A escultura, o vídeo e a dança: pensamentos sobre a consistência do gesto

Palavras-chave: Dança contemporanea. Escultura. Vídeo.

Resumo

Neste artigo, a noção de espaço é tomada com um circuito complexo de gestos, matérias e percepções. Sob essa tríade, a dança parece ter um tanto de cinema e escultura, que parece ter um tanto de dança e cinema, que parece ter um tanto de escultura e dança. Especulo sobre a consistência do gesto no interstício desses três metacampos artísticos. A partir da obra em vídeo do escultor Richard Serra, investigo como sua manipulação com a materialidade do audiovisual me ajuda a pensar a performatividade do corte na colaboração entre o cineasta Thierry de Mei e a coreógrafa Anne Therese de Keersmaeker.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Kremer Ribeiro, UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro/Professor
Artista, curador independente, e Professor do Núcleo de Performatividades da Imagem do Departamento de Arte Corporal DAC/UFRJ. Doutor pelo Instituto de Artes Visuais IAV/UERJ. Mestre em Cinema Studies pela NYU. É curador e diretor artístico da plataforma Atos de Fala.

Referências

BAZIN, A. What is Cinema? Berkeley: University of California Press, 1984. (, v. 1)

BIESENBACH, K.; LONDON, B.; EAMON, C. Video Acts. New York: PS1 Contemporary Art Center, 1997. Catálogo.

DELEUZE, G. Cinema 1: The Movement-Image. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1986.

_____. Bergsonismo. São Paulo: Editora 34, 1999.

KLABIN, V. M. (org.). Richard Serra. Rio de Janeiro: Centro de Arte Hélio Oiticica, 1997.

KRAUSS, R. E. Caminhos da escultura moderna. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

PARENTE, A. Narrativa e modernidade. Campinas: Papirus Editora, 2000.

Publicado
13-08-2017
Como Citar
RIBEIRO, F. K. A escultura, o vídeo e a dança: pensamentos sobre a consistência do gesto. ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 4, n. 1, p. 21-32, 13 ago. 2017.
Seção
Dossiê: Perspectivas Multidisciplinares no Campo da Arte