DISCLOSURE SOCIOAMBIENTAL, REPUTAÇÃO CORPORATIVA E CRIAÇÃO DE VALOR NAS EMPRESAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

Autores

  • Artur Corrêa Lopes Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Márcia Martins Mendes De Luca Universidade Federal do Ceará – UFC
  • Alan Diógenes Góis Universidade de São Paulo - USP
  • Alessandra Carvalho de Vasconcelos Universidade Federal do Ceará - UFC

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2017v9n1ID10029

Resumo

O estudo objetiva analisar a relação entre o disclosure socioambiental, a reputação corporativa e a criação de valor nas empresas listadas na BM&FBovespa. A pesquisa reúne uma amostra de 305 empresas, selecionadas a partir de sete rankings de reputação. Os resultados da pesquisa revelaram que (i) as empresas de setores de alto impacto ambiental apresentam maior disclosure socioambiental; (ii) o disclosure socioambiental possui uma relação positiva com a reputação corporativa; e (iii) a reputação corporativa está relacionada positivamente com a criação de valor, assim como apresenta relação negativa com o tamanho. Foi possível constatar ainda, que o disclosure socioambiental não apresenta significância com a criação de valor. Dessa forma, rejeita-se a hipótese de que o disclosure socioambiental e a reputação corporativa são positivamente relacionados com a criação de valor, pois somente a reputação corporativa apresentou relação com a criação de valor nas companhias de capital aberto pesquisadas.

Palavras-chave: Disclosure socioambiental. Reputação corporativa. Criação de valor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Artur Corrêa Lopes, Universidade Federal do Ceará - UFC

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará - UFC

Márcia Martins Mendes De Luca, Universidade Federal do Ceará – UFC

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo - USP

Professora da Universidade Federal do Ceará - UFC

Alan Diógenes Góis, Universidade de São Paulo - USP

Doutorando em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo - SP

Alessandra Carvalho de Vasconcelos, Universidade Federal do Ceará - UFC

Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC

Professora da Universidade Federal do Ceará – UFC

Referências

ALBANEZ, T; LIMA, G. A. S. F. Effects of Market Timing on the Capital Structure of Brazilian Firms. In: PATTNAIK, C.; KUMAR, V (ed.) Emerging Market Firms in the Global Economy. Bingley: Emerald Group Publishing Limited, 2014, p. 307 – 351.

ALVES, J. F. V., DE LUCA, M. M. M., CARDOSO, V. I. C., VASCONCELOS, A. C., & CUNHA, J. V. A. Relação entre desempenho econômico e desempenho ambiental de empresas no Brasil e na Espanha. Revista Ambiente Contábil, v. 5, n. 2, p. 151-172, 2014.

ASSAF NETO, A. Finanças corporativas e valor. São Paulo: Atlas, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BECCHETTI, L., CICIRETTI, R., HASAN, I., & KOBEISSI, N. Corporate social responsibility and shareholder's value. Journal of Business Research, v. 65, n. 11, p. 1.628-1.635, 2012.

BRAGA, J. P., OLIVEIRA, J. R. S., & SALOTTI, B. M. Determinantes do nível de divulgação ambiental nas demonstrações contábeis de empresas brasileiras. Revista de Contabilidade da Universidade Federal da Bahia, v. 3, n. 3, p. 81-95, 2009.

BRITO, R. P., & BRITO, L. A. L. Vantagem competitiva, criação de valor e seus efeitos sobre o desempenho. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 1, p. 70-84, 2012.

CARDOSO, V. I. C.; DE LUCA, M. M. M.; LIMA, G. A. S.F.; VASCONCELOS, A. C. Reputação corporativa nas empresas brasileiras: uma questão relevante para o desempenho empresarial? Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 10, n. 21, p. 115-136, 2013.

CARDOSO, V. I. C., DE LUCA, M. M. M., & GALLON, A. V. Reputação corporativa e o disclosure socioambiental de empresas brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 17, n. 2, p. 26-25, 2014.

CASTRO, F. A. R., SIQUEIRA, J. R. M., & MACEDO, M. A. S. Análise da utilização dos indicadores essenciais da versão "G3", da Global Reporting Initiative, nos relatórios de sustentabilidade das empresas do setor de energia elétrica sul-americano. Revista de Informação Contábil, v. 4, n. 4, p. 83-102, 2010.

