A Lógica da Ciência e o Falibilismo Epistemológico do Logical Syntax de Rudolf Carnap

Palavras-chave: Logical Syntax, Lógica da Ciência, Falibilismo Epistemológico, Coffa

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar um importante momento de transformação na obra de Rudolf Carnap. Este momento diz respeito à publicação do livro The Logical Syntax of Language em 1934 e as modificações versam sobre a estrutura de análise lógica e as posições metateóricas do autor. Especificamente, no campo metodológico, Carnap desenvolve a sintaxe lógica enquanto estrutura de análise lógico-linguística e, a partir dela, elabora a Lógica da Ciência como o campo da Filosofia da Ciência e, no campo metateórico, substitui o fundacionismo metodológico do Aufbau pelo falibilismo epistemológico. Diante de tais mudanças, Coffa, uma referência fundamental do revisionismo carnapiano, alegou que o empirismo de Carnap, com a ascensão sintática e a perda do status de incorrigibilidade das sentenças protocolares, foi levado ao convencionalismo da base empírica e ao relativismo epistemológico. Deste modo, nosso objetivo neste artigo é apresentar uma interpretação consistente do Logical syntax, assim como avaliar e criticamente discutir a interpretação de Coffa em The semantic tradition from Kant to Carnap.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AWODEY, S. & CARUS, A. W. “From Wittgenstein’s prison to the boundless ocean: Carnap’s dream of Logical syntax”. In: WAGNER, P. (ed.). (2009). Carnap’s logical syntax of language. Houndmills, et al.: Palgrave Macmillan, 2009.
AYER, A. J. Editor’s Introduction. In: AYER, A. J. (ed.). (1959a). Logical positivism. New York: The Free Press, 1959.
AYER, A. J. Language, truth and logic. London: Penguin Group, 1971.
AYER, A. J. (ed.). Logical positivism. New York: The Free Press, 1959a.
CARNAP, R. “Da epistemologia à lógica da ciência”. Tradução de Gilson Olegario da Silva. Disputatio. Vol. 1, No. 1, 2012: p. 131-135.
CARNAP, R. “Empirismo, semântica e ontologia”. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975.
CARNAP, R. “Intellectual Autobiography”. In: SCHILPP, P. A. (ed.) (1963). The philosophy of Rudolf Carnap. La Salle: Open Court, 1963.
CARNAP, R. “O caráter metodológico dos conceitos teóricos”. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975a.
CARNAP, R. Logical foundations of probability. Chicago: The University of Chicago Press, 1963a.
CARNAP, R. “On protocol sentences”. Noûs. Vol. 21, No. 4, 1987: p. 457-470.
CARNAP, R. “Pseudoproblemas na Filosofia”. Tradução de Pablo de Rubén Mariconda. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975b.
CARNAP, R. “Testability and meaning”. Parte 1. Philosophy of Science, Vol. 3, No. 4, 1936: p. 419-471.
CARNAP, R. “Testability and meaning”. Parte 2. Philosophy of Science, Vol. 4, No. 1, 1937: p. 1-40.
CARNAP, R. The logical structure of the world. Translated by Rolf A. George. California: University of California Press, 2005.
CARNAP, R. The logical syntax of language. Reimpressão (2017), India: Facsimile, Publisher, 1937a.
CARNAP, R. The unity of science. Translated by M. Black. Bristol: Thoemmes Press, 1995.
CARUS. A. W. Carnap and twentieth-century thought. Cambrigde: Cambridge University Press, 2009.
CIRERA, R. Carnap and the Vienna circle. Translated by Dick Edelstein. Amsterdam & Atlanta: Editions Rodopi B. V.., 1994.
COFFA, J. A. The semantic tradition from Kant to Carnap: to the Vienna Station. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.
DUTRA, L. H. A. Introdução à teoria da ciência. Florianópolis: Editora da UFSC, 2017.
FEIGL, H. “A visão ‘ortodoxa’ de teorias: comentários para defesa assim como para crítica”. Tradução de Osvaldo Pessoa Júnior. Scientiae studia. São Paulo, Vol. 2, 2004, p. 265-277.
FAJARDO, R. A. S. Lógica Matemática. São Paulo. Editora da Universidade de São Paulo, 2017.
GÖDEL, K. Collected Works. Edited by Solomon Feferman, et al. Vol. 1. New York: Oxford University Press / Oxford: Clarendon Press, 1986.
HAACK, S. Filosofia das lógicas. Tradução de Cezar Augusto Mortari e Luiz de Araújo Dutra. São Paulo: Editora Unesp, 2002.
HAACK, S. Evidence and inquiry: towards reconstruction in Epistemologi. Oxford, et al.: Blackwell, 1993.
“AUTOR”. Título. Campinas: Editora PHI, 2015.
NEURATH, O. Philosophical papers. Edited and Translated by Robert S. Cohen and Marie Neurath. Dordrecht: D. Reidel Publishing Company, 1983.
NEURATH, O. “Physicalism”. In: NEURATH, O. (1983). Philosophical papers. Edited and Translated by Robert S. Cohen and Marie Neurath. Dordrecth: D. Reidel Publishing Company, 1983a.
NEURATH, O. “Physicalism: the philosophy of the viennense circle”. In: NEURATH, O. (1983). Philosophical papers. Edited and Translated by Robert S. Cohen and Marie Neurath. Dordrecth: D. Reidel Publishing Company, 1983b.
NEURATH, O. “Protocol Sentences”. In: AYER, A. J. (ed.). (1959a). Logical positivism. New York: The Free Press, 1959.
PASSMORE, J. A hundred years of Philosophy. Reimpressão (1970). Harmondsworth: Penguin Books, 1957.
PEREIRA, R. A análise sintática e semântica da linguagem segundo Rudolf Carnap e Alfred Tarski. Tese (doutorado em Filosofia). Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2013, 161p.
POPPER, K. A lógica da pesquisa científica. Tradução de Leonidas Hegenberg e Octanny Silveira da Mota. São Paulo: Editora Cultrix, 2013.
QUINE, W. V. O. De um ponto de vista lógico: nove ensaios lógico-filosóficos. Tradução de Antonio Ianni Segatto. São Paulo: Editora Unesp, 2011.
QUINE, W. V. O. “Dois dogmas do empirismo”. Tradução de Antonio Ianni Seggato. In: QUINE, W. V. O. (2011). De um ponto de vista lógico. São Paulo: Editora Unesp, 2011a.
QUINE, W. V. O. “Epistemologia naturalizada”. Tradução de Andréa Maria Altino de Campos Loparic. Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1989.
SCHLICK, M. “O fundamento do conhecimento”. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975.
TARSKI, A. “O conceito de verdade nas linguagens formalizadas”. Tradução de Cezar A. Mortari. In: DUTRA, L. H. A & MORTARI, C. A. (orgs.) (2007). A concepção semântica da verdade: textos clássicos de Tarski. São Paulo: Editora UNESP, 2007.
TRANJAN, T. Carnap e a natureza da lógica. Tese (doutorado em Filosofia). Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010, 264p.
WITTGENSTEIN, L. Tractatus logico-philosophicus. Translated by C. K. Ogden. Reimpressão (2016), New York: Dover Publications, 1922.
Publicado
04-10-2020
Como Citar
PIZZUTTI, P.; LISTON, G. A Lógica da Ciência e o Falibilismo Epistemológico do Logical Syntax de Rudolf Carnap. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 27, n. 54, p. 9-39, 4 out. 2020.