A Cachaça como patrimônio: turismo, cultura e sabor

  • Marcus Vinicius Fernandes Braga Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Ilana Barreto Kiyotani UFPB e UFRN

Resumo

A Cachaça é uma bebida originalmente brasileira, descoberta de forma acidental logo nas primeiras décadas da história do país. Enfrentou o preconceito das elites e a proibição de sua fabricação. Todavia como uma legítima representante popular brasileira resistiu bravamente aos entraves impostos a sua existência, alcançou os paladares mais exigentes e se popularizou no país, se consolidando também pelo mundo, como o destilado de cana-de-açúcar do Brasil. Chamada de Pinga, branquinha, amansa corno, água santa, entre outros nomes, foi utilizada como remédio fortificante, moeda de troca, além de ter sido um símbolo de patriotismo, de luta e de resistência, incentivou as artes, aguçou e ainda aguça a criatividade do povo. Um produto nacional de muitas histórias e valor cultural, democrática desde suas raízes, uma legítima representante nacional, um patrimônio histórico, cultural e imaterial, que apresenta muitas potencialidades ainda a ser descobertas, como sua utilização na gastronomia, seja nos preparos mais populares ou sofisticados e a exploração de sua história e dos espaços de produção, assim como, na preservação de suas memórias, como atrativo para a prática do turismo cultural e outras modalidades do turismo em paralelo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Vinicius Fernandes Braga, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Bacharel em Turismo pela UFPB, Tecnólogo em Produção Piblicitária pela Fatec-PB.
Ilana Barreto Kiyotani, UFPB e UFRN
Doutoranda em Turismo pelo Programa de Pós-graduação em Turismo da UFRN. Professora do Departamento de Turismo e Hotelaria da UFPB.

Referências

Novo, M. A. L (2011). Viagem ao mundo da cachaça. (1º Ed.) São Paulo: New Book,.

Silva, J. M. da (2006). Cachaça: o mais brasileiro dos prazeres. São Paulo: Anhembi Morumbi.

Trindade, A. G. (2006). Cachaça: um amor brasileiro. São Paulo: Melhoramentos.

Figueredo, R. (2011). De marvada a bendita: a história, a gastronomia e as curiosidades da cachaça, a mais brasileira das bebidas. São Paulo: Matrix.

Standage, T. (2005) Historia do mundo em 6 copos. tradução: Antonio Braga. (2005) Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Santos S. (2010) Pequeno livro de destilados: guia para toda hora. (4º Ed.) Campinas: Verus.

Freud, F. T. (2008) Alimentos e Bebidas: uma visão gerencial. (2º Ed.) Rio de Janeiro: Senac Nacional.

Fecarotta, L. (2006) Estrada Real: Alimentação e hospedagem. São Paulo: Conteúdo Expresso.

Coriolano, L. N., Sampaio, C. A. (2012) Discurso e concepções teóricas do desenvolvimento e perspectivas do turismo como indução. In: Brasileiro, M. D. S., Medina, J. C. e Coriolano, L. N. (orgs). Turismo, cultura e desenvolvimento. Campina Grande: EDUEPB.

Brasileiro, M. D. S. (2001) Desenvolvimento e turismo: para além de paradigmas econômicos. In: Brasileiro, M. D. S., Medina, J. C. e Coriolan, L. N. (orgs). Turismo, cultura e desenvolvimento. Campina Grande: EDUEPB.

Lopes, T. (2001) Rotas Nacionais: Fragmentando os Roteiros Turísticos sobre Ouro Preto. In: Banducci jr., A., Barreto, M. (orgs.). Turismo e identidade local: uma visão antropológica. Campinas: PAPIRUS.

Rejowski, M. (2002) Turismo no percurso do tempo. São Paulo: Aleph.

Silva, J. M. da (2014) Caipirinha: espírito, sabor e cor do Brasil. (1º Ed.) Recife: Associação Pernambucana de Produtores de Aguardente de Cana e Rapadura (APAR).

Quintas, F. (org.). (2007) A civilização do Açúcar. Recife: Sebrae, Fundação Gilberto Freyre.

Vieira, G. (2011) Educação e turismo: aliados no desenvolvimento social. In: Revista Turismo em Pauta. (8ª Ed.) Rio de Janeiro: CNC.

Brasil. (2005) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Instrução Normativa nº 13, de 29 de junho de 2005. Publicado no D. O. U. de 30/06/2005. acesso em 20/07/2014 às 20h35min.

Brasil. (2010) Turismo Cultural: orientações básicas. - Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação-Geral de Segmentação. – 3. ed.- Brasília.

IBRAC. (2008) Mercado Interno da Cachaça, disponível em: http://www.ibraccachacas.org/index.php/servicos/estatisticas/mercado-interno, acesso em 20/07/2014 às 23h25min

Schneider, C. S. (2014) Turismo Cultural: uma Proposta de Preservação do Patrimônio Material. Disponível em: http://www.ucs.br/ucs/tplSemMenus/eventos/seminarios_semintur/semin_tur_4/arquivos_4_seminario/GT04-2.pdf, Acesso em 03/08/14 às 15h50min.

A Cachaça como produto turístico – disponível em: http://turismocriativo.blogspot.com.br/2010/02/cachaca-como-produto-turistico.html, acesso em 03/08/2014 às 21h51min.

Oportunidades para a cachaça no mercado interno e externo – disponível em http://www.sebraemercados.com.br/oportunidades-para-a-cachaca-no-mercado-interno-e-externo/, acesso em 04/08/2014 às 21h05min.

Cachaça Vale Verde; disponível em http://www.cachacavaleverde.com.br/; acesso em 07/09/2014 às 18h45min

Parque Ecológico Vale Verde; disponível em http://www.valeverde.com.br/; acesso em 07/09/2014 às 19h00min

Revista Playboy. Ranking playboy da cachaça; disponível em http://www.cachacavaleverde.com.br/playboy-ranking-da-cachaca.pdf; acesso em 07/09/2014 às 20h00min.

Publicado
30-12-2015
Como Citar
FERNANDES BRAGA, M. V.; KIYOTANI, I. B. A Cachaça como patrimônio: turismo, cultura e sabor. Revista de Turismo Contemporâneo, v. 3, n. 2, 30 dez. 2015.
Seção
Artigos