CERQUEIRA, J. E. A., SOARES, T. M., & DAVID, M. V. Novas evidências sobre a relação entre a geração de valor ao acionista e o valor de mercado das ações: uma análise em painel comparando o EVA e o MVA no mercado brasileiro. Pesquisa Operacional para o Desenvolvimento, v. 1, p. 1-19, 2009.

CHO, C. H., GUIDRY, R. P., HAGEMAN, A. M., & PATTERN, D. M. Do actions speak louder than words? An empirical investigation of corporate environmental reputation. Accounting, Organizations and Society, v. 37, n. 1, p. 14-25, 2012.

ILINITCH, A. Y.; SODERSTROM, N. S.; THOMAS, T. E. Measuring corporate environmental performance. Journal of Accounting and Policy, v. 17, n. 4-5, p. 383-408, 1998.

COLLIS, J., & HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Tradução Lúcia Simonini. Porto Alegre: Bookman, 2005.

CONCEIÇÃO, S. H., DOURADO, G. B., BAQUEIRO, A. G., FREIRE, S., & BRITO, P. C. Fatores determinantes no disclosure em responsabilidade social corporativa (RSC): um estudo qualitativo e quantitativo com empresas listadas na Bovespa. Gestão e Produção, v. 18, n. 3, p. 461-472, 2011.

CONCEIÇÃO, S. H., DOURADO, G. B., & SILVA, S. F. Global Reporting Initiative (GRI) – um estudo exploratório da prática de evidenciação em sustentabilidade empresarial na América Latina. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 2, n. 3, p. 17-38, 2012.

COSENZA, J. P. A eficácia informativa da demonstração do valor adicionado. Revista Contabilidade & Finanças – USP, Edição Comemorativa, p. 7-29, 2003.

CRUZ, C. V. O. A., & LIMA, G. A. S. F. Reputação corporativa e nível de disclosure das empresas de capital aberto no Brasil. Revista Universo Contábil, v. 6, n. 1, p. 85-101, 2010.

DAINELLI, F., BINI, L., & GIUNTA, F. Signaling strategies in annual reports: evidence from the disclosure of performance indicators. Advances in Accounting, Incorporating Advances in International Accounting, v. 29, p. 267-277, 2013.

DALMÁCIO, F. Z., LOPES, A. B., REZENDE, A. J., & SARLO, A. N. Uma análise da relação entre governança corporativa e acurácia das previsões dos analistas do mercado brasileiro. Revista de Administração Mackenzie – RAM, v. 14, n. 5, p. 104-139, 2013.

DANCEY, C., & REIDY, J. Estatística sem matemática para psicologia: usando SPSS para Windows. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DAVIES, G., CHUN, R., SILVA, R. V., & ROPER, S. Corporate reputation and competitivenes. Editora Routledge: London, 2003.

DYE, R. An evaluation of “essays on disclosure” and the disclosure literature in accounting. Journal of Accounting and Economics, v. 32, n. 1-3, p. 181-235, 2001.

EHRBAR, A. EVA®: the real key to creating wealth. New York: John Wiley & Sons, 1999.

FAMÁ, R., & GRAVA, J. W. Teoria da estrutura do capital – as discussões persistem. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 1, n. 11, p. 27-36, 2000.

FÁVERO, L. P. L., BELFIORE, P. P., CHAN, B. L., & SILVA, F. L. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. São Paulo: Campus, 2009.

FELDMAN, P. M., BAHAMONDE, R. A., & BELLIDO, I. V. A new approach for measuring corporate reputation. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 54, n. 1, p. 53-66, 2014.

FOMBRUN, C. J. List of lists: a compilation of international corporate reputation rating. Corporate Reputation Review, v. 10, n. 2, p. 144-153, 2007.

FREITAS, A. R. P., KOBAL, A. B. C., DE LUCA, M. M. M., & VASCONCELOS, A. C. Indicadores ambientais: um estudo comparativo entre empresas brasileiras e espanholas. RGSA – Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 7, n. 1, p. 34-51, 2013.

