VALE DO JAGUARIBE: UM OÁSIS EM PERIGO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO – REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL E POTENCIAIS DANOS À BACIA E SEUS USUÁRIOS

REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL E POTENCIAIS DANOS À BACIA E SEUS USUÁRIOS

Resumo


O Rio Jaguaribe é o maior curso d’água do Ceará, um dos estados do semiárido no qual os efeitos da seca são mais expressivos. Como solução para a escassez de água, o Governo tem atuado tentando perenizar suas bacias hidrográficas, dentre elas, a bacia do Rio Jaguaribe. A partir dos anos 1960, a construção de reservatórios e as políticas de incentivo ao desenvolvimento possibilitaram o início da agricultura irrigada no estado, trazendo grandes empresas multinacionais e a necessidade de intensa modernização para o incremento da produtividade agrícola. Nos últimos 15 anos, a preocupação com os efeitos da intensa atividade agrícola tradicional sobre o ambiente da Bacia do Jaguaribe vem se mostrando em forma de artigos publicados sobre o acúmulo de pesticidas, metais pesados e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos nas águas, sedimentos e organismos vivos do rio, além do aumento na prevalência de intoxicações agudas e casos de câncer na população de municípios da Bacia. O objetivo deste trabalho foi revisar as publicações sobre a saúde do Jaguaribe, na forma da saúde de seu leito, solo, fauna e usuários humanos, alertando para a necessidade de maior atenção para um dos mais importantes mananciais no nordeste brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta da Rocha Braga, Universidade Federal do Ceará / Universidade de São Paulo

Médica Veterinária pela Universidade Estadual do Ceará (2008). Servidora técnica de nível superior da Universidade Federal do Ceará (2010), lotada no Núcleo Regional de Ofiologia (NUROF-UFC). Mestre em Patologia pela Universidade Federal do Ceará (2016). Aluna do Doutorado em Patologia Experimental e Comparada da Universidade de São Paulo (2018). Atuação Profissional: Diagnóstico e pesquisa. Áreas de Interesse: Patologia veterinária com ênfase em doenças parasitárias; manejo de animais silvestres com ênfase em herpetofauna

Eliana Reiko Matushima, Universidade de São Paulo- USP

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (1983), mestrado e doutorado em Patologia Experimental e Comparada pela Universidade de São Paulo (1988 e 1994). Foi Presidente da Comissão de Graduação da FMVZ/USP no período de 2008 a 20111. Atualmente é Professora Senior do Departamento de Patologia da FMVZ/USP. Participou da Diretoria da Associação Brasileira de Veterinários de Animais Selvagens - ABRAVAS, durante 14 anos, como Diretora Científica, Primeira Tesoureira, Primeira Secretária e Presidente; foi Secretária da Sessão Latino-Americana da Wildlife Disease Association. Atualmente é Membro Suplente do Ministério do Meio Ambiente junto ao Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal - CONCEA/MCTIC; e integrante da Comissão Técnica de Médicos Veterinários de Animais Selvagens junto ao Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Patologia Comparada de Animais Selvagens, atuando principalmente nos seguintes temas: doenças, peixes, aves, répteis e mamíferos selvagens. 

Publicado
22-07-2021
Como Citar
BRAGA, R. DA R.; MATUSHIMA, E. R. VALE DO JAGUARIBE: UM OÁSIS EM PERIGO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO – REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL E POTENCIAIS DANOS À BACIA E SEUS USUÁRIOS. Revista de Geociências do Nordeste, v. 7, n. 2, p. 24-34, 22 jul. 2021.
Seção
Artigos