Considerações metodológicas para a pesquisa em arte no meio acadêmico

  • Sylvie Fortin
  • Pierre Gosselin
Palavras-chave: Etnografia pósmoderna, pesquisa em arte teórica, intervenção artística, pesquisa de criação.

Resumo

Tradução/Translation: Marília C.G. Carneiro and Déborah Maia de Lima
Revisão/Proofreading: Mônica Fagundes Dantas

Neste artigo focalizamos três caminhos possíveis para o desenvolvimento de teses no Doutorado em Estudos e Práticas Artísticas da Universidade de Quebec em Montreal (UQAM): tese-pesquisa, tese-intervenção e tese-criação. O modelo para a pesquisa em artes é organizado em torno de três tradições filosóficas que se traduzem em três tipos de pesquisa etnográfica (tomada num sentido amplo): 1 - etnografia interpretativa, focada na descrição e na compreensão da situação; 2 – etnografia crítica, que vê a realidade mascarada por um conjunto de estruturas sociais e políticas que envolvem relações de dominação; 3 - etnografia pós-moderna. Esta classificação pode ser útil para pesquisadores em arte envolvidos tanto com teses teóricas quanto práticas.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sylvie Fortin
Sylvie Fortin, PhD, é professora titular do Departamento de Dança da Universidade de Québec, em Montréal, Canadá. Sua área de especialização inclui a pesquisa da etnografia pós-moderna, a educação somática, o estudo sociocultural do corpo nos domínios da saúde, a pedagogia da dança e a formação em artes. Nos últimos 10 anos, ela tem realizado projetos de pesquisa interdisciplinares, que envolvem bailarinos e não bailarinos com uma diversidade de questões corporais. Recentemente, Sylvie supervisionou três projetos de pesquisa-ação, que apresentam educação somática para mulheres que sofrem de distúrbios alimentares, fibromialgia e depressão. Ela também está envolvida atualmente em um projeto de pesquisa sobre o processo criativo nas artes em Québec, Canadá.
Pierre Gosselin
Pierre Gosselin, PhD, é professor titular da Escola de Artes Visuais e Midiáticas na Universidade de Québec, em Montréal, Canadá. Sua pesquisa sobre o processo criativo nas artes levou-o a desenvolver materiais de ensino que oferecem representações da dinâmica da criação. Sua pesquisa está focada no ensino das artes para adolescentes e adultos. Ele também trabalha no desenvolvimento de modalidades de metodologia de pesquisa para a prática artística.

Referências

ALVESSON, Mats; SKÖLDBERG, Kaj. Reflexive methodology. New vistas for qualitative research. London: Sage Publication, 2000.

BENNETT, Katy; SHURMER-SMITH, Pamela. Representation of research: Creating a text. In: Doing cultural geography. Sage Publication, 2002, p. 211-221.

DAVIDA, Dena. Fields in Motion: Ethnography in the worlds of dance. Wilfrid Laurier Press, 2011.

EISNER, Elliot. The Enlightened Eye: Qualitative Inquiry and the Enhancement of Educational Practice. New York: Macmillan, 1998.

ELLIS, Carolyn S.; BOCHNER, Arthur P. An introduction to the arts and narrative research: art as inquiry. Qualitative inquiry, n. 9, Sage Publication, 2003.

SCHÖN, Donald A. The reflective practitioner: How professionals think in action. New York: Basic books, 1983.

FORTIN, Sylvie. Contribuições possíveis da etnografia e da auto-etnografia para a pesquisa na prática artística. Revista Cena, Porto Alegre, n. 7, fevereiro 2009, Editora:UFRGS, p. 85-95.

GOSSELIN, Pierre; LAURIER, Diane. Des repères pour la recherche en pratique artistique. In: Tactiques insolites: vers une méthodologie de recherche em pratique artistique. Montréal: Éditions Guérin, 2004, p. 165-183.

HOUSSA, Émilie. Les images document l’art et l’acte documentaire au quotidien.Tese de doutorado. Université du Québec à Montréal, 2011.

PELLAN, Louise. Kinesthetic stimulation as a method for improved drawing-skills acquisition. Tese de doutorado. Université du Québec à Montréal, 1980.

RAIL, Genevieve. Postmodernism and sport studies. In: MAGUIRE, Joseph; YOUNG, Kevin. (Eds.). Theory, sport and society. London: Elsevier Press, 2002, p. 179-207.

RAMAZANOGLU, Caroline; HOLLAND, Janet. Feminist methodology: Challenges and choices. Londres: Thousand Oaks; New Delhi: Sage Publication, 2005.

RICHARDSON, Laurel. New writing practices in qualitative research. Social sciences journal, n. 17, v.1, 2000, p. 5-19.

RICHARDSON, Laurel; ST. PIERRE, Elizabeth. Writing: a method of inquiry. In: DENZIN, Norman; LINCOLN, Yvonna S. (Dir.). Handbook of qualitative research. Sage Publication, 2005, p. 959-978.

VALÉRY, Paul. Eupalinos ou l’architecte. Dijon: Gallimard, 1944.

VARELA, Francisco; THOMPSON, Evan; ROSCH, Eléanor. L'Inscription corporelle de l'esprit: sciences cognitives et experience humaine. Paris: Seuil, 1996.

Publicado
04-05-2014
Como Citar
FORTIN, S.; GOSSELIN, P. Considerações metodológicas para a pesquisa em arte no meio acadêmico. ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 1, n. 1, p. 1-17, 4 maio 2014.