Índice de transparência municipal: uma análise longitudinal em municípios paraibanos de diferentes portes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n2ID33756

Palavras-chave:

: Activity-Based Costing. Time Driven Activity-Based Costing. Activity-Based Management.

Resumo

Objetivo: Analisar o nível de transparência nos sites de municípios paraibanos de diferentes portes numa perspectiva longitudinal.

 Metodologia: Foram selecionados 20 municípios, de acordo com o porte, para compor uma amostra aleatória estratificada, sendo coletados, em 2019 e em 2023, dados dos seus sites a fim de calcular um índice de transparência formado pelos temas: conteúdo, série histórica e usabilidade. Foi feita a estatística descritiva dos indicadores. Foram elaborados rankings de transparência. Foram feitos testes de correlação entre porte e transparência. Foi empregado o teste t de student para verificar se em média houve variação nos indicadores de transparência entre 2019 e 2023.

 Resultados: O índice de transparência e a usabilidade tiveram correlação positiva e moderada com o porte em 2019 e em 2023, ao passo que as correlações deste com o conteúdo e a série histórica tiveram pouca ou nenhuma significância estatística. Por sua vez, a usabilidade e o conteúdo tiveram correlação positiva e moderada de maneira consistente nos dois anos. De modo geral, os municípios melhoraram o nível de transparência e seus indicadores são apenas parcialmente associados ao porte. João Pessoa e Campina Grande, os maiores municípios, tiveram boas colocações tanto em 2019, quanto em 2023, mas municípios menores, como Sapé e Uiraúna, também tiveram boas colocações nos dois rankings.

Contribuições do Estudo: A análise longitudinal é uma contribuição à literatura nacional. A usabilidade foi identificada como elemento impulsionador da transparência. Contribui-se com o desenho da política de transparência no Brasil apontando a necessidade de se fornecer suporte técnico aos pequenos e médios municípios. A revisão da literatura identificou novos paradigmas ainda não abordados nas pesquisas nacionais: a teoria das janelas e os princípios de design. A interpretação dos resultados proporcionou um diálogo entre abordagens teóricas e conceituais tratadas de maneira separada em outros estudos de transparência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberlan Fernandes da Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Graduado em Ciências Contábeis pela na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Yuri Dantas dos Santos, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Doutor em Ciências Contábeis (PPGCC/UFPB), Professor na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Brasil.

Referências

Androniceanu, A. (2021). Transparency in public administration as a challenge for a good democratic governance. Administratie si Management Public, 36, 149-164.

Bartoluzzio, A.I.S.S., & Anjos, L.C.M. (2020). Análise de conglomerados do nível de transparência pública e indicadores socioeconômicos dos municípios pernambucanos. RACEF – Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace, 11(2), 48-65.

Batista, M., Rocha, V., & Santos, J.L.A. (2020). Transparência, corrupção e má gestão: uma análise dos municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, 54(5), 1382-1401.

Bauhr, M., Czibik, Á., Fine Licht, J., & Fazekas, M. (2019). Lights on the shadows of public procurement: Transparency as an antidote to corruption. Governance, 33(3), 495–523.

Biderman, C, & Puttomatti, G. (2011). Metodologia do Índice de Transparência.

Bisogno, M., Cuadrado-Ballesteros, B., & Santis, S. (2022). Do e-government initiatives and e-participation affect the level of budget transparency? International Public Management Journal, 25(3), 365-391.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: promulgada em 5 de outubro de 1988 (1988). Presidência da República, Brasília, DF, 1988.

Cruz, C. F., Silva, L. M., & Santos, R. (2009). Transparência da Gestão Fiscal: Um Estudo a partir dos Portais Eletrônicos dos Maiores Municípios do Estado do Rio de Janeiro. Contabilidade Gestão E Governança, 12(3), 102-115.

Fraga, L. S., Medeiros, A. P., Vieira, K. M., & Bender Filho, R. (2019). Transparência da gestão pública: análise em pequenos municípios do rio grande do sul. Revista Gestão e Planejamento, 20, 255-272.

Instituto brasileiro de geográfia e estatística – IBGE. (2010). Cidades e

Estados.

Kruger, S. D., Falcão, A. C. (2021). Análise do índice de transparência dos municípios do Sudoeste Paranaense. Revista Competitividade e Sustentabilidade, 8(1), 98–114.

Lei Complementar nº 101, de 4 de Maio de 2000 (2000). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 maio 2000.

Lei Complementar nº 131, de 27 de Maio de 2009 (2009). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 maio 2009.

Lei nº 12.527 de 18 de Novembro de 2011 (2011). Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 82, 19 maio 2011.

Leite, K. K. M., & de Lira, A. R. (2023). Análise dos fatores determinantes da transparência na gestão pública dos estados brasileiros: uma abordagem à luz da teoria da agência. Revista de Gestão e Secretariado (Management and Administrative Professional Review), 14(4), 5785–5806.

Matheus, R., & Janssen, M. (2020). A Systematic Literature Study to Unravel Transparency Enabled by Open Government Data: The Window Theory, Public Performance & Management Review, 43(3), 503-534.

Matheus, R., Janssen, M., & Janowski, T. (2021). Design principles for creating digital transparency in government. Government Information Quarterly, 38(1).

Mendes, G. F. (2009). Arts. 48 a 59. In Martins, I. G. S., & Nascimento, C. V. (Orgs.). Comentários à Lei de Responsabilidade Fiscal, (4a ed.). São Paulo, SP: Saraiva.

Nascimento, P. (2020). Transparência nos municípios brasileiros: uma análise do fator desenvolvimento. Revista da CGU, 12(21), 100–113.

Nunes, G. S. F.; Santos, V.; Farias, S.; Soares, S. V.; Lunkes, R. J. (2013). Análise dos instrumentos de transparência contidos na lei de responsabilidade fiscal nos municípios da região sul. Revista Ambiente Contábil, 5(2), 128–150.

Oliveira, A. R. V, Cabral, B. R., Chagas, M. J. R. (2020). Gestão pública e transparente à luz da lei de responsabilidade fiscal: uma análise nos municípios da região crajubar no período de 2012 a 2015. Revista Ambiente Contábil, 12(2), 219–235.

Ott, K., Bronić, M., Stanić, B., Klun, M., Benčina, J. (2019). Determinants of Online Local Budget Transparency in Croatia and Slovenia. Central European Public Administration Review, 17(2), 167–187.

Ruijer, E., Détienne, F., Baker, M., Groff, J., & Meijer, A. J. (2020). The Politics of Open Government Data: Understanding Organizational Responses to Pressure for More Transparency. The American Review of Public Administration, 50(3), 260-274.

Rumsey, D. J. (2016). Statistics for dummies (2a ed.). For Dummies.

Samaratunge, R., & Alam, Q. (2021). Accountability and transparency in emerging countries: Governance, democratic currents and change. Public Administration and Development, 41(4), 145-227.

Sefa-Nyarko, C., Okafor-Yarwood, I., & Boadu, E. S. (2021). Petroleum revenue management in Ghana: How does the right to information law promote transparency, accountability and monitoring of the annual budget funding amount? The Extractive Industries and Society, 8(3).

Shkolnyk I., Kozmenko O., Nowacki R., Merschii B. (2020). Dependence of the state of public finances on their transparency and the level of corruption in a country. Economics and Sociology, 13(4), 281-296.

Silva, W. A. O., & Bruni, A. L. (2019). Variáveis socioeconômicas determinantes para a transparência pública passiva nos municípios brasileiros. Revista de administração pública, 53(2), 415-431.

Silva, M. S., & Diniz Filho, J. W. (2019). O comportamento do índice de transparência na gestão fiscal nos três poderes do governo federal. Revista de auditoria, governança e gestão, 7(29), 138-153.

Silva, P. S. T., Monte-Mor, D. S., & Rodrigues, V. R. S. (2020). A influência do nível de transparência da gestão pública na quantidade de disclosure informacional dos municípios capixabas. Revista Mineira De Contabilidade, 20(3), 18–31.

Visentini, M. S., & Santos, M. (2019). Transparência na gestão pública municipal evidenciada nos portais eletrônicos dos municípios do conselho regional de desenvolvimento (corede) das missões/rs. Desenvolvimento em Questão, 17(49), 158–175.

Voitenko, O., Shults, S., Bilyk, I., & Kaplenko, H. (2022). Government transparency as ukrainian territorial communities’ economic development factor. Financial & Credit Activity: Problems of Theory & Practice. 5(46), 387-397.

Visentini, M. S., Söthe, A., Scheid, L. L., & Fenner, V. U. . (2021). Transparência na gestão pública: evidências da produção científica nacional e agenda de pesquisa. Revista Gestão & Conexões, 10(1), 73–101.

Downloads

Publicado

01-07-2024

Como Citar

SILVA, A. F. da .; SANTOS, Y. D. dos. Índice de transparência municipal: uma análise longitudinal em municípios paraibanos de diferentes portes. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 177–199, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n2ID33756. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/33756. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 2: Contabilidade Aplicada ao Setor Público e ao Terceiro Setor (S2)