"Tem Vez que a gente não consegue nem andar"

Uma análise sobre a Qualidade de Vida no Trabalho das camareiras de hotel

Autores

  • Gabriela Zyrianoff USP
  • Alexandre Panosso Netto EACH/USP

DOI:

https://doi.org/10.21680/2357-8211.2022v10n3ID26895

Resumo

A hotelaria possui expressiva representatividade econômica no Brasil e em São Paulo, por outro lado, suas relações de trabalho permanecem precarizadas. Com as medidas para redução de custos adotadas devido ao aumento da competitividade, tais relações se tornaram mais fragilizadas e precárias, principalmente para os trabalhadores de base, que são fundamentais para o funcionamento do setor. Sendo assim, busca-se definir e analisar a Qualidade de Vida no Trabalho das camareiras de hotel. O recorte da pesquisa são os hotéis upscale em São Paulo. Para isso, estabeleceram-se quais fatores deveriam ser considerados na análise da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) e, para tanto, analisaram-se suas principais definições e modelos. Em seguida, investigaram-se os fatores de QVT pela perspectiva das camareiras de hotel. Como metodologia, aplicaram-se entrevistas semiestruturadas em profundidade com as camareiras de cinco hotéis de luxo (ou upscale) de São Paulo. Paralelamente, aplicou-se o Inventário de Trabalho e Riscos de Adoecimento (ITRA). O tratamento dos dados deu-se por meio da Análise do Discurso. Chegou-se à conclusão de que diversos fatores da QVT das camareiras de hotéis de luxo foram considerados críticos ou graves. Entre eles, estão a organização do trabalho, os custos cognitivo e físico do trabalho, o esgotamento profissional, a falta de reconhecimento e os danos físicos da rotina laboral. Apresentaram-se os fatores necessários para melhorar as relações de trabalho na hotelaria, a saber: o fortalecimento dos sindicatos, a fiscalização dos hoteleiros, a sensibilização das camareiras sobre a importância de sua função na área hoteleira, a conscientização dos empreendimentos turísticos sobre a QVT, a influência da QVT sobre o desempenho dos hotéis, a criação de leis trabalhistas justas e sua fiscalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Panosso Netto, EACH/USP

Possui graduação em Turismo pela Universidade Católica Dom Bosco (1998), graduação em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (1994), pós-graduação em História do Brasil pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1999), pós-graduação em Turismo: planejamento, gestão e Marketing pela Universidade Católica de Brasília (2002), mestrado em História pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2001), doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2005), pós-doutorado em turismo pela Universidad Europea Miguel de Cervantes, em Valladolid, Espanha (BOLSA CNPQ-2011) e Livre-Docência em Teorias do Turismo (2012) pela EACH-USP. Atualmente é professor, com dedicação exclusiva, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH/USP), onde coordena o Programa de Pós-Graduação em Turismo (Mestrado), além de atuar também no Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais (Mestrado). Desde julho de 2015 é Presidente da Comissão de Pós-Graduação da EACH-USP. Desde setembro de 2015 é vice presidente-diretor da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo (ANPTUR). Tem experiência na área de Turismo, com ênfase em Teoria do Turismo, atuando principalmente nos seguintes temas: turismo de experiência, educação em turismo, teorias de turismo, planejamento turístico e epistemologia do turismo. 

Downloads

Publicado

25-08-2022

Como Citar

ZYRIANOFF, G.; PANOSSO NETTO, A. . "Tem Vez que a gente não consegue nem andar": Uma análise sobre a Qualidade de Vida no Trabalho das camareiras de hotel. Revista de Turismo Contemporâneo, [S. l.], v. 10, n. 3, 2022. DOI: 10.21680/2357-8211.2022v10n3ID26895. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/turismocontemporaneo/article/view/26895. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)