Sugestões de conceitos para reflexão sobre a arte contemporânea a partir da teoria e prática do Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos

  • Maria Beatriz de Medeiros Universidade de Brasília
Palavras-chave: Corpos Informáticos, Arte contemporânea, Conceitos

Resumo

O Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos (GPCI) buscou inicialmente pensar que corpo resta, sobre-vive, resiste, re-existe, (in)surge frente às tecnologias. Para tanto é/foi necessário pensar o que é tecnologia e de que tecnologia(s) estamos falando. Depois é/foi necessário ver, (in)ventar e revirar conceitos. O presente texto traz sugestões de conceitos para reflexão sobre a arte contemporânea a partir da teoria e prática do GPCI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Beatriz de Medeiros, Universidade de Brasília
Maria Beatriz de Medeiros é graduada em Educação Artística (PUCRJ), com mestrado em Estética e doutorado em Arte e Ciências da Arte- Université de Paris I (Panthéon-Sorbonne) e pós-doutorado em Filosofia (CIPH). Com experiência em arte contemporânea, arte e tecnologia, arte e performance e composição urbana é, desde 1992, Coordenadora do Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos. Pesquisadora do CNPq (2008-2011, 2011-2015, 2015-2019) foi Coordenadora-Adjunta para a área de Artes na CAPES-MEC (2005-2010).

Referências

AQUINO, F.; MEDEIROS, M.B. Corpos informáticos. Cidade, corpo, política. Brasília: PPG-Arte, 2011.

BARRETO, A. H. de L. Os Bruzundangas. In Prosa Seleta. Rio de Janeiro: Nova Aguillar, 2001

BARRETO, A. H. de L. Dicionário do Hospício: o cemitério dos vivos. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Departamento Geral de Documentação e Informação Cultural, Divisão de Editoração, 1993.

BOSI, Alfredo. em História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Editora Cultrix, 1994. p. 323

BRITES, Mariana e MEDEIROS, M.B. DANCE: O LANCE DO DADO. Uma pesquisa em arte e em escrita. In ARTEFACTUM - Revista de estudos das linguagens da arte e da tecnologia. N1, 2014. Disponível em http://artefactum.rafrom.com.br/index.php/artefactum/article/view/249. Acesso em 10/09/2014.

BRUSCKY, Paulo. Arte e multimeios. Recife: Zoludesign, 2010

DELEUZE, Gilles. Les cours de Gilles Deleuze. 29/04/1980. Disponível em www.webdeleuze.com/php/texte.php?cle=54&groupe=Leibniz&langue=1. Acesso em 20 de out. de 2015.

DELEUZE / SPINOZA. Curso de Vincennes, 13/01/1981. webdeleuze.com/php/texte.php?cle=31&groupe=Spinoza&langue=1

DERRIDA. Jacques. Limited Inc. Paris : Galilée, 1990.

MEDEIROS, M. B. Arte, performance e rua. In Revista Arte e Filosofia. Brazilian Journal of Philosophy, Music and Theater; Published by: Universidade Federal de Ouro Preto. Número 12, julho.2012. p. 62 a 72. Disponível em http://www.raf.ifac.ufop.br/pdf/artefilosofia_12/(7)Medeiros.pdf. Acesso em 07/09/2014.

NASCIMENTO, Evandro. Derrida. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

NAVAS. Adolfo Montejo. Arte no Plural. revista DASartes. Disponível em http://www.dasartes.com/site/index.php?option=com_content&view=article&id=101&Itemid=33. Acesso em 07/09/2014.

SAFATLE, Vladimir. Circuito dos afetos: corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. São Paulo: Autêntica, 2016.

SERRES. Michel. Os cinco sentidos. Paris: Grasset, 2005.

STIEGLER, Bernard. Reflexões (não) contemporâneas. Organização e tradução Maria Beatriz de Medeiros. Chapecó: Argos, 2007.

TINOCO, Bianca. A vida e a vida de Mar(ia-sem-ver)gonha. In Corpos Informáticos. Cidade, corpo, política. Aquino, Fernando & Medeiros, Maria Beatriz (org.). Brasília: editora do PPG-Arte/UnB, 2011.

Publicado
13-08-2017
Como Citar
MEDEIROS, M. B. DE. Sugestões de conceitos para reflexão sobre a arte contemporânea a partir da teoria e prática do Grupo de Pesquisa Corpos Informáticos. ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 4, n. 1, p. 33-47, 13 ago. 2017.
Seção
Dossiê: Perspectivas Multidisciplinares no Campo da Arte