Ensino remoto: a eficiência da rede federal de educação profissional no ano da pandemia de Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n2ID31894

Palavras-chave:

Rede Federal, Educação Profissional, Eficiência, Análise Envoltória de Dados, Covid

Resumo

Objetivo: Este artigo teve o objetivo de analisar a eficiência técnica da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica referente ao ano de 2020, pela comparação dos dados com os três anos anteriores. Em 2020, as instituições suspenderam as atividades acadêmicas presenciais como medida preventiva para evitar o contágio do Sars-CoV-2, vírus que causa a Covid-19.

Metodologia: A pesquisa, com abordagem quantitativa, examinou 41 instituições entre 2017 e 2020 por meio do método da Análise Envoltória de Dados (DEA).

Resultados: A eficiência técnica de 2018 foi a mais baixa entre os anos analisados, mas os números de 2020 são menos satisfatórios que os anos entre 2017 e 2019. Em 2020, 29,3% das instituições foram consideradas ineficientes ou com eficiência fraca. No entanto, em média, as unidades mantiveram o padrão de eficiência técnica registrado desde 2017.

Contribuições do Estudo: Os resultados contribuem com a transparência das organizações públicas; com informações sobre a relação custo-benefício dos serviços públicos; identificam melhores práticas no uso de recursos públicos, que podem auxiliar a tomada de decisão de unidades ineficientes; e mostram que há necessidade de melhorias na gestão educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine Cristine Rodrigues dos Santos, Universidade Federal de Alagoas

Mestra em Administração Pública pelo Profiap, Universidade Federal de Alagoas. Jornalista do Instituto Federal de Alagoas – Ifal.

Rodrigo Vicente dos Prazeres, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor do Mestrado Profissional em Administração Pública - Profiap/Ufal.

Madson Bruno da Silva Monte, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor do Mestrado Profissional em Administração Pública - Profiap/Ufal.

Nicholas Joseph Tavares da Cruz, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Mestrado Profissional em Administração Pública - Profiap/Ufal.

Anderson de Barros Dantas, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Mestrado Profissional em Administração Pública - Profiap/Ufal.

Referências

Almeida, A. T. C. de, & Gasparini, C. E. (2011). Gastos Públicos Municipais e Educação Fundamental na Paraíba: Uma Avaliação usando DEA. Revista Econômica Do Nordeste, 42(3), 621–639.

Almeida, I. S., & Pitombeira, A. R., Neto (2020). Eficiência dos serviços de segurança pública no Brasil: uma análise por envoltória de dados. Exacta, 18(3), 540–560. https://doi.org/10.5585/exactaep.v18n3.10928

Banker, R. D., Charnes, A., & Cooper, W. W. (1984). Some Models for Estimating Technical and Scale Inefficiencies in Data Envelopment Analysis. Management Science, 30(9), 1078–1092. https://doi.org/10.1287/mnsc.30.9.1078

Bartoluzzio, A. I. S. de S., Martins, V. G., Queiroz, D. B. de, & Miranda, L. C. (2021). Qualidade do gasto em educação e ciclos políticos: uma avaliação nos municípios da Paraíba. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, 26(83), 1–21. https://doi.org/10.12660/cgpc.v26n83.79829

Castro, M. de S., & Sousa, E. P. de. (2018). Eficiência dos gastos públicos da Rede de Ensino Municipal Cearense. Gestão & Regionalidade, 34(100), 92–109. https://doi.org/http://10.13037/gr.vol34n100.2596

Charnes, A., Cooper, W. W., & Rhodes, E. (1978). Measuring the efficiency of decision making units. European Journal of Operational Research, 2, 429–444.

Colombo, I. M. (2020). Escola de Aprendizes Artífices ou Escola de Aprendizes e Artífices? Educar Em Revista, 36, 1–28. https://doi.org/10.1590/0104-4060.71886

Decreto n. 7.566, de 23 de setembro de 1909. (1909). Créa nas capitaes dos Estados da Escolas de Aprendizes Artífices, para o ensino profissional primario e gratuito. Rio de Janeiro, RJ. Recuperado de https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-7566-23-setembro-1909-525411-publicacaooriginal-1-pe.html

Dutra, R. S., Dutra, G. B. M., Parente, P. H. N., & Paulo, E. (2019). O que mudou no desempenho educacional dos Institutos Federais do Brasil? Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas Em Educação, 27(104), 631–653. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002701777

Firmino, R. G., & Leite, P. A. M., Filho (2018). Eficiência na aplicação dos recursos públicos da educação básica. Revista de Contabilidade Do Mestrado Em Ciências Contábeis Da UERJ, 23(1), 28–49.

Furtado, L. L., & Campos, G. M. (2015). Grau de eficiência técnica dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia e a relação dos custos, indicativos de expansão e retenção junto aos escores de eficiência. Revista de Educação e Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 9(3). https://doi.org/10.17524/repec.v9i3.1230

Gresele, W. D., & Krukoski, F. Â. (2018). Eficiência dos gastos municipais em educação no Paraná. Revista Pensamento Contemporâneo Em Administração, 12(4), 56. https://doi.org/10.12712/rpca.v12i4.27149

Lei complementar n. 101, de 4 de maio de 2000. (2000). Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp101.htm

Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. (2008). Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília, DF. Recuperado de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm

Lei n. 12.772, de 28 de dezembro de 2012. (2012). Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal. Brasília, DF. Recuperado de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12772.htm

Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. (2014). Aprova o Plano Nacional de Educação. Brasília, DF. Recuperado de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm

Matias, A. B.; Quaglio, G. de M.; Oliveira, B. G. de; Lima, J. P. R. de; Bertolin, R. V. Níveis de Gastos e Eficiência Pública em Educação: Um Estudo de Municípios Paulistas Utilizando Análise Envoltória de Dados. Revista de Administração da UFSM, vol. 11, no. 4, p. 902–918, 2018. https://doi.org/10.5902/1983465916448

Meza, L. A., Biondi, L., Neto, Mello, J. C. C. B. S. de, & Gomes, E. G. (2005). ISYDS- Integrated System for Decision Support (SIAD - Sistema Integrado de Apoio a Decisão): a software package for data envelopment analysis model. Pesquisa Operacional, 25(3), 493–503. https://doi.org/10.1590/S0101-74382005000300011

Ministério da Educação. (2021). Relatório de Atividades: Ações do MEC em Resposta à Pandemia de Covid-19. Brasília, DF. Recuperado em 23 outubro, 2021, de https://www.gov.br/mec/pt-br/assuntos/noticias/relatorio-de-atividades-aponta-acoes-do-mec-e-suas-vinculadas-em-resposta-a-pandemia-de-covid-19

Monteiro, J. (2015). Gasto Público em Educação e Desempenho Escolar. Revista Brasileira de Economia, 69(4), 467–488. https://doi.org/10.5935/0034-7140.20150022

Moraes, G. H., Almeida, S. C. L. de, Alves, Tatiane, E., Lima M. V. S. F., Filho, Romero P. R., Juliatto, M. A. ... Junior, Weber T. da. S. (2020). Plataforma Nilo Peçanha: Guia de Referência Metodológica PNP 2020. Brasília, DF. Editora Evobiz, 2018. Recuperado em 1 novembro, 2021, de https://dadosabertos.mec.gov.br/images/conteudo/pnp/2020/grm_pnp_2020.pdf

Nascimento, M. M., Cavalcanti, C., & Ostermann, F. (2020). Dez anos de instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica: o papel social dos institutos federais. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 101(257), 120–145. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.101i257.4420

Oliveira, J. G. de, Silva, M. M., & Barbosa, J. E., Neto (2021). Custo corrente por aluno e desempenho acadêmico dos estudantes das universidades federais brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa Em Contabilidade (REPeC), 15(1), 46–67. https://doi.org/10.17524/repec.v15i1.2705

Parente, P. H. N., Maria, C. C. de, Dutra, R. S., & Paulo, E. (2021). Eficiência e produtividade nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Brasil. Administração Pública e Gestão Social, 13(1). https://doi.org/10.21118/apgs.v13i1.8735

Pereira, R. S., Vieira, S. F. A., & Madkur, F. N. (2018). A Eficiência na Alocação dos Recursos de Escolas Municipais de São José dos Pinhais/PR: Um Estudo a Partir da Análise Envoltória de Dados (DEA). Revista Interdisciplinar de Gestão Social, 7(3), 159–177.

Rocha, A. B., & Funchal, B. (2019). Mais recursos, melhores resultados? As relações entre custos escolares diretos e desempenho no Ensino Médio. Revista de Administração Pública, 53(2), 291–309. https://doi.org/10.1590/0034-761220170175

Rodrigues, A. de C., Gontijo, T. S., & Muylder, C. F. de. (2019). Mensuração da eficiência técnica e de escala das escolas de samba do Rio de Janeiro: uma abordagem DEA. Exacta, 17(4), 201–210. https://doi.org/10.5585/exactaep.v17n4.8788

Rolim, L. F., Almeida, A. T. C. de, Lombardi, S. C., Filho, & Anjos, O. R. dos, Jr. (2020). Avaliação da Eficiência dos Gastos das Instituições Federais de Ensino Superior Brasileiras. Teoria e Prática Em Administração, 11(1), 1–16. https://doi.org/10.22478/ufpb.2238-104X.2021v11n1.50628

Santos, R. R. dos, Freitas, M. M. de, & Vicente, E. F. R. (2018). Impacto da governança na eficiência da aplicação dos recursos públicos com educação. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 16(3), 101–123.

Santos, R. R., Freitas, M. M. de, & Flach, L. (2020). Avaliação da Eficiência dos Gastos Públicos com Educação dos Municípios de Santa Catarina. Administração Pública e Gestão Social, 12. https://doi.org/10.21118/apgs.v12i2.5755

Scherer, G., Besen, F. G., Araújo, T. V. de, & Serafim, V., Jr. (2019). Análise da eficiência dos gastos com educação no Ensino Fundamental dos estados brasileiros, a partir da Análise Envoltória de Dados (Dea). ConTexto, 19(43), 27–43.

Tonin, C. M. da C., Belinzao, N. B. C., & Drabach, N. P. (2020). Diretrizes Pedagógicas para o Ensino Remoto no IFFar. Instituto Federal Farroupilha. Recuperado em 23 novembro, 2021, de https://www.iffarroupilha.edu.br/ultimas-noticias/item/18211-iffar-divulga-diretrizes-pedagógicas-para-o-ensino-remoto

Valões, J. L., Ribeiro, M. J. F., Almeida, E. A., & Cavalcanti, M. da C. M. (2020). Reflexões sobre o IDEB, ensino médio integrado e a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Revista Principia - Divulgação Científica e Tecnológica Do IFPB, 1(49), 11. https://doi.org/10.18265/1517-03062015v1n49p11-22

Downloads

Publicado

01-07-2024

Como Citar

SANTOS, E. C. R. dos; PRAZERES, R. V. dos; MONTE, M. B. da S.; CRUZ, N. J. T. da .; DANTAS, A. de B. Ensino remoto: a eficiência da rede federal de educação profissional no ano da pandemia de Covid-19. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 1–23, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n2ID31894. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/31894. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)