FTSE4 GOOD INDEX SERIES. Inclusion criteria. Disponível em <http://www.ftse.com/products/downloads/FTSE4Good_IBEX_Inclusion_Criteria.pdf>. Acesso em: : 29 de outubro de 2014.

GONÇALVES, C. F., BRITO, H., GOSLING, M., & SOUKI, G. Q. Os impactos da responsabilidade social corporativa na reputação da empresa e nas intenções comportamentais das comunidades: estudo empírico. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 7, n. 1, p. 37-54, 2009.

HART, S. L., & MILSTEIN, M. B. Criando valor sustentável. RAE – Revista de Administração Empresarial, v. 3, n. 2, p. 65-79, 2004.

HASSELDINE, J., SALAMA, A. I., & TOMS, J. S. Quantity versus quality: the impact of environmental disclosures on the reputations of UK Plcs. British Accounting Review, v. 37, n. 2, p. 231-248, 2005.

CARDOSO, V. I. C.; HOLANDA, A. P., OLIVEIRA, J. D.; DE LUCA, M. M. M. Investimentos em responsabilidade social corporativa e criação de valor nos maiores branco brasileiro. Registro Contábil – RECONT, v. 4, n. 2, p. 90-104, 2013.

ISSHAM, I., FAZILAH, A. S. M., HWA, Y. S., KAMIL, A. A., AYUB, A. A., & AYUB, M. A. Economic value added (EVA) as a performance measurement for GLCs vs non-GLCs: evidence from Bursa Malaysia. Prague Economic Papers, v. 3, n. 2, p. 168-179, 2008.

KIRMANI, A., & RAO, A. No pain, no gain: a critical review of the literature on signalling unobservable product quality. Journal of Marketing, v. 64, p. 66-79, 2000.

LIU, X., & ANBUMOZHI, V. Determinant factors of corporate environmental information disclosure: an empirical study of Chinese listed companies. Journal of Cleaner Production, v. 17, n. 6, p. 593-600, 2009.

LOPES, J. E. G., RIBEIRO, J. F. F., PEREIRA, D. M. V. G., SILVA, F. D. C., & SANTOS, R. Um estudo da relação entre o lucro contábil e o disclosure das companhias abertas do setor de materiais básicos. BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 7, n. 3, p. 208-220, 2010.

MACEDO, J. M. A., CORDEIRO, J. F., PEREIRA, L. A. C., RIBEIRO, J. F. R. F.; TORRES, U. C. L., & LOPES, J. E. G. Responsabilidade social e reputação corporativa: uma investigação sobre a percepção dos stakeholders numa concessionária de energia elétrica nordestina. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 5, n. 11, p. 69-86, 2011.

MACHADO-FILHO, C. A. P. F., & ZYLBERSZTAJN, D. Responsabilidade social corporativa e a criação de valor para as organizações. Revista de Administração da UNIMEP, v. 1, n.1, p. 13-34, 2003.

MACHADO-FILHO, C. A. P. F., & ZYLBERSZTAJN, D. Capital reputacional e responsabilidade social: considerações teóricas. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 11, n. 2, p. 87-98, 2004.

MAGALHÃES, P. A. O. F., & MENDES-DA-SILVA, W. Determinantes da disseminação de informações financeiras na internet. Organizações em Contexto, v. 3, p. 164-187, 2007.

MARTINS, G. A., & THEÓPHILO, C. N. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2009.

MICHELON, G. Sustainability disclosure and reputation: a comparative study. Corporate Reputation Review, v. 14, n. 2, p. 79-96, 2011.

MIRANDA, W. B., & MALAQUIAS, R. F. Análise do nível de evidenciação ambiental de empresas brasileiras que negociam ADRs na Bolsa de Valores de Nova Iorque (Nyse). Revista Ambiente Contábil, v. 5, n. 1, p. 93-111, 2013.

MOORE, D. S. (2007). The basic practice of statistics. New York: Freeman, 2007.

MURCIA, F. D.-R.; SANTOS, A. Fatores determinantes do nível de disclosure voluntário de companhias abertas no Brasil. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 3, n. 2, p. 72-95, 2009.

MURCIA, F. D.-R., & SANTOS, A. Discretionary-based disclosure: evidence from the Brazilian market. BAR – Brazilian Administration Review, v. 9, n. 1, p. 88-109, 2012.

