UM UM BREVE RELATO SOBRE OS DESAFIOS DA ATUAÇÃO INTEGRADA ENTRE OS APOIADORES DO PROJETO “SÍFILIS NÃO”, PROJETO FORÇA TAREFA E SEINSF/SEMS

  • NEYLA MENEZES
  • Ana Maria Mello Porto
  • Marilda Pereira Yamashiro Tani
  • Valéria Bezerra Santos

Resumo


O presente trabalho propõe a discussão das atividades integradas realizadas pelas apoiadoras do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção (Sífilis Não), Projeto de Integração das Ações de Vigilância em Saúde e Atenção Primária para o Fortalecimento do Sistema Único de Saúde (Projeto Força Tarefa) e a Seção de Apoio Institucional e Articulação Federativa da Superintendência Estadual do Ministério da Saúde em Alagoas – SEINSF/SEMS/AL. Ressalta-se que os Projetos “Sífilis Não” e “Força Tarefa” são frutos de uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) do Hospital Universitário Onofre Lopes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS). Este relato de experiência descreve as ações realizadas pelas 04 (quatro) apoiadoras dos referidos projetos e do SEINSF/SEMS em
Alagoas, no período de abril de 2018 a outubro de 2020 através de um trabalho integrado e colaborativo com 18 áreas técnicas da SESAU e apoiadores do COSEMS/AL e cujos principais resultados foram a realização de 15 reuniões para alinhamento de estratégias entre as apoiadoras, 25 reuniões técnicas com o Grupo Integração, 17 webconferências que envolveram aproximadamente 652 profissionais que atuam no âmbito dos 102 municípios alagoanos. Observou-se que a articulação inicial entre o “Projeto Sífilis Não” e o SEINSF/SEMS/AL é potencializado através da articulação com o “Projeto Força Tarefa” que amplia o escopo das ações através de uma maior mobilização junto às áreas técnicas da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas - SESAU/AL, do fortalecimento da articulação entre Atenção Primária Saúde (APS) e Vigilância em Saúde (VS) e da possibilidade de construção de novas estratégias de trabalho em conjunto com os municípios alagoanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

NEYLA MENEZES

Assistente Social, CRESS Nº 1453, servidora pública municipal da SMS de São José da Tapera / AL e
Apoiadora de Pesquisa e Intervenção do Projeto “Sífilis Não” - Ministério da Saúde / UFRN. Especialista
em Gestão Social, Políticas Públicas, Redes e Defesa de Direitos; Especialista em Gestão em Saúde Pública;
Especialista em Processos Educacionais em Saúde; e Mestra em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas.
E-mail: neyla.menezes@lais.huol.ufrn.br.

Ana Maria Mello Porto

Nutricionista, CRN/6 - 1.411, servidora pública estadual do Hospital Escola Dr. Hélvio Auto - HEHA/UNCISAL e
Apoiadora do Ministério da Saúde e UFRN pelo Projeto Força Tarefa - Integração da APS e VS. Especialista em
Nutrição Clínica e Terapêutica Nutricional e especialista em Avaliação em Saúde Aplicada a Vigilância.
E-mail: ana.porto@lais.huol.ufrn.br.

Marilda Pereira Yamashiro Tani

Engenheira da Computação. Servidora pública federal efetiva, chefe da Seção de Apoio Institucional e
Articulação Federativa da Superintendência Estadual do Ministério da Saúde em Alagoas – SEINSF/SEMS-AL/
DGIP/SE/MS. E-mail: marilda.pereira@saude.gov.br.

Valéria Bezerra Santos

Enfermeira, COREN 000.046.772-IR, servidora da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas e Apoiadora do
Ministério da Saúde e UFRN pelo Projeto Força Tarefa - Integração da APS e VS. Especialista em auditoria de
Sistemas da Saúde; em Vigilância em Saúde e Docência do Ensino Superior. E-mail: valeria.santos@lais.huol.ufrn.br

Publicado
08-06-2021
Como Citar
MENEZES, N., Porto, A. M. M., Tani, M. P. Y., & Santos, V. B. (2021). UM UM BREVE RELATO SOBRE OS DESAFIOS DA ATUAÇÃO INTEGRADA ENTRE OS APOIADORES DO PROJETO “SÍFILIS NÃO”, PROJETO FORÇA TAREFA E SEINSF/SEMS. Revista Brasileira De Inovação Tecnológica Em Saúde - ISSN:2236-1103, 10(4), 9. https://doi.org/10.18816/r-bits.v10i4.23975