Influência dos estilos de liderança na capacidade de aprendizagem e no uso do orçamento: um estudo em cooperativas agroindustriais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n1ID31814

Palavras-chave:

Estilos de liderança, Capacidade de Aprendizagem, Uso do Orçamento Diagnóstico, Uso do Orçamento Interativo

Resumo

Objetivo: Investigar as influências dos estilos de liderança na capacidade de aprendizado e nos tipos do uso do orçamento empresarial em cooperativas agroindustriais.

Metodologia: Trata-se de uma pesquisa descritiva, quanto aos objetivos, de levantamento de campo ou survey, no tocante aos procedimentos, é quantitativa com aplicação da técnica estatística modelagem de equações estruturais com estimação por mínimos quadrados parciais por meio do SmartPLS.

Resultados: Foi possível constatar que (i) a liderança transacional apresentou influência positiva com relação ao uso diagnóstico do orçamento; (ii) a capacidade de aprendizagem organizacional como mediadora da liderança transformacional no uso interativo do orçamento apresentou o resultado esperado; (iii) a liderança transformacional apresentou significância positiva na aprendizagem organizacional; (iv) a capacidade de aprendizagem organizacional teve significância positiva no uso interativo do orçamento.

Contribuições do Estudo: Esta pesquisa contribuiu para evidenciar que o papel do gestor vai além de elaborar, aplicar e acompanhar o orçamento; ele precisa canalizar esforços ou demandar tempo para o processo de gestão, uma vez que os colaboradores percebem a sua importância e contribuem de forma efetiva quando engajados com a organização em que trabalham, foi possível verificar que o estilo do líder tem influência significativa na utilização da referida ferramenta e que esta pode ser uma grande aliada dos gestores se bem desenvolvida.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elvis Joel Rodrigues da Silva, Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestre em Contabilidade pelo PPGC/UNIOESTE.  Possui graduação em Ciências Contábeis pela União Educacional de Cascavel (2013) e Pós Graduação em Gestão Tributaria (2016). Técnico em Administração pelo Centro Estadual de Educação Profissional Pedro Boaretto Neto - CEEP. Atualmente é coordenador fiscal - Infasa Indústria de Farinhas.

Leandro Augusto Toigo, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela FURB, Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos (2007), Especialista em Controladoria pela Universidade Regional Integra - URI (2005), Bacharel em Ciências Contábeis pela URI (2003). Ao todo, publicou 2 capítulos de livros, mais de 40 artigos em revistas científicas, aproximadamente 55 artigos em congressos científicos nacionais e internacionais e 9 resumos expandidos. Entre as publicações, encontram-se artigos em congressos renomados e em periódicos qualificados como A2 e B1. Revisor de 9 periódicos, dentre eles: Revista REUNIR, Revista Contemporânea de Contabilidade (RCC), Revista Contabilidade e Controladoria - RC&C, Revista Universo Contábil e RGO. Revista Gestão Organizacional. No total, entre periódicos e eventos, avaliou mais de 50 manuscritos. Membro do conselho editorial e Editor de seção da Revista Ciências Sociais em Perspectiva. Atualmente é coordenador do grupo de pesquisa CGCO ? Contabilidade Gerencial e Controle em Organizações (certificado no Cnpq desde 2015). Possui experiência na coordenação de projeto financiado pela Fundação Araucária-PR. Foi Coordenador do Mestrado em Contabilidade. Atualmente ministra a disciplina Planejamento e Controle gerencial no mestrado e Planejamento e orçamento empresarial e TCC na graduação. Foi Coordenador do Curso de Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Tocantins - UFT e professor Assistente do curso. Professor Mestre da Faculdade Católica do Tocantins. Atuou como professor da Fundação Universitária do Tocantins - UNITINS, e também da Faculdades Planalto (FAPLAN). Atuou em Escritório de Contabilidade no setor contábil. Tem experiência na área contábil e administrativa do setor industrial onde desempenhou atividades no Setor Financeiro e Fiscal. Desempenhou a função de Diretor Executivo da Diretoria de Tecnologias Educacionais da Universidade Federal do Tocantins - DTE/UFT, e também foi Coordenador da Universidade Aberta do Brasil na UFT, e ainda, foi avaliador de polos UAB da CAPES. E-mail para contato: leandro.toigo@unioeste.br.

Vinicius Abílio Martins, Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Docente na UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, dos Programas de Pós-Graduação em Contabilidade (PPGC) e em Administração (PPGAdm), campus Cascavel, e da Graduação em Ciências Contábeis, campus de Foz do Iguaçu. Atualmente é Auditor da UNIOESTE (Chefe da Auditoria Interna) desde 2020. Doutor em Contabilidade pela UFSC. Mestre em Administração pela PUCPR, Especialista (MBA) em Gestão Contábil, Financeira e Auditoria pela UNIOESTE, em Gestão Pública pela UFPR, em Gestão de Projetos pela Universidade Positivo. Graduado em Ciências Contábeis pela UNIOESTE e em Administração pela UNIPAR. Experiência como Auditor Interno (UNIOESTE), mercado financeiro, área pessoa jurídica, física e agronegócio (Banco do Brasil); área previdenciária (INSS), contador público federal, e Conselheiro Universitário (UNILA). Área de interesse de pesquisa: Avaliação de Desempenho para Apoio à decisão e Processo decisório.

Edicreia Andrade dos Santos, UFPR - Universidade Federal do Paraná

Doutora em Contabilidade (2019) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Contabilidade (2016) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Graduada em Ciências Contábeis (2012) e em História Licenciatura Plena (2007) pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), campus de Irati/PR. Atualmente é Professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), atuando na Graduação de Ciências Contábeis e no Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal do Paraná (PPGCONT/UFPR). Editora adjunta da Revista Contabilidade e Controladoria ? RC&C (ISSN 1984-6266). Coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Paraná desde 08/2022. Possui experiências nas áreas administrativa, auditoria interna, controladoria e contabilidade; além de experiências com Educação à Distância (EAD) na elaboração de materiais didáticos e gravação de aulas para cursos de graduação e Pós-graduação lato sensu da área de negócios. Tem como interesse de pesquisa: contabilidade gerencial, sistema de controle gerencial, avaliação de desempenho. Possui publicações em eventos e periódicos brasileiros e internacionais qualificados.

Referências

Abernethy, M. A., & Brownell, P. (1999). The role of budgets in organizations facing strategic change: an exploratory study. Accounting Organizations and Society, 24.

Agostinho, A. M. (2014). Liderança Transformacional/Transacional: que impacto no cinismo

organizacional? Dissertação de Mestrado. Escola Superior de Comunicação Social. Lisboa, Portugal.

Almeida, M. C. P. (2012). Liderança Escolar e Satisfação com o Líder: uma relação possível? (Dissertação de mestrado) In Instituto Superior de Educação e Ciências. Lisboa, Portugal.

Amabile, T. M., Schatzel, E. A., Moneta, G. B., & Kramer, S. J. (2004). Leader behaviors and the work environment for creativity: Perceived leader support. The Leadership Quarterly, 15, 5–32. https://doi.org/10.1016/j.leaqua.2003.12.003

Ardichvili, A., & Gasparishvili, A. (2001). Socio-Cultural Values, Internal Work Culture and Leadership Styles in Four Post-Communist Countries. International Journal of Cross-Cultural Management, 227–242. https://doi.org/10.1177/147059580112006

Bass, B. M. (1990). From Transactional to Transformational Leadership: Learning to Share the Vision. Organizational Dynamics, 18, 19–32. http://dx.doi.org/10.1016/0090-2616(90)90061-s

Bass, B. M. (1997). Does the Transactional-Transformational Leadership Paradigm Transcend Organizational and National Boundaries? American Psychologist, 52(2).

Bass, B. M., & Riggio, R. E. (2005). Transformational Leadership. In P. Lawrence Erlbaum Associates (Ed.), Transformational Leadership: Second Edition (Second Edi). https://doi.org/10.4324/9781410617095

Benevides, V. L. (2010). Os estilos de liderança e as principais táticas de influência utilizadas pelos líderes brasileiros. (Dissertação de Mestrado) Fundação Getúlio Vargas – FGV, Rio de Janeiro, Brasil.

