BIG BATH: EVIDÊNCIAS BRASILEIRAS NA ADOÇÃO INICIAL DA NORMA QUE TRATA DE REDUÇÃO NO VALOR RECUPERÁVEL DO GOODWILL

Autores

  • Maíra Melo de Souza Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

A convergência aos padrões internacionais de contabilidade no Brasil trouxe vários desafios para as organizações, e em especial ao contador, no que tange a adequação aos procedimentos emanados pelas autoridades contábeis. Nesse contexto, é relevante estudar o tratamento contábil do ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill), um ativo complexo que a partir dos exercícios encerrados em 2009 passou a ser alvo de testes anuais no seu valor recuperável (impairment test) em substituição a prática de amortizações sistemáticas. Internacionalmente, o procedimento contábil de testes anuais para o goodwill tem sido muito discutido no que tange a possibilidade de gerenciamento de resultados, e nesse embate está incluída a modalidade de gerenciamento conhecida como big bath, que sugere que diante de possibilidades existentes nas normas o gestor pode aproveitar a oportunidade para reconhecer uma baixa em seus ativos. O objetivo dessa pesquisa é identificar evidências no Brasil que possam sugerir que ocorreu big bath nos primeiros anos de adoção do pronunciamento CPC-01 no que tange ao impairment do goodwill. Para isto, levantou-se a amostra de empresas que possuíam saldo de goodwill no exercício encerrado em 2007 e por meio de análises qualitativas foram verificadas as relações existentes entre o reconhecimento de perdas, o resultado do exercício, a rentabilidade do ativo e o nível de governança corporativa das empresas componentes da amostra. Os resultados sugerem que o comportamento das empresas brasileiras não foi o de realizar big bath do goodwill na adoção inicial da norma CPC-01.

Palavras-chave: Ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill). Perda no valor recuperável. Big bath.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Melo de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutoranda em Administração pela UFSC e Mestre em Contabilidade pela UFSC.

Referências

BALL, Ray; ROBIN, Ashok; WU, Joanna Shuang. Incentives versus standards: properties of accounting income in four East Asian countries. Journal of Accounting and Economics, v. 36, p. 235-270, 2003.

BEATTY, Anne; WEBER, Joseph. Accounting discretion in fair value estimates: an examination of SFAS 142 goodwill impairments. Journal of Accounting Research, v. 44, nº 2, 2006.

BROWN, Philip. International Financial Reporting Standards: what are the benefits? Accounting and Business Research, v. 41,n. 3, p. 269-285, 2011.

CARLIN, Tyrone M.; FINCH, Nigel. KHAIRI, Khairil Faizal. FRS 36 and post-transition compliance quality among Singapore firms. Asian Review of Accounting. v. 18, n. 3, p. 221 – 244, 2010.

COMITÊ de Pronunciamentos Contábeis. Pronunciamento Técnico CPC 01 R1, de 06 de agosto de 2010. Redução ao Valor Recuperável de Ativos (impairment). Disponível em: . Acesso em: 03 jan. 2013.

DETZEN, Dominic; ZÜLCH, Henning. Executive compensation and goodwill recognition under IFRS: Evidence from European mergers. Journal of International Accounting, Auditing and Taxation, v. 21, p. 106-126, 2012.

FRANCIS, Jennifer. Discussion of empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economic, v. 31, p. 309-319, 2001.

FIELDS, Thomas; LYS, Thomas; VICENT, Linda. Empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economics, v. 31, p. 255-307, 2001.

GIULIANI, Marco; BRÄNNSTRÖM, Daniel. Defining goodwill: a practice perspective. Journal of Financial Reporting and Accounting, v. 9, n. 2, p. 161-175, 2011.

HEALY, Paul M.; WAHLEN, James M. A review of the earnings management literature and its implications for standards setting. Accounting Horizons, v. 13, n. 4, p. 365-383, 1999.

_______; PALEPU, Krishna G. Information asymmetry, corporate disclosure, and the capital markets: a review of the empirical disclosure literature. Journal of Accounting and Economics, v. 31, p. 405-440, 2001.

HOLTHAUSEN, Robert W.; LEFTWICH, Richard W. The economic consequences of accounting choice. Journal of Accountmg and Econormcs, v. 5, p. 77-117, 1983.

JAHMANI, Yousef; DOWLING, William, A; TORRES, Paul D. Goodwill impairment: a new window for earnings management. Journal of Business & Economics Research, v. 8, nº 2, p. 19-23, 2010.

JORDAN, Charles E.; CLARK, Stanley J. Big bath earnings management: the case of goodwill impairment under SFAS No. 142. Journal of Applied Business Research, v. 20, n. 2, p. 63-70, 2011.

LEVITT, Arthur. The “numbers game”. Remarks of Securities and Exchange Commission, September, 1998. Disponível em: < http://www.utdallas.edu/~andersmc/6344/Day%202%20-%20Numbers%20game.pdf>. Acesso em: 19 jun. 2013.

MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens; SANTOS, Ariovaldo; IUDÍCIBUS, Sérgio de. Manual de Contabilidade Societária: aplicável a todas as sociedades de acordo com as normas internacionais e do CPC. São Paulo: Atlas, 2013.

MARTINEZ, Antonio Lopo. Gerenciamento dos resultados contábeis: um estudo empírico das companhias abertas brasileiras. 2001. 167 f. Tese (Doutorado em Contabilidade e Controladoria) – Curso de Pós-Graduação em Contabilidade e Controladoria, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

MASTERS-STOUT, Brenda; COSTIGAN, Michael, L.; LOVATA, Linda M. Goodwill impairments and chief executive officer tenure. Critical Perspectives on Accounting, v. 19, p. 1370-1383, 2008.

NAKAYAMA, Wilson Kazumi. Divulgação de informações sobre operações de combinação de negócios na vigência do pronunciamento técnico CPC 15. 2012. 153 p. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, FEA/USP, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SAMKIN, Grant; DEEGAN, Craig. Calculating non-controlling interest in the presence of goodwill impairment. Accounting Research Journal, v. 23, n. 2, p. 213-233, 2010.

SKINNER, Douglas J. The investment opportunity set and accounting procedure choice. Journal of Accounting and Economics, v. 16, p. 407-445, 1993.

WATTS, Ross. Accounting choice theory and market-based research in accounting. British Accounting Review, v. 24, p. 235-267, 1992.

________. Conservatism in Accounting - Part II: Evidence and Research Opportunities. Simon Business School Working Paper n. FR 03-25. 2003. Disponível em: < http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=438662>. Acesso em 03 de julho de 2013.

Downloads

Publicado

08-01-2015

Como Citar

MELO DE SOUZA, M. BIG BATH: EVIDÊNCIAS BRASILEIRAS NA ADOÇÃO INICIAL DA NORMA QUE TRATA DE REDUÇÃO NO VALOR RECUPERÁVEL DO GOODWILL. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 35–50, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/4977. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS