Remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas do IBRX-50

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2022v14n2ID26094

Palavras-chave:

Remuneração dos executivos; desempenho financeiro; desempenho econômico; desempenho socioambiental.

Resumo

Objetivo: Este estudo objetivou analisar as relações entre a remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas brasileiras de capital aberto.

Metodologia: A amostra do estudo compreende as empresas do Índice Brasil 50 (IBrX-50), carteira de maio a agosto de 2020. Após exclusões a amostra final da pesquisa compõe 34 empresas, um total de 68 observações e o período de análise de 2018 a 2019. Os dados foram coletados manualmente no item 13 do Formulário de Referência e no website de cada empresa. Para a análise dos dados utilizou-se de técnicas estatísticas, como descritivas, correlações e regressões lineares múltiplas.

Resultados: No modelo 1 as variáveis Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) e Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) apresentaram relações significativas e negativas com a Remuneração Total Média (RTM), indicando que quanto maior o ROE das empresas, menor é a RTM. Também, a variável Endividamento (ENDIV) apresentou uma relação significativa e positiva, onde quanto maior o ENDIV da empresa, maior é a RTM. Para o modelo 2 de Remuneração Fixa (RF), o ROE também apresentou relação significativa e negativa. As variáveis Lucro por Ação (LPA) e ENDIV apresentaram uma relação significativa e positiva, indicando que maiores valores nessas variáveis irão aumentar a RF dada aos executivos.

Contribuições do Estudo: Este estudo contribui para literatura sobre remuneração e desempenho ao acrescentar variáveis socioambientais ao arcabouço teórico e prático por meio da interconexão da remuneração dos executivos. Assim, foi possível compreender novas relações entre os fatores econômico-financeiros tradicionais e socioambientais, ao mesmo tempo que, a boa comunicação e as boas práticas de governança com os stakeholders apresentam resultados positivos para a organização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline de Araújo dos Santos Ramos, Universidade Positivo

Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Positivo.

Janaína da Silva Ferreira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Contabilidade na Universidade Federal de Santa Catarina.

Alessanderson Jacó de Carvalho, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Contabilidade na Universidade Federal de Santa Catarina.

Lucas Martins Dias Maragno, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

Aguiar, A. B. D., & Pimentel, R. C. (2017). Remuneração de executivos e desempenho no mercado brasileiro: relações contemporâneas e defasadas. Revista de Administração Contemporânea, 21, 545-568. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017160228

Assaf, A. N. (2014). Finanças Corporativas e valor (7th ed.). Atlas.

B3. (2020). Brasil, Bolsa, Balcão. Índice Brasil 50 (IBrX 50). http://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/indices/indices-amplos/indice-brasil-50-IBrX-50-composicao-da-carteira.htm

Beuren, I. M., da Silva, M. Z., & Mazzioni, S. (2014). Remuneração dos executivos versus desempenho das empresas. Revista de Administração FACES Journal. 13(2), 8-25.

Beuren, I. M., Pamplona, E., & Leite, M. (2020). Remuneração dos Executivos e Desempenho em Empresas Brasileiras Familiares e Não Familiares. Revista de Administração Contemporânea, 24, 514-531. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2020190191

Bigarelli, B. (2020). Rever remuneração é desafio nas organizações, mostra análise. https://valor.globo.com/carreira/noticia/2020/06/12/rever-remuneracao-e-desafio-nas-organizacoes-mostra-analise.ghtm

Bruce, P., & Bruce, A. (2019). Estatística Prática para cientistas de dados: 50 conceitos essenciais. Alta Books.

Cavaco, S., Crifo, P., & Guidoux, A. (2020). Corporate Social Responsibility and Governance: The Role of Executive Compensation. Industrial Relations: A Journal of Economy and Society, 59(2), 240-274. DOI: https://doi.org/10.1111/irel.12254

Chiavenato, I. (2009). Remuneração, benefícios e relações de trabalho: como reter talentos na organização. Manole.

Chiavenato, I. (2014). Gestão financeira: uma abordagem introdutória (3rd ed.).

Dani, A. C., Panucci Filho, L., Michels, A., Gonçalves, M., & Zonatto, V. C. da S. (2017). Relação Entre Remuneração De Executivos, Responsabilidade Social Corporativa E O Desempenho Empresarial De Companhias Brasileiras. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, 6(2), 431. DOI: https://doi.org/10.19177/rgsa.v6e22017431-454

Fernandes, F. C., & Mazzioni, S. (2015). A Correlação entre a Remuneração dos Executivos e o Desempenho de Empresas Brasileiras do Setor Financeiro. Contabilidade Vista & Revista, 26(2), 41–64.

Ferreira, L. F., Três, L. D., Garcia, G. E., Junior, F. J. B., & Ferreira, D. D. M. (2009). Indicadores de Sustentabilidade Empresarial: uma comparação entre os indicadores do balanço social IBASE e relatório de sustentabilidade Segundo as diretrizes da global reporting initiative GRI. Simpósio de Excelência Em Gestão e Tecnologia (SEGET).

