986) sobre os conceitos de modernidade e modernização; Rezende (1997) e de Sevcenko (2006) e suas representações sobre a cidade, e Pesavento (2002), que possibilitaram compreender como as ideias do “novo” e do ser moderno podem gerar contradições e conflitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Pierre de Carvalho Baptista, Universidade Federal do Piauí

Graduado em Licenciatura Plena em História pela Universidade Estadual do Piauí - UESPI (2016). Especialista em História Sócio-Cultural pela Faculdade do Médio Parnaíba - FAMEP (2017). Mestre em História do Brasil pela Universidade Federal do Piauí - UFPI (2019). Integra o Núcleo de Estudos sobre a Zona Costeira do Estado do Piauí - NEZCPI (UESPI) atuando nas linhas de pesquisa: Geografia, História e Meio Ambiente e Educação, Cultura, Turismo e Espaço Geográfico. Integra também o grupo de pesquisa: História Política, Teatro e Música (UFPI) e é membro honorário do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí - IHGPI. Foi professor substituto da Universidade Estadual do Maranhão no Curso de Licenciatura em História no Centro de Estudos Superiores de Caxias - CESC/UEMA (2019 - 2021) e Professor Formador II no Curso de Licenciatura Plena de História do Centro de Educação à Distância da Universidade Federal do Piauí - CEAD/UFPI (2020 - 2021). Atualmente cursa Doutorado em História do Brasil na Universidade Federal do Piauí.

Referências

BAPTISTA, Marcus Pierre de Carvalho. Amarras e desamarras: cotidiano e modernização em amarração no litoral do Piauí (1880-1930). 2019. 161 f. Dissertação (Mestrado em História do Brasil) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2019.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

BRANDÃO, Ramon Lima. O automóvel no Brasil entre 1955 e 1961: A invenção do novo imaginário na era JK. 2011. 216 f. Dissertação (Mestrado em História) Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2011.

COSTA, Cleonice Marques. Modernidade e atraso na educação maranhense: Uma análise dos discursos governamentais (1966-1979). 2008. 75 f. Monografia (Licenciatura Plena em História) – Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2008.

FERREIRA, João da Costa. História de Aldeias Altas-MA. Caxias: JM, 2010.

FIUZA, Solange Cristina Rodrigues; COSTA, Lucia Cortes da. O direito a assistência social: o desafio de superar práticas assistencialistas. Revista de Serviço Social, Londrina, v. 17, n. 2, p. 64-90, jan./jun. 2015.

GONCALVES, Messias. Em novos caminhos: O cotidiano aldeense com a implantação da paróquia de São João Batista e Santa Teresinha de 1974 a 2000. 2019. 84 f. Monografia (Licenciatura Plena em História) – Universidade Estadual do Maranhão, Caxias, 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Enciclopédia dos municípios brasileiros. v. 15 – Municípios do Estado do Maranhão e do Piauí. Rio de Janeiro, 1960.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades e Estados: Aldeias Altas-MA. Disponível em: http: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/aldeias-altas/panorama. Acesso em: 14 de ago. de 2021.

KREUTZ, Arno. O projeto João de Barro: uma experiência oficial de educação popular no Maranhão. 1982. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1982.

MANKE, Lisiane Sias. Um estudo acerca da história de vida profissional de professoras primárias leigas. Revista História da Educação, Pelotas, v. 12. n. 25, p. 153-178, maio/ago., 2008.

MENDES, Sylvânio Aguiar. Entre burros e empurrões: uma história dos bondes elétricos em São Luís (1924-1966). 2005. 60 f. Monografia (Licenciatura Plena em História) – Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2005.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História e história cultural. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano - Paris, Rio de Janeiro, Porto Alegre. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

REZENDE, Antonio Paulo. (Des) encantos modernos: histórias da cidade do Recife na década de XX. Recife: FUNDARPE, 1997.

SANTOS, Jarina Serra; SILVA, Diana Rocha; SOUZA, Mateus de A. Os ofícios da instrução pública maranhense como fonte para a história da educação (1893-1894). Revista Bibliomar, São Luís, v. 15, n.1/2, p. 4-15, jan. /dez. 2016.

SEVCENKO, Nicolau. A capital irradiante: técnicas, ritos e ritmos do Rio. In: ______ (org.). História da Vida Privada no Brasil, v. 3: República: Da belle epoque à era do rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. p. 513-619.

SILVA, Aline de Vasconcelos. João Goulart e as reformas de base. Revista Textos e Debates, Boa Vista, n. 32, p. 5-20, jan. / jun. 2019.

TOURINHO, Mary A. Costa; MOTA, Diomar das Graças. As normalistas no início do século XX em São Luís do Maranhão: ações e mobilizações estudantis. Revista Educação e Emancipação, São Luís, v. 5, n. 1, p. 114-138, jan. / jun. 2012.

VIEIRA, Lêda Rodrigues. Caminhos de Ferro: a ferrovia e a cidade de Parnaíba, 1916-1960. 2010. 247 f. Dissertação (Mestrado em História do Brasil) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2010.

FONTES

HEMEROGRÁFICAS

BAHURY atende à Reinvindicação de Santos Neto. Correio do Nordeste, São Luís, ano 1, n. 13, p. 9, 15 abr. 1962.

MIL fantasmas não votarão mais. O Combate, São Luís, 16 set. 1965.

ENTREVISTAS

ARAÚJO, Francisco da Cruz. [Entrevista cedida a] Ellyson Eduardo dos Santos Roque. Aldeias Altas (MA), 20 ago. 2020.

SAMPAIO, Márcia Dulce Medeiros de. [Entrevista cedida a] Ellyson Eduardo dos Santos Roque. Aldeias Altas (MA), 10 set. 2020.

SILVA, Leni Domingas da. [Entrevista cedida a] Ellyson Eduardo dos Santos Roque. Aldeias Altas (MA), 23 ago. 2020.

SOUZA, Maria Dulce Medeiros de. [Entrevista cedida a] Ellyson Eduardo dos Santos Roque. Aldeias Altas (MA), 02 set. 2020.

ROQUE, Nelzira Conceição dos Santos. [Entrevista cedida a] Ellyson Eduardo dos Santos Roque. Aldeias Altas (MA),

Downloads

Publicado

14-04-2022

Como Citar

ROQUE, E. E. dos S.; BAPTISTA, M. P. de C. QUANDO ECOOU OS MOTORES E OS APARELHOS MODERNOS: : dilemas, conflitos e tensões da modernidade em Aldeias Altas-MA (1960-1980). Revista Espacialidades, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 397–422, 2022. DOI: 10.21680/1984-817X.2022v18n1ID26383. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/26383. Acesso em: 5 dez. 2022.