Bento. A. V; & Ribeiro, M. I. (2013). A liderança Escolar a Três Dimensões: Diretores, Professores e Alunos (1 ed.). Bragança, Oficina de São Miguel.

Bergh, D. D., & Lim, E. N. (2008). Learning how to restructure: absorptive capacity and improvisational views of restructuring actions and performance. Strategic Management Journal, 616, 593–616. https://doi.org/10.1002/smj

Bisbe, J., & Otley, D. (2004). The effects of the interactive use of management control systems on product innovation. Accounting, Organizations and Society, 29, 709–737. https://doi.org/10.1016/j.aos.2003.10.010

Bortoloto, G. T. (2020). Utilização do e-learning no ensino superior: uma análise da satisfação dos estudantes de cursos presenciais de graduação. (Dissertação de Mestrado) Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Brownell P. & Dunk, A. S. (1991). Task Uncertainty and Its Interaction with Budgetary Particpion and Budget Emphasis: Some methodological issues and empirical investigation. Accounting, organizations and Society, 16, 693-703.

Brüggemann, E. R., Monteiro, J. J., & Lunkes, R. J. (2022). Influência do sistema de mensuração de desempenho na agilidade organizacional e na inovação aberta. Revista de Contabilidade e Organizações, 16, e193897. https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2022.193897

Brumatti, N. V. (2019). Traços de Personalidade e sua Influência no uso e no desempenho do orçamento gerencial: Um estudo em grandes empresas paranaenses. (Dissertação de Mestrado) Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil

Chin, W. W. (1998). The Partial Least Squares Approach to Structural Equation Modeling. Modern Methods for Business Research, January 1998, 295–336.

Chiva, R., Alegre, J., & Lapiedra, R. (2007). Measuring organisational learning capability among the workforce. International Journal of Manpower, 28(3–4), 224–242. https://doi.org/10.1108/01437720710755227

Chong, K. M., & Mahama, H. (2013). The impact of interactive and diagnostic uses of budgets on team effectiveness. Management Accounting Research, 25(3), 206–222. https://doi.org/10.1016/j.mar.2013.10.008

Couto-de-Souza, C. L., & Tomei, P. A. (2008). Impactos de uma liderança transacional em um processo de mudança transformacional. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 8(2), 98–120.

Covaleski, M. A., & Dirsmith, M. W. (1986). The Budgetary Process of Power and Politics. Accounting, Organizations and Society, 11(3), 193–214. https://doi.org/10.1016/0361-3682(86)90021-8

Covaleski Mark, Evans,John H. Luft, Joan Shields, M. D. (2007). Budgeting Research: Three Theoretical Perspectives and Criteria for Selective Integration. Handbooks of Management Accounting Research, 3243(06). https://doi.org/10.1016/S1751-3243(06)02006-2

Crossan, M. M., Lane, H. W., & White, R. E. (1999). An Organization Learning Framework: From Intuition to Institution. The Academy of Management Review, July, 522–537. https://doi.org/10.2307/259140

Cruz, A. P. C. da, Frezatti, F., & Bido, D. de S. (2015). Estilo de Liderança, Controle Gerencial e Inovação: Papel das Alavancas de Controle. Revista de Administração Contemporânea, 19(6), 772–794. https://doi.org/http://dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac2015150099

Cugueró-Escofet, N., & Rosanas, J. M. (2013). The just design and use of management control systems as requirements for goal congruence. Management Accounting Research, 24(1), 23–40. https://doi.org/10.1016/j.mar.2012.11.001

Cummings, G. G., MacGregor, T., Davey, M., Lee, H., Wong, C. A., Lo, E., Muise, M., & Stafford, E. (2010). Leadership styles and outcome patterns for the nursing workforce and work environment: A systematic review. International Journal of Nursing Studies, 47(3), 363–385. https://doi.org/10.1016/j.ijnurstu.2009.08.006