OLIVEIRA, M. C., DE LUCA, M. M. M., PONTE, V. M. R., & PONTES, J. E. J. Disclosure of social information by Brazilian companies according United Nations indicators of corporate social responsibility. Revista de Contabilidade & Finanças, v. 20, n. 51, p. 116-132, 2009.

ROBERTS, P. W., & DOWLING, G. R. Corporate reputation and sustained superior financial performance. Strategic Management Journal, v. 23, n. 12, p. 1.077-1.093, 2002.

ROVER, S., BORBA, J. A., & MURCIA, F.D.-R. Características do disclosure ambiental de empresas brasileiras potencialmente poluidoras: Análise das demonstrações financeiras e dos relatórios de sustentabilidade do período de 2005 a 2007. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 7, n. 1, p. 23-36, 2012.

ROVER, S., TOMAZZIA, E. C., MURCIA, F. D.-R, & BORBA, J. A. Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração (São Paulo), v. 47, n. 2, p. 217-230, 2012.

SAMPIERI, R. H., COLLADO, C. F., & Lúcio, P. B. Metodologia de pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw Hill, 2013.

SÁNCHEZ, J. L. F., & SOTORRÍO, L. L. The creation of value through corporate reputation. Journal of Business Ethics, v. 76, n. 3, p. 335-346, 2007.

SANTOS, J. O., WATANABE, R. Uma análise da correlação entre o EVA® e o MVA® no contexto das empresas brasileiras de capital aberto. REGE – Revista de Gestão, v. 12, n. 1, p. 19-32, 2005.

SARKIS, J., GONZALEZ-TORRE, P., & ADENSO-DIAZ, B. Stakeholder pressure and the adoption of environmental practices: the mediating effect of training. Journal of Operations Management, v. 28, n. 1, p. 163-176, 2010.

SAVARIS, D. Economic Value Added – EVA: aplicabilidade prática às organizações, por meio de uma proposta de estudo ilustrativo. Revista: II Seminário de Ciências Sociais Aplicadas – Periódicos Unesc, v. 2, n. 2, p. 1-15, 2010.

SOUZA, F. C., MURCIA, F. D.-R., & MARCON, R. Bonding hypothesis: análise da relação entre disclosure, governança corporativa e internacionalização de companhias abertas no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 14, n. 2, p. 62-81, 2011.

SOUZA, M. M., LUNKES, R. J., & UHLMANN, V. O. Disclosure ambiental das empresas do setor de biocombustíveis com ações listadas na Bovespa: análise das demonstrações financeiras do período de 2004 a 2008. Revista Capital Científico, v. 8, n. 1, p. 93-106, 2010.

SPENCE, M. (Job market signaling. Quartely Journal of Economics, v. 87, p. 355-374, 1973.

STIGLITZ, J. E. Information and the change in the paradigm in economics. American Economic Association, v. 92, n. 3, p. 460-501, 2002.

TOMS, J. S. Firm resources, quality signals and the determinants of corporate environmental reputation: some UK evidence. British Accounting Review, v. 34, n. 3, p. 257-282, 2002.

VAN RIEL, C. B. M., & FOMBRUN, C. J. Essentials of corporate communications. New York: Routledge, 2007.

VANCE, P. S., & ÂNGELO, C. F. Reputação corporativa: uma revisão teórica. Revista Gestão USP, v. 14, n. 4, p. 93-108, 2007.

VINTRÓ, C., & COMAJUNCOSA, J. Corporate social responsibility in the mining industry: criteria and indicators. DYNA, v. 77, n. 161, p. 31-41, 20101.

WARTICK, S. L. Measuring corporate reputation – definition and data. Business & Society, v. 41, n. 4, p. 371-392, 2002.

Downloads

Publicado

02-01-2017

Como Citar

LOPES, A. C.; DE LUCA, M. M. M.; GÓIS, A. D.; VASCONCELOS, A. C. de. DISCLOSURE SOCIOAMBIENTAL, REPUTAÇÃO CORPORATIVA E CRIAÇÃO DE VALOR NAS EMPRESAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 364–382, 2017. DOI: 10.21680/2176-9036.2017v9n1ID10029. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/10029. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS