An analysis of how Millennials view social security

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n1ID34962

Palavras-chave:

Aposentadoria; Brasil; Finanças Pessoais; Millennials; Alfabetização Financeira e Previdenciária.

Resumo

Objetivo: Identificar e analisar a percepção da geração dos Millennials sobre previdência.

Metodologia: Técnica de levantamento do tipo Survey, com a aplicação de questionário estruturado por meio da ferramenta Lime Survey®, enviado para aproximadamente 15 mil pessoas de todas as regiões do Brasil, com 21 perguntas estruturadas. A seleção dos respondentes foi em bases abertas, com foco na faixa etária em que se encontra essa geração. Para cada uma das questões componentes do questionário estruturado, foi efetuado o teste não paramétrico de Qui-Quadrado para verificar diferenças de avaliação para as variáveis de controle.

Resultados: Contrariando as bases de estudo analisadas, a maioria dos Millennials brasileiros respondentes da pesquisa pensa ou se preocupa com a formação de suas aposentadorias. Entre as hipóteses confirmadas, os achados da pesquisa mostram que os Millennials possuem receio em enfrentar dificuldades em relação às suas aposentadorias e consideram que alcançar uma aposentadoria segura será uma tarefa bastante complicada no futuro. Apesar da baixa participação dessa geração em planos de previdência complementar, a maior parte afirma possuir enorme interesse nesse sentido, contribuindo para a literatura sobre o tema.

Contribuições do estudo: Além de ajudar a compreender como os Millennials lidam com o tema da previdência, este estudo pode contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para educação previdenciária dos jovens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana Vaz de Lima, University of Brasilia (UnB).

Doctorate in Accounting Sciences (UnB/UFPB/UFRN), Post-doctorate in Accounting and Controlling (FEARP/SP), researcher and professor at the University of Brasilia.

Daniel Nepomuceno Nery, University of Brasília (UnB).

Bachelor’s degree in Accounting Sciences from the Department of Accounting and Actuarial Sciences, University of Brasilia.

Cláudio de Souza Miranda, FEARP/USP

Degree in Accounting Sciences from the University of São Paulo (1998), Master’s degree in Engineering (Production Engineering) from EESC-USP (2002), and Doctorate in Accounting Sciences from FEA/USP (2011). Professor at the Department of Accounting, FEARP/USP. Has teaching experience in the fields of Administration (Bachelor’s course, sequential courses and technological courses) and Accounting and Controlling Sciences.

Referências

Adam, A. M., Boadu, M. O., & Frimpong, S. (2018). Does gender disparity in financial literacy still persist after retirement? Evidence from Ghana. International Journal of Social Economics, 45(1), 18-28. Doi: https://doi.org/10.1108/IJSE-06-2016-0159

Afonso, L. E., Sidone, O. J. G., & Silva Filho, G. A. D. (2023). Reflexões sobre a progressividade da política previdenciária no Brasil: uma contribuição ao debate. Brazilian Journal of Political Economy, 43, 706-722. https://doi.org/10.1590/0101-31572023-3434

Agarwalla, S. K., Barua, S., Jacob, J., & Varma, J. R. (2015). Financial Literacy among Working Young in Urban India. World Development, 67, 101-109. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.worlddev.2014.10.004

Almeida, V. (2018). Millennials: geração imediatista que não liga para a aposentadoria. Disponível em https://extra.globo.com/noticias/economia/millennials-geracao-imediatista-que-nao-liga-para-aposentadoria-23073557.html

Batista, F. H. A. (2010). Grupos geracionais e o comprometimento organizacional: um estudo em uma empresa metalúrgica de Caxias do Sul. Dissertação (Mestrado) do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Caxias do Sul, p.39-45. https://repositorio.ucs.br/xmlui/handle/11338/553

Bochi, H., Jr. (2019). Os jovens e a previdência: Como se planejar para a aposentadoria desde cedo. Disponível em: http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/videos/t/bom-dia-cidade/v/os-jovens-e-a-previdencia-como-se-planejar-para-a-aposentadoria-desde-cedo/7302896/.

Borges, B. S. (2014). Juventude, trabalho e educação superior: a Geração Y em análise. Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia. Disponível em https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/13663/1/JuventudeTrabalhoEducacao.pdf

Borges, L. (2017). A geração Millenial e seu legado. Disponível em https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2017/09/21-A-gerac%CC%A7a%CC%83o-Millenial-e-seu-legado.pdf

Brack, J., & Kelly, K. (2012). Maximizing millennials in the workplace. UNC Executive Development, 22(1), 2-14.

Brown, J.E. (2018). Millennials and Retirement: Already Falling Short. National Institute on Retirement Security. p.1.

Calliari, M., & Motta, A. (2012). Código Y: decifrando a geração que está mudando o país. Évora.

Camargos, M. C. S., & Gonzaga, M. R. (2015). Viver mais e melhor? Estimativas de expectativa de vida saudável para a população brasileira. Cadernos de Saúde Pública, 31, 1460-1472. Doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00128914

Carvalho, N.C. (2017). Millennials: Quem são e o que anseiam os jovens da geração Y. Monografia de Bacharelado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) p.15

Chagas, A. T. R. (2000). O questionário na pesquisa científica. Administração OnLine: Prática, Pesquisa, Ensino, São Paulo, 1(1), 23-48.

Clark, R. L., Hammond, R. G., & Khalaf, C. (2019). Planning for retirement? The importance of time preferences.Journal of Labor Research,40(2), 127-150.

Cordeiro, N. J. N., Costa, M. G. V., & da Silva, M. N. (2018). Educação Financeira no Brasil: uma perspectiva panorâmica. Ensino da Matemática em Debate, 5(1), 69-84.

Cordeiro, N. J. N., Maia, M. G. B., & Silva, C. B. P. (2019). O uso de histórias em quadrinhos para o ensino de Educação Financeira no ciclo de alfabetização. TANGRAM-Revista de Educação Matemática, 2(1), 03-20

Dutra, B. & Brêtas, Pollyanna. (2018). Millennials: geração imediatista que não liga para a aposentadoria. Disponível em: https://extra.globo.com/noticias/economia/millennials-geracao-imediatista-que-nao-liga-para-aposentadoria-23073557.html.

Ferreira, S. G. (2007). Sistemas previdenciários no mundo: sem “almoço grátis”. Previdência no Brasil: debates, dilemas e escolhas. Rio de Janeiro: IPEA, 65-94.

Gallo, F. (2018). Millennials: geração imediatista que não liga para a aposentadoria. O Globo Economia [Entrevista com Bruno Dutra e Pollyana Brêtas]. Disponível em: https://oglobo.globo.com/economia/millennials-geracao-imediatista-que-nao-liga-para-aposentadoria-23074915

Gallo, F. (2019). Reforma da Previdência é melhor para quem contribui menos. Correio Braziliense. [Entrevista com o Correio Braziliense]. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2019/04/07/internas_economia,747939/reforma-da-previdencia-e-melhor-para-quem-contribui-menos.shtml

Ghilarducci, T. (2018). Social Security Helps The Young And Old. Forbes. Disponível em: https://www.forbes.com/sites/teresaghilarducci/2018/10/28/zombie-myth-that-social-security-is-unfair-to-younger-generations-quite-the-opposite/#7981a7e573f5

Glass, A. (2007). Understanding generational differences for competitive success. Industrial and commercial training, v. 39, n. 2, p. 98-103. Doi: https://doi.org/10.1108/00197850710732424

Gomes, D. V., Oliveira, E. R., Santos, G. C., & de Oliveira Merelles, L. R. (2020). Educação previdenciária e as mudanças na previdência social: análise dos alunos e egressos de uma instituição de ensino superior. Revista Mineira de Contabilidade, 21(2), 59-69. DOI:

https://doi.org/10.51320/rmc.v21i2.1089

Gruber, J., & Wise, D. A. (1999). Introduction to" Social Security and Retirement around the World". In Social Security and Retirement around the World (pp. 1-35). University of Chicago Press.

Hartmann, A. L. B., Mariani, R. D. C. P., & Maltempi, M. V. (2021). Educação Financeira no Ensino Médio: uma análise de atividades didáticas relacionadas a séries periódicas uniformes sob o ponto de vista da Educação Matemática Crítica. Bolema: Boletim de Educação Matemática, 35, 567-587. https://doi.org/10.1590/1980-4415v35n70a02

Henrique, M. R., Rocha, D. A., Saporito, A., & Silva, S. B. (2023). O cenário da Previdência Social e o impacto na aposentadoria. Revista da Faculdade de Administração e Economia, 12(1), 169-190. DOI: https://doi.org/10.15603/2176-9583/refae.v12n1p169-190

Hinrichs, K. (2021). Recent pension reforms in Europe: More challenges, new directions. An overview. Social Policy & Administration, 55(3), 409-422. https://doi.org/10.1111/spol.12712

Howe, N., & Strauss, W. (2000). Millennials rising: The next great generation. Vintage.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/

Jardim, M. C., & Moura, P. J. C. (2023). O projeto de capitalização da Previdência Social no governo Bolsonaro: o mercado como estratégia de aposentadoria. Sociedade e Estado, 38, 63-93. https://doi.org/10.1590/s0102-6992-202338010003

Kallir, I., Aharon, D. Y., Sheshinski, E., & Zaken, R. (2023). Toward a Sustainable Pension System. The Journal of Retirement, 10(4), 26-48. DOI 10.3905/jor.2022.1.126

Kämpf, C. (2011). A geração Z e o papel das tecnologias digitais na construção do pensamento. ComCiência, (131), 0-0.

Kessler, A. (2021). New solutions to an age-old problem: innovative strategies for managing pension and longevity risk. North American Actuarial Journal, 25(sup1), S7-S24. https://doi.org/10.1080/10920277.2019.1672566

Lima, D. V., Cardoso, J. W. R., Modernell, Á. B., Cavalcante, R. M. C., & Barros, G. M. (2022). Educação Previdenciária na Primeira Infância para a Formação de uma Consciência Cidadã. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 16(4). DOI: https://doi.org/10.17524/repec.v16i4.3059

Lima, D. V., & Matias-Pereira, J. (2014). A dinâmica demográfica e a sustentabilidade do regime geral de previdência social brasileiro. Revista de Administração Pública, 48(4), 847-868. Doi: https://doi.org/10.1590/0034-76121558.

Lima, R. M. R. (2022). Reforma da previdência e justiça intergeracional: o longo caminho da proteção social brasileira. Revista de Direito Brasileira, 32(12), 87-109. DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2358-1352/2022.v32i12.7281

Litlle, K. (2019). Millennials are optimistic about their financial futures, but it could hurt them. Bankrate. Disponível em https://www.bankrate.com/personal-finance/millennials-optimistic-finances/

Lynch, A. (2008). ROI on generation Y employees. Bottom Line Conversations, LLC.

Marques, R. M., Batich, M., & Mendes, Á. (2003). Previdência social brasileira: um balanço da reforma. São Paulo em Perspectiva, 17(1), 111-121. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-88392003000100011

McClelland, J. A. G. (1976). Técnica de Questionário para Pesquisa. Revista Brasileira de Física, Especial (1), pp. 93-101.

Mele, V., & Belardinelli, P. (2018). Mixed methods in public administration research: Selecting, sequencing, and connecting. Journal of Public Administration Research and Theory, 29(2), 334-347. Doi: https://doi.org/10.1093/jopart/muy046

Miranda, G. M. D., Mendes, A. D. C. G., & da Silva, A. L. A. (2016). O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19(3), 507-519.

Mitchell, D. J. (2018). The Second Social Security Crisis Nobody´s Talking About. Foundation for Economic Education (FEE). Disponível em https://fee.org/articles/the-second-social-security-crisis-nobodys-talking-about/.

Neri, M. (2017). Rolo compressor da crise achata renda e horizonte da população jovem. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2017/05/1887641-crise-e-resistencia-a-reforma-da-previdencia-prejudicam-os-jovens.shtml

ONU Brasil. (2019). Mulheres vivem mais do que homens na maior parte dos países, diz relatório da ONU. Disponível em: https://nacoesunidas.org/mulheres-vivem-mais-do-que-homens-na-maior-parte-dos-paises-diz-relatorio-da-onu/.

Rattner, S. (2015). We´re making life too hard for millennials. The New York Times. 1-4

Ribeiro, N. K. C.; Gonsalves, R. (2016). A Previdência Complementar uma proposta para a geração Y? Redeca, v.3, n.1, p.49-89. Doi: https://doi.org/10.23925/2446-9513.2016v3i1p49-89

Santos, C. L., & Kern, M. T. (2019). As Juventudes e a Reforma da Previdência: Os Impactos Jurídico-Sociais aos Jovens no Brasil. Revista Jurídica em Pauta, 1(2), 45-60.

Silva, E. A. S. R., Lima, D. V., Silva, C. A. T.; Rech, I. J. 2018. A Imprevidência da Previdência: como o ciclo da vida afeta as escolhas dos indivíduos, Universidade de Brasília (UNB).

Silva, D. D. C., Moreira, V. D. S., & Papandréa, P. J. (2022). Aposentadoria: uma meta a ser planejada. Revista Científica e-Locução, 1(22), 27-27. DOI: https://doi.org/10.57209/e-locucao.v1i22.504

Smit, K.A. The defining financial question of millennials: do you want to live comfortably now, or in the future? Disponível em: https://www.rismedia.com/2018/09/27/the-defining-financial-question-of-millennials-do-you-want-to-live-comfortably-now-or-in-the-future/

Tapscott, D. (1999). The rise of the Net-Generation. Advertising Age, 67(42), 31-32.

Terrell, S.R. (2012). Mixed Methods Research Methodologies. Qualitative Report, 17 (1), 254-280. Disponível em: https://nsuworks.nova.edu/tqr/vol17/iss1/14/

The Bank of New York Mellon Corporation. (2015). Generation Lost: Engaging Millennials with retirement saving.

Valente, M. P. R. C. (2011). Geração Y e individualismo: percepções e adaptabilidade do consumidor frente às mudanças sociais. Maria Paula Rodarte Costa Valente. Diss. PUC-Rio.

Vieira, K. M., Matheis, T. K., & Rosenblum, T. O. A. (2023). Preparação financeira para aposentadoria: análise multidimensional da percepção dos brasileiros. Revista Contabilidade & Finanças, 34, e1705. https://doi.org/10.1590/1808-057x20221705.pt

Zemke, R. O. (2008). Respeito às gerações. Modernas práticas na gestão de pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier, 51-55.

Publicado

02-01-2024

Como Citar

LIMA, D. V. de; NERY, D. N. .; MIRANDA, C. de S. . An analysis of how Millennials view social security. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 1, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n1ID34962. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/34962. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Seção 7: Internacional (S7)