A DIMENSÃO HUMANA NO PROCESSO DE PROJETO: ANÁLISE DE TIPOLOGIAS HABITACIONAIS EM BELÉM-PARÁ

  • ROSINEIDE PAIXAO UFPA
  • Ana Klaudia de Almeida Viana Perdigão UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
Palavras-chave: projeto de arquitetura; habitação social; dimensão humana; categorias analíticas; Amazônia

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de pesquisa de mestrado que procurou responder como o arquiteto pode incluir no processo projetual de habitação de interesse social para a Amazônia, a dimensão humana. Buscou-se apoio em estudos referentes ao espaço urbano acerca da valorização dessa dimensão. Nesse sentido, um estudo longitudinal foi realizado no contexto de um programa de intervenção pública em assentamento precário na cidade de Belém (PA), cuja área de interferência foi a comunidade Cubatão e o projeto Taboquinha, ambos localizados no distrito de Icoaraci. Partiu-se da premissa de que a dimensão humana pode ser explorada para instrumentalização do projeto arquitetônico quando contemplada desde a concepção projetual, por meio de categorias analíticas de base topológica, as quais permitem a investigação da vida espacial nos mais variados contextos da habitação, com significativa valorização da dimensão humana desde o ponto de partida da concepção arquitetônica e indo além do tradicional ponto de partida geométrico. A pesquisa demonstrou que a ampliação do olhar sobre a dimensão humana ultrapassa os aspectos ligados ao espaço geométrico e adentra nas relações espaciais que o usuário mantém com o espaço por meio do uso, situação que ficou evidente pela seleção das categorias analíticas de natureza topológica, já que relações espaciais não são descritas pela geometria, mas encontram respaldo geométrico quando se materializam espacialmente. Destaca-se que as categorias, uma vez evidenciadas nas casas de origem dos moradores (palafita), podem somar para a contínua caracterização da palafita amazônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUTOR. Referência omitida para avaliação, 2005.
AUTOR. Referência omitida para avaliação, 2009.
AUTOR. Referência omitida para avaliação, 2015.
AUTOR. Referência omitida para avaliação, 2016.
AUTORA. Referência omitida para avaliação, 2019.
ABELÉM, A.G. Urbanização e remoção: por que e para quem? Belém: NAEA/UFPA, 1989.
AGUIAR, D.V. Planta e corpo: elementos de topologia na arquitetura. In: DUARTE, C. R.; RHEINGANTZ, P. A.; AZEVEDO, G.; BRONSTEIN, L. (Orgs.). O lugar do projeto: no ensino e na pesquisa em arquitetura e urbanismo. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2005. pp. 388-396.
ALEXANDER, C. A pattern language: towns, buildings, construction. Oxford: University Press, 1977.
AULT, R.L. Desenvolvimento cognitivo da criança: a teoria de Piaget e a abordagem de processo. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
BARROS, R.M. et al. Conforto e Psicologia ambiental: a questão do espaço pessoal no projeto arquitetônico. In: ENCAC-ELACAC. Anais... Maceió, 2005.
BARROS, R.R.M.P. Habitação coletiva: a inclusão de conceitos humanizadores no processo de projeto. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.
BARROS, R. R. M. P.; PINA, SAMG A. Humanização no projeto da habitação coletiva. In: KOWALTOWSKI, D.K.; MOREIRA, D.C.; PETRECHE, J.R.D.; FABRÍCIO, M.M. O processo de projeto em arquitetura: da teoria a tecnologia. Campinas: Oficina de Textos, 2011. pp. 245-272.
BARKI, J. O aprendizado do fazer. In: OLIVEIRA, B. S.; PEIXOTO, G. R.; LASSANCE, G.; BRONSTEIN, L. (Org.). Leituras em Teoria da Arquitetura. Rio de Janeiro: Viana & Mosley, 2009.
BRASIL. Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação. Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano. 2012. Disponível em: http://abconline.org.br/biblioteca/selo-de-merito/. Acesso em 19 de fevereiro de 2021.
BROADBENT, G. Design in architecture: architecture and the human sciences. London: Wiley, 1973.
COMPANHIA DE HABITAÇÃO DO PARÁ. Plano de Remanejamento Comunidade Taboquinha. Belém, 2009.
COMPANHIA DE HABITAÇÃO DO PARÁ. Plano de Remanejamento Comunidade Taboquinha. Belém, 2011.
ELALI, G. A.; PINHEIRO, J. Q. Edificando espaços, enxergando comportamentos: por um projeto arquitetônico centrado na relação pessoa-ambiente. In: MARQUES, S.; LARA, F. L. C. (Orgs.). Projetar: desafios e conquistas da pesquisa e do ensino de projeto. Rio de Janeiro: Editora Virtual Científica, 2003. pp. 130-144.
ELALI, G. A.; PINHEIRO, J. Q. Qualidade ambiental na habitação: avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 15-35.
FERNÁNDEZ-LLEBREZ MUÑOZ, J. La dimensión humana de la arquitectura. Aprendiendo del Team 10. Arquitectura y Urbanismo. n. 1, v. 34. pp. 64-72, 2013.
FROM SOMER, R.; IACHINI, T. Personal Space. In: Reference Module in Neuroscience and Biobehavioral Psychology. Cambridge: Elsevier, 2017.
GEHL, J. Cidade para Pessoas. São Paulo: Perspectiva, 2013.
GIFFORD, R. Environmental psychology. Boston: Allyn & Bacon, 1997.
GLIBER, A. R.; CHIPPARI, M. Invasão do espaço pessoal: um estudo observacional em uma biblioteca universitária. Psicólogo informação. n. 11,v. 11. pp. 9-26, 2007.
HALL, E. A dimensão oculta. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1981.
KUPRITZ, V. W. Privacy management at work: A conceptual model. Journal of Architectural and Planning Research. pp. 47-63, 2000.
MALARD, M. L. As aparências em arquitetura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.
MENEZES, T. M. S. Referências ao projeto de arquitetura pelo tipo palafita amazônico na Vila da Barca (Belém-PA). Belém, 2015. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.
RAPOPORT, A. Home environments. Boston: Springer, 1985. pp. 255-286.
REIS, A.T.L.; LAY, M.C.D. Privacidade na habitação: atitutes, conexões visuais e funcionais. Ambiente construído. n. 4, v. 3. pp. 21-33, 2003.
Publicado
28-09-2021
Como Citar
PAIXAO, R.; DE ALMEIDA VIANA PERDIGÃO, A. K. A DIMENSÃO HUMANA NO PROCESSO DE PROJETO: ANÁLISE DE TIPOLOGIAS HABITACIONAIS EM BELÉM-PARÁ. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 6, n. 3, p. 129-145, 28 set. 2021.