Alienação: nominalismo e ambiguidade referencial no "jovem Marx"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2109.2022v29n60ID28968

Palavras-chave:

Alienação, Estranhamento, Capital, Ontologia social, Marx

Resumo

A tese principal deste artigo é que se nos perguntarmos pela referência do conceito “alienação”, nos encontraremos na posição de ter que admitir que ela é ambígua. Faço uso do termo ambiguidade referencial para apontar duas fontes de ambiguidade: (i) pode se referir ao trabalho como objeto ou sujeito da alienação; (ii) pode designar ou não uma referência. Argumento a literatura marxista de apoio não explicitou essa ambiguidade, pois está presa no paradigma de uma “leitura genitivo-subjetiva”. Não se trata, porém, de defender uma “leitura genitivo-objetiva”, mas mostrar que a sua plausibilidade ajuda a esclarecer que os textos do “jovem Marx” eram ambíguos. Para isso, procuro mostrar o que uma “leitura genitivo-objetiva” diria sobre três contextos específicos de uso de “alienação” e “estranhamento”: Manuscritos de 1844 (parte 1), A Sagrada Família e A Ideologia Alemã (parte 2). Busco também explicitar como essa leitura só faz sentido sob a pressuposição de um nominalismo semântico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Taufer, Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Doutorando em Filosofia Política no Programa de Pós-Graduação em Filosofia na Universidade de Caxias do Sul. Bolsista PROSUC/CAPES. Agradeço a CAPES, uma vez que o presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001.

Referências

ADORNO, Theodor. Negative Dialectics. Trans. E. B. Ashton. New York: Routledege, 2004.

ARTHUR, Christopher J. Objetivação e alienação em Marx e Hegel. Trad. Felipe Taufer. Dissonância: Revista de Teoria Crítica, Campinas, 2021, pp. 1-47, p. 6-9.

ALTHUSSER, Louis. Marxismo e Humanismo In: ALTHUSSER, Louis. Por Marx. Trad. Maria Eleonor F. R. Loureiro. Campinas: UNICAMP, 2015a, pp. 183-202.

ALTHUSSER, Louis. Os “Manuscritos de 1844” de Karl Marx In: ALTHUSSER, Louis. Por Marx. Trad. Maria Eleonor F. R. Loureiro. Campinas: UNICAMP, 2015b, pp. 127-134.

BACKHAUS, Hans-Georg. Some Aspects of Marx’s Concept of Critique in the Context of his Economic-Philosophical Theory In: BONEFELD, Wenerd; PSYCHOPEDIS, Kosmas (Org.). Human Dignitiy: Social Autonomy and the Critique of Capitalism. Burlington: Ashgate, 2005, pp. 13-30.

BACKHAUS, Hans-Georg. Theodor W. Adorno sobre “Marx e os conceitos fundamentais da teoria sociológica”: A partir das notas de um seminário no semestre de verão de 1962. Trad. Tomás Lima Pimenta. Dissonância: Revista de Teoria Crítica, v.5, 2021, pp. 737-754.

BOTTOMORE, Tom. Introduction In: MARX, Karl. Karl Marx Early Writings. Trans. Tom Bottomore. London: McGraw Hill, 1963.

FETSCHER, Iring. Karl Marx e os marxismos. Trad. Heidrun Mendes da Silva. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

GRESPAN, Jorge. A dialética do avesso. Crítica Marxista, São Paulo, Boitempo, v. 1, n.14, 2002, p. 26-47.

HARTMANN, Klaus. Die Marxsche Theorie: Eine philosophische Untersuchung zu den Hauptschriften. Berlin: Wlater de Gruyter, 1970.

HEINRICH, Michael. Anthropologie Als Kritik. In: HEINRICH, Michael. Die Wissenchaft vom Wert: Die Marxsche Kritik der politische Ökonomie zwischen wissechaftlicher Revolution und klassischer Tradition. 4. ed. Hamburg: VSA-Verlag, 2006, pp. 86-120, p. 88-89.

HEINIRCH, Michael. How to Read Marx’s Capital. Trans. Alexander Locasio. New York: Monthly Review Press, 2021.

GIANNOTTI, José Arthur. Origens da Dialética do Trabalho. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1966.

LUKÁCS, György. O Jovem Hegel e os problemas da sociedade capitalista. Trad. Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2018.

