OBRIGATORIEDADE DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NA CONCEPÇÃO DOS CONTABILISTAS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS

  • Rafael Hochsprung
  • Loreci João Borges
  • Claudio Luiz de Freitas
  • Elisa Elena Espindola
  • Cristiny Ventura

Resumo

O presente estudo tem por objetivo investigar a percepçáo dos contabilistas quanto à obrigatoriedade da escrituraçáo contábil para micro e pequenas empresas. Para tanto se adota a metodologia descritiva, realizada por um levantamento, com abordagem qualitativa do problema. A populaçáo e amostra foram selecionadas com base nos registros disponíveis na página eletrônica do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis da Grande Florianópolis (SESCON- Grande Florianópolis). Adotados os procedimentos metodológicos, os resultados evidenciam que, dentre os pesquisados, prevalece a opiniáo de que a escrituraçáo contábil para micro e pequenas empresas deve ser completa. Os pesquisados entendem, ainda, que escrituraçáo contábil é envolta de normativos que, quando náo legitimam, a solicitam para integrar processos ou prova às partes. Sobre a escrituraçáo contábil, questionou-se também em relaçáo à implementaçáo do Sistema Público de Escrituraçáo Digital (SPED), que para os contabilistas da grande Florianópolis, apesar de ser um projeto inovador e se refletir indiretamente nas micro e pequenas empresas, tende a ser absorvido pelas micro e pequenas empresas devido à cadeia de informações.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-06-2011
Como Citar
HOCHSPRUNG, R.; BORGES, L. J.; FREITAS, C. L. DE; ESPINDOLA, E. E.; VENTURA, C. OBRIGATORIEDADE DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NA CONCEPÇÃO DOS CONTABILISTAS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 3, n. 1, p. 20-36, 16 jun. 2011.
Seção
ARTIGOS