Flammer, C., Hong, B., & Minor, D. (2019). Corporate governance and the rise of integrating corporate social responsibility criteria in executive compensation: Effectiveness and implications for firm outcomes. Strategic Management Journal, 40(7), 1097-1122.

Giacomelli, G., Elias, F., Colombo, J. A., Barreto, J. S., Canto, L., Bordin, M. S., Alves, A., Lozanda, G., Antoni, G., Saraiva, M. O., Júnior, R. L. A., & Pereira, V. (2017). Governança Corporativa. Sagah Educação.

Gol Linhas Aereas Inteligentes S.A. (2018). Notas explicativas. https://ri.voegol.com.br/conteudo_pt.asp?idioma =0&conta=28&tipo= 53858 &ano=2018.

Jensen, M. C., & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, 3(4), 305–360. DOI: https://doi.org/10.1016/0304-405X(76)90026-X

Krauter, E. (2013). Remuneração de executivos e desempenho financeiro: um estudo com empresas brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 7(3), 259-273. DOI: https://doi.org/10.17524/repec.v7i3.988

Larrate, M. (2013). Governança corporativa e remuneração dos gestores. Atlas.

Larson, R., Farber, B., Gonçalves, P. F. J., & Salgado, H. M. (2015). Estatística Aplicada. Pearson Education do Brasil.

Lopes, I. F., Gasparetto, V., Schnorrenberger, D., & Lunkes, R. J. (2017). Relação de desempenho financeiro e dos riscos operacionais na remuneração de executivos de empresas brasileiras com ADRs. Contabilidade Vista & Revista, 28(3), 22–52.

Maas, K. (2018). Do corporate social performance targets in executive compensation contribute to corporate social performance?. Journal of Business Ethics, 148(3), 573-585. DOI: https://doi.org/10.1007/s10551-015-2975-8

Martins, E. (2018). Contabilidade de Custos (11th ed.). Atlas.

Martins, E., Miranda, G. J. & Diniz, J. A. (2019). Análise didática das demonstrações contábeis. São Paulo: Atlas.

Oliveira, D. P. R. (2015). Governança Corporativa na Prática: Integrando Acionistas, Conselho de Administração e Diretoria (3rd ed.). Atlas.

Rissatti, J. C., Salvador de Souza, J. A., & Borba, J. A. (2019). O que Informam os Formulários de Referência sobre as Características e Remuneração de Executivos? Sociedade, Contabilidade e Gestão, 14(1), 54–75. DOI:https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.17527

Silva, A. L. C. (2014). Governança corporativa e sucesso empresarial: melhores práticas para aumentar o valor da firma (2nd ed.). Saraiva.

Silva, Andre Luiz Carvalhal da, & Chien, A. C. Y. (2013). Remuneração Executiva, Valor e Desempenho das Empresas Brasileiras Listadas. Brazilian Review of Finance, 11(4), 481. DOI: https://doi.org/10.12660/rbfin.v11n4.2013.7224

Silva, M. Z., Mazzioni, S., & Beuren, I. M. (2012). Análise da relação entre remuneração dos executivos e desempenho das empresas brasileiras de capital aberto. XIX Congresso Brasileiro de Custos.

Silveira, A. D. M. (2010). Governança corporativa no Brasil e no mundo: teoria e prática. Elsevier.

Silveira, A. D. M. (2014). Governança corporativa: o essencial para líderes. Elsevier.

Souza, R. J. de, Rissatti, J. C., Borba, J. A., & Lunkes, R. J. (2019). Remuneração de executivos e indicadores de desempenho: Brasil versus EUA. Revista Mineira de Contabilidade, 20(2), 5–19. DOI: https://doi.org/10.21714/2446-9114RMC2019v20n2t01

Tannuri, G., & Van Bellen, H. M. (2014). Indicadores De Desempenho Ambiental Evidenciados Nos Relatórios De Sustentabilidade: Uma Análise À Luz De Atributos De Qualidade. Revista de Gestão Social e Ambiental, 8(1), 02. DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v8i1.790

Vale S.A. (2019). Notas explicativas. http://www.vale.com/PT/investors/information-market/financial-statements/Financial StatementsDocs/BRGAAP 1T19_Final.pdf

Venkatraman, N. & Ramanujam, V. (1987). Measurement of business economic performance: an examination of method convergence. Journal of Management, 1(1),109-122. DOI: https://doi.org/10.1177/014920638701300109

Downloads

Publicado

04-07-2022

Como Citar

RAMOS, A. de A. dos S. .; FERREIRA, J. da S.; CARVALHO, A. J. de .; MARAGNO, L. M. D. . Remuneração dos executivos e os desempenhos econômico-financeiro e socioambiental das empresas do IBRX-50. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 94–111, 2022. DOI: 10.21680/2176-9036.2022v14n2ID26094. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/26094. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)