LUKÁCS, György. O Jovem Marx In: LUKÁCS, György. O Jovem Marx e outros escritos filosóficos. 2. ed. Trad. José Paulo Netto e Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: UFRJ, 2009, pp. 121-202.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social. v. 2. Trad. Nélio Schneider, Ivo Tonet e Ronaldo Vielmi Fortes. São Paulo: Boitempo, 2013, p. 417-8

MARCUSE, Herbert. The Foundation of Historical Materialism In: MARCUSE, Herbert. Studies in Critical Philosophy. Trans. Joris de Bres. Boston: Beacon Press, 1972, pp. 1-48.

MARCUSE, Herbert. Razão e Revolução: Hegel e o Advento da Teoria Social. 2. ed. Trad. Marília Barroso. Rio Janeiro: Paz e Terra, 1978.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Sagrada Família, ou, A crítica da Crítica crítica, contra Bruno Bauer e consortes. 1. Ed. Rev. Trad. Marcelo Backes. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, Karl. Contribuição à Crítica da Economia Política. Trad. Florestan Fernandes. Rio de Janeiro: Expressão Popular, 2008.

MARX, Karl. Ökonomisch-philosophische Manuskripte. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 2009.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Die heilige Familie und Schriften von Marx von Anfang 1844 bis Anfang 1845 In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Historisch-kritische Gesamtausgabe: Werke, Schriften, Briefe. Abt. 1, Bd. 3. Frankfurt am Main: Marx-Engels-Archiv Verl-Ges, 1932, pp. 174-238 [MEGA1 I/3].

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Deutsche Ideologie Manuskripte und Drucke. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Marx-Engels Gesamtausgabe. Abt. 1, Bd. 5 Amsterdam: De Gruyter Akademie Forschung, 2018 [MEGA2 I/5].

MARX, Karl. Ökonomische Manuskripte und Schriften: 1858-1861 In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Marx-Engels Gesamtausgabe. Abt. 2, Bd. 2. Berlin: Dietz Verlag, 1980 [MEGA2 II/2].

MARX, Karl. Exzerpte und Notizen sommer 1844 bis Anfang 1847 In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Marx-Engels Gesamtausgabe. Abt. 4, Bd. 3. Berlin: Akademie Verlag, 1998 [MEGA2 IV/3].

McLELLAN, David. As ideias de Marx. Trad. Aldo Bocchini Neto. São Paulo: Cultrix, 1975.

MÉSZAROS, István. A Teoria da Alienação em Marx. Trad. Isa Tavares. São Paulo: Boitempo, 2006.

MILLER, James. History & Human Existence: From Marx to Merleau-Ponty. Berkeley: University of California Press, 1982.

MUSTO, Marcello. Revisiting Marx’s Concept of Alienation. Socialism and Democracy, vol. 24., no. 3., nov-2010, p. 79-101.

MUSTO, Marcello. The ‘Young Marx’ Myth in the Interpretations of the Economic Philosophic Manuscripts of 1844. Critique, v. 43., n. 2., 2015, p. 233-260.

MUSTO, Marcello (Org.). Karl Marx’s Writings on Alienation. Cham: Palgrave Macmillan, 2021.

RANIERI, Jesus. Apresentação In: MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2011, pp. 11-19.

RANIERI, Jesus. A Câmara Escura: Alienação e Estranhamento em Marx. São Paulo: Boitempo, 2001.

REICHELT, Helmut. Sobre a estrutura lógica do conceito de capital em Karl Marx. Trad. Nélio Schneider. São Paulo: UNICAMP, 2013.

SAITO, Kohei. Karl Marx’s Ecossocialism: Capitalism, Nature, and the Unfinished Critique of Political Economy. New York: Monthly Review Press, 2017.

QUANTE, Michael. Kommentar In: MARX, Karl. Ökonomisch-philosophische Manuskripte. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 2009, pp. 209-410.

QUINE, Willard Von. Designation and Existence. The Journal of Philosophy, v. 36, n. 26, dec-1939, pp. 701-709.

QUINE, Willard Von. Sobre o que há In: Os pensadores. v. 67. Trad. Luiz Henrique dos Santos. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1980, pp. 217-239.

Downloads

Publicado

25-11-2022

Como Citar

TAUFER, F. Alienação: nominalismo e ambiguidade referencial no "jovem Marx". Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), [S. l.], v. 29, n. 60, p. 381–415, 2022. DOI: 10.21680/1983-2109.2022v29n60ID28968. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/principios/article/view/28968. Acesso em: 27 set. 2023.