Cyfert S, Chwiłkowska-Kubala A, Szumowski W,. & Miśkiewicz R (2021) The process of developing dynamic capabilities: The conceptualization attempt and the results of empirical studies. PLOS ONE 16(4): e0249724. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0249724

Dal Mas, L.O. and Barac, K. (2018), "The influence of the chief audit executive’s leadership style on factors related to internal audit effectiveness", Managerial Auditing Journal, Vol. 33 No. 8/9, pp. 807-835. https://doi.org/10.1108/MAJ-12-2017-1741

Eagly, A. H., Johannesen-Schmidt; M. C., & Engen, M. L. Van. (2003). Transformational, Transactional, and Laissez-Faire Leadership Styles: A Meta-Analysis Comparing Women and Men. Psychological Bulletin, 129(4), 569–591. https://doi.org/10.1037/0033-2909.129.4.569

Easterby-smith, M., Crossan, M., & Nicoijni, D. (2000). Organizational Learning: Debates Past, Present and future. Journal of Management Studies, 784–796. https://doi.org/10.1111/1467-6486.00203

Egri, C. P., & Herman, S. (2000). Leadership in the North American environmental sector: Values, leadership styles, and contexts of environmental leaders and their organizations. Academy of Management Journal, 43(4), 571–604. https://doi.org/10.2307/1556356

Faul, F., Erdfelder, E., Buchner, A., & Lang, A. G. (2009). Statistical power analyses using G*Power 3.1: Tests for correlation and regression analyses. Behavior Research Methods, 41(4), 1149–1160. https://doi.org/10.3758/BRM.41.4.1149

Fogaça, L. T. F. B. (2019) A Influência da Autoeficácia nos Estilos de Liderança, no Uso do Orçamento e no Desempenho: Estudo Sob A Ótica Da Teoria Social Cognitiva (Dissertação de mestrado) Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Brasil

Freitas, a. L. P.; rodrigues, s. G. (2005). Uma análise utilizando o coeficiente alfa de cronbach. Xii simpep.

Frezatti, F. (2005). Beyond budgeting inovação ou resgate de antigos conceitos do orçamento empresarial? Revista de Administração de Empresas, 45, 23–33. http://www.scielo.br/pdf/rae/v45n2/v45n2a03.pdf

Grant, R, M. (1996). Toward a knowledge-based theory of the firm. Strategic Management Journal, 17(Special Issue), 109–122.

Green, S. B., & Yang, Y. (2009). Commentary on coefficient alpha: A cautionary tale. Psychometrika, 74(1), 121–135. https://doi.org/10.1007/s11336-008-9098-4

Guerra, R. M. de A., Tartarotti, S., & Camargo, M. E. (2018). Liderança transacional e transformacional: uma análise fatorial exploratória sobre as variáveis influenciadoras. Revista Eletrônica de Administração e Turismo - ReAT, 12(6), 1482–1502.

Hair Jr, J. F., Hult, G. T. M., Ringle, C. M., Sarstedt, M., Danks, N. P., & Ray, S. (2021). Partial least squares structural equation modeling (PLS-SEM) using R: A workbook. In Springer Cham. https://doi.org/10.1080/1743727x.2015.1005806

Hanges, P. J., Dorfman, P. W., & Shteynberg, G. (2005). Advances in Global Leadership Article information: Advances in Global Leadership, 4, 7–37.

Hansen, S. C., & Van der Stede, W. A. (2004). Multiple facets of budgeting: an exploratory analysis. Management Accounting Research, 15, 415–439. https://doi.org/10.1016/j.mar.2004.08.001

Hermawati, A., & Gunawan, E. (2021). The implementation of dynamic capabilities for small and medium-sized enterprises in creating innovation. VINE Journal of Information and Knowledge Management Systems, 51(92–108). https://doi.org/10.1108/VJIKMS-08-2019-0121

Hofmann, S., Wald, A., & Gleich, R. (2012). Determinants and effects of the diagnostic and interactive use of control systems: An empirical analysis on the use of budgets. Journal of Management Control, 23(3), 153–182. https://doi.org/10.1007/s00187-012-0156-9

Heinzmann, L. M. (2004). Avaliação Da Capacidade De Aprendizagem Organizacional Um Estudo Comparativo. (Dissertação de Mestrado) Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Jogulu, U. D., & Wood, G. J. (2006). The role of leadership theory in raising the profile of women in management. Equal Opportunities International, 25(4), 236–250. https://doi.org/10.1108/02610150610706230

Lane, P. J., Koka, B. R., & Pathak, S. (2006). The reification of absorptive capacity: A critical review and rejuvenation of the construct. Academy of Management Review, 31(4), 833–863. https://doi.org/10.5465/amr.2006.22527456

Lok, P., & Crawford, J. (2004). The effect of organisational culture and leadership style on job satisfaction and organisational commitment: A cross-national comparison. Journal of Management Development, 23(4), 321–338.

Lopes, C. C. S; Rocha, R. O; Silva, F. S; (2021) Cultura De Inovação: A Liderança Transformacional Como Propulsora À Cultura Inovativa. International Journal of Knowledge Engineering and Management v. 10, n. 26, p. 32-63, 2021

Malagueño, R.; Bisbe, J. (2010). The Role of Management Accounting and Control Systems as Antecedents of Organizational Creativity and Innovation Capabilities SSRN Electronic Journal, November.

Martins, V. A. (2015). Proposta de um Mapa Estratégico para uma Universidade Pública. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 3(2), 88–103. https://doi.org/10.18405/recfin20150206

Mccoll-kennedy, J. R., & Anderson, R. D. (2002). Impact of leadership style and emotions on subordinate performance. The Leadership Quarterly, 13, 545–559.

McDowelle, J. O. (2009). A Contemporary Consideration of Transformative Leadership. Journal of Curriculum and Instruction, 3(2), 1–5.

Merchant, K. A. (1981) The design of the corporate budgeting system: influences on managerial behavior and performance. The Accounting Review, v. 56, n. 4, p. 813-829, oct

Mucci, D. M., & Frezatti, F. (2018). De Que Forma Os Gestores Percebem As Críticas Ao Orçamento Empresarial? Revista Universo Contábil, 13(4), 127. https://doi.org/10.4270/ruc.2017429

Neitzke, A. C. A. (2015). A Coexistência de Apolo e Dionísio: Influência da Estratégia e do Estilo de Liderança no Design e Uso do Orçamento Sob a égide da Teoria Contingencial. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Contabilidade. USP.

Northouse, P. G. (2018). Leadership: theory and practice (8th ed.). California: Sage Publications.

OCB. (30 de junho de 2021). Organização das Cooperativas Brasileiras. Fonte: OCB: https://www.ocb.org.br/numeros

Oliveira, R.M; Beuren, I. M. (2021). Influência Da Criatividade Da Equipe Na Inovação De Processos E Da Inovação De Processos No Desempenho Organizacional: Efeitos Do Uso Diagnóstico E Interativo Dos Sistemas De Controle. Revista Universo Contábil, 1–23. https://doi.org/10.4270/ruc.2021211

Otley, D. T. (1978). Budget Use and Managerial Performance. Journal of Accounting Research, 16(1), 122. https://doi.org/10.2307/2490414

Padilha Klein, C., Wojahn Matte, R., Gomes, G., & Machado Del Prá Neto, D. (2016). Capacidade De Aprendizagem Organizacional E Desempenho Inovador: Percepção Dos Atores De Uma Empresa Têxtil. RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 15(1), 327. https://doi.org/10.18593/race.v15i1.7911

Panizzon, M. (2016). A influência da capacidade de aprendizado, da criatividade organizacional, da orientação empreendedora internacional, da capacidade tecnológica e da capacidade de reconfiguração na habilidade em desenvolvimento de novos produtos. (Dissertação de Mestrado) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande Do Sul – Rio grande do Sul, RS, Brasil

Pennisi, E. (2005). How did cooperative behavior evolve. Science, 309(5731), 93. https://doi.org/10.1126/science.309.5731.93

Pinto, G. A. P., & Chavez, J. R. A. (2012). O uso do coeficiente alfa de Cronbach nos resultados de um questionário para avaliação dos serviços no setor de transporte urbano por ônibus. XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 11.

Pizzi, P. (2017). A Influência Dos Estilos De Lideranças Transformacional E Transacional No Nível De Comprometimento De Uma Cooperativa De Crédito Do Sul Do Brasil. (Dissertação de Mestrado) Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR, Brasil

Ringle, C. M., Da Silva, D., & Bido, D. D. S. (2014). Modelagem de Equações Estruturais com Utilização do Smartpls. Revista Brasileira de Marketing, 13(2), 56–73. https://doi.org/10.5585/remark.v13i2.2717

Ringle, C. M., Wende, S., and Becker, J.-M. 2015. "SmartPLS 3." Boenningstedt: SmartPLS GmbH, http://www.smartpls.com.

Schiff, M., & Lewin, A. Y. (1970). The impact of people on budgets. The Accounting Review, 45(2), 259-268.

Seltzer, J., & Bass, B. M. (1990). Transformational Leadership: Beyond Initiation and Consideration. Journal of Management, 16(4), 693–703.

Silva, P. de S., Rodrigues, F. D. M., & Queiroz, S. N. de. (2017). Trabalhadores em cargos de liderança no mercado de trabalho formal brasileiro entre os anos de 1995, 2005 e 2015. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, 14(24), 266–284. https://doi.org/doi.org/10.22481/cssa.v14i24.3238

Silva, T. B. de J., Beuren, I. M., Monteiro, J. J., & Lavarda, C. E. F. (2022). Comportamento estratégico e uso dos sistemas de controle gerencial em cooperativas agroindustriais. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 24(1), 112–125. https://doi.org/https://doi.org/10.7819/rbgn.v24i1.4138

Silva, R. M. A. da, & Nunes, E. M. (2023). Agricultura familiar e cooperativismo no Brasil: uma caracterização a partir do Censo Agropecuário de 2017 Family agriculture and cooperativism in Brazil : a characterization. Revista de Economia e Sociologia Rural, 61(2), 1–22. http://dx.doi.org/10.1590/1806-9479.2021.252661

Simons, R. (1994). How New Top Managers Use Control Systems as Levers of Strategic Renewal. Strategic Management Journal, 15(November 1992), 169–189.

Sohn, A. P. L., Vieira, F. D., Casarotto Filho, N., & Souza, J. A. (2013). Gestão Estratégica do Conhecimento: Uma Proposta de Formação Profissional. Revista de Ensino de Engenharia, 32(2), 31–38. https://doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v32n2p31-38

Sok, P., O’Cass, A., & Sok, K. M. (2013). Achieving superior SME performance: Overarching role of marketing, innovation, and learning capabilities. Australasian Marketing Journal, 21(3), 161–167. https://doi.org/10.1016/j.ausmj.2013.04.001

Takahashi, A. R. W., & Fischer, A. L. (2010). Processos de aprendizagem organizacional no desenvolvimento de competências em instituições de ensino superior para a oferta de cursos superiores de tecnologia [CSTS]. Revista de Administração Contemporânea, 14(5), 818–835. https://doi.org/10.1590/s1415-65552010000500004

Vizeu, F. (2011) Uma aproximação entre liderança transformacional e teoria da ação comunicativa. Revista de Administração da Mackenzie, v. 12, n. 1, p. 53-81.

Von Krogh, G., Nonaka, I., & Aben, M. (2001). Making the most of your company’s knowledge: A strategic framework. Long Range Planning, 34(4), 421–439. https://doi.org/10.1016/S0024-6301(01)00059-0

Yukl, G. (2012). Leadership in Organizations (8th edition) Albany: Pearson.

Downloads

Publicado

02-01-2024

Como Citar

SILVA, E. J. R. da .; TOIGO, L. A.; MARTINS, V. A. M.; SANTOS, E. A. dos S. Influência dos estilos de liderança na capacidade de aprendizagem e no uso do orçamento: um estudo em cooperativas agroindustriais. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 393–418, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n1ID31814. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/31814. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (Survey) (S3)