Música, linguagem e videogames: um estudo sonológico sobre suas contribuições, correlações e confluências

Palavras-chave: Videogames, Audiogames, Sonologia, Narratologia, Design de jogos

Resumo

Música e linguagem são duas atividades comunicacionais exclusivas e fundamentalmente humanas, que permeiam todas as áreas de atuação, como jogos e, em especial, os videogames. Este artigo visa compreender e descrever como música e linguagem agem e interagem na esfera dos videogames, resultando na possibilidade do desenvolvimento de um jogo digital puramente sonoro, ou seja, um audiogame.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo J. Porto Passos, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Leonardo José Porto Passos possui graduação com licenciatura plena em Letras Português/Inglês pela Universidade Paulista, UNIP (2008), e especialização (pós-graduação lato sensu) em Formação de Escritores pelo Instituto Vera Cruz. Tem experiência na área de Game Design, com ênfase em Áudio para Games e Narrativa para Games; na área de Comunicação, com ênfase em Histórias em Quadrinhos; e na área de Letras, com ênfase em Teoria da Literatura. Produziu diversos artigos sobre histórias em quadrinhos, jogos, literatura, cinema e música para periódicos e websites.

José Fornari, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

José Eduardo Fornari Novo Junior holds a PhD in Electrical Engineering from the Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP (2003), where he is a full-time researcher at the Núcleo Interdisciplinar de Comunicação Sonora (Interdisciplinary Nucleus of Sound Communication), NICS.

 

Referências

AARSETH, Espen J. Cybertext: perspectives on ergodic literature. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1997.

ADORNO, Theodor W. Indústria cultural e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

AGUIAR, Michelle; BATTAIOLA, André Luiz. Gameplay: uma definição consensual à luz da literatura. In: SBGAMES, 15., set. 2016, São Paulo. Anais…: Art & Design Track, São Paulo: SBC, 2016, p. 531-538. Disponível em: http://www.sbgames. org/sbgames2016/downloads/anais/157561.pdf. Acesso em: 14 jul. 2021.

ARCADE game. In: TECHOPEDIA. [S.l.]: Janalta Interactive, 2021. Disponível em: www.techopedia.com/definition/1903/arcade-game. Acesso em: 8 fev. 2021.

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Lisboa: Relógio d’Água, 1991.

BORGES NETO, José. Música é linguagem? Revista Eletrônica de Musicologia, Curitiba: UFPR, v. IX, out. 2005. Disponível em: http://www.rem.ufpr.br/_REM/ REMv9-1/borges.html. Acesso em: 9 mar. 2021.

CAGE, David. How video games turn players into storytellers. TED Talks, abr. 2018. Disponível em: https://www.ted.com/talks/david_cage_how_video_ games_turn_players_into_storytellers. Acesso em: 15 fev. 2021.

CAMARGO, Fernando Emboaba de. Interatividade e narratividade sonora nos games. Campinas, 2018. 188 f. Tese (Doutorado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. 11. ed. São Paulo: Cultrix/Pensamento, 1995.

CARVALHO, Luiz Roberto; PEREIRA, Alice T. Cybis. Áudio dinâmico: o design de som nos ambientes interativos. Ergodesign e HCI, Rio de Janeiro, n. especial, v. 5, a. 5, 2017.

COLLINS, Karen. Game sound: an introduction to the history, theory, and practice of video game music and sound design. Cambridge, USA; London, UK: MIT Press, 2008.

CONSOLE game. In: TECHOPEDIA. [S.l.]: Janalta Interactive, 2021. Disponível em: https://www.techopedia.com/definition/756/console-game. Acesso em: 8 fev. 2021.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DUBOIS, Jean et al. Dicionário de linguística. 9. ed. São Paulo: Cultrix, 2004.

ESPOSITO, Nicolas. A short and simple definition of what a videogame is. In: DiGRA INTERNATIONAL CONFERENCE: Changing Views: Worlds in Play, 2005, Vancouver. Anais… Vancouver, Canada: DiGRA 2005, 16-20 jun. 2005. Disponível em: http://www.digra.org/digital-library/publications/a-short-and-simple-definition-of-what-a-videogame-is/. Acesso em: 5 fev. 2021.

FORNARI, José. Liberdade e significado musical. Musicologia na Mídia, Blogs de Ciência da Universidade Estadual de Campinas, 25 set. 2019a. Disponível em: www.blogs.unicamp.br/musicologia/2019/09/25/32/. Acesso em: 9 mar. 2021.

FORNARI, José. Modelos musicais de expectativa. Musicologia na Mídia, Blogs de Ciência da Universidade Estadual de Campinas, 20 fev. 2019b. Disponível em: www.blogs.unicamp.br/musicologia/2019/02/20/8/. Acesso em: 10 mar. 2021.

FORNARI, José. O compartilhamento de recursos cerebrais entre música e linguagem. Musicologia na Mídia, Blogs de Ciência da Universidade Estadual de Campinas, 31 jul. 2019c. Disponível em: www.blogs.unicamp.br/musicologia/2019/07/31/28/. Acesso em: 10 mar. 2021.

GAMEPAD. In: TECHOPEDIA. [S.l.]: Janalta Interactive, 2021. Disponível em: www.techopedia.com/definition/7363/gamepad. Acesso em: 8 fev. 2021.

GORBMAN, Claudia. Unheard melodies: narrative film music. Bloomington; Indianapolis: Indiana University Press; London: BFI Publishing, 1987.

GREIMAS, A. J.; COURTÉS, J. Dicionário de semiótica. São Paulo: Contexto, 2008.

HOUAISS, Antonio [Instituto]. Houaiss Eletrônico. Versão 3.0. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

IAZZETTA, Fernando. Entre a pesquisa e a criação: a experiência dentro da sonologia. In: CONGRESSO DA ANPPOM, XXIV., ago. 2014, São Paulo. Anais… São Paulo: ANPPOM, 2014. Disponível em: https://anppom.com.br/congressos/index. php/24anppom/SaoPaulo2014/paper/view/3014. Acesso em: 16 fev. 2021.

IAZZETTA, Fernando. Sonologia, uma tentativa de introdução. In: SEMINÁRIO MÚSICA CIÊNCIA TECNOLOGIA: Sonologia, 3., 2008, São Paulo. Anais… São Paulo: USP, 2008, p. 5-8. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/smct/ojs/index.php/smct/ article/view/36/35. Acesso em: 26 fev. 2021.

JOYSTICK. In: TECHOPEDIA. [S.l.]: Janalta Interactive, 2021. Disponível em: www.techopedia.com/definition/31108/joystick. Acesso em: 8 fev. 2021.

JØRGENSEN, Kristine. On the functional aspects of computer game audio. In: Proceedings of the Audio Mostly Conference, Interactive Institute, Piteå, Sweden, 2006. Disponível em: http://hdl.handle.net/1956/6734. Acesso em: 1 mar. 2021.

JØRGENSEN, Kristine. On transdiegetic sounds in computer games. Northern Lights: Film and Media Studies Yearbook, Bristol: Intellect Press, v. 5, n. 1, set. 2007, p. 105-117. Disponível em: http://hdl.handle.net/1956/5855. Acesso em: 12 fev. 2021.

JUUL, Jesper. Games Telling stories? A brief note on games and narratives. Game Studies: the international journal of computer game research, v. 1, n. 1, jul. 2001. Disponível em: http://www.gamestudies.org/0101/juul-gts/. Acesso em: 10 fev. 2021.

LUZ, Alan Richard da. Vídeo game: história, linguagem e expressão. São Paulo: Blucher, 2010.

MARQUES, Maria Helena Duarte. Iniciação à semântica. 6. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

MURRAY, Janet. From game-story to cyberdrama. Electronic Book Review, 1 mai. 2004. Disponível em: https://electronicbookreview.com/essay/from-game-story-to-cyberdrama/. Acesso em: 9 fev. 2021.

MURRAY, Janet. Hamlet no holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Itaú Cultural; Editora Unesp, 2003.

NOVAK, Jeannie. Desenvolvimento de games. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

PARKER, J. R.; HEEREMA, John. Audio interaction in computer mediated games. International Journal of Computer Games Technology, v. 2008, Article ID 178923, 2008.

PINTO, Tiago de Oliveira. Som e música: questões de uma antropologia sonora. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 44, n. 1, p. 221-286, 2001. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ra/issue/view/2039. Acesso em: 16 fev. 2021.

REIS, Carlos. Dicionário de estudos narrativos. Coimbra: Almedina, 2018.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Lopes. Dicionário de teoria da narrativa. São Paulo: Ática, 1988.

RODRIGUES, Gessica Palhares; PORTO, Cristiane de Magalhães. Realidade virtual: conceitos, evolução, dispositivos e aplicações. Interfaces Científicas: Educação, Aracaju, v. 1, n. 3, p. 97-109, jun. 2013. Disponível em: https://periodicos.set. edu.br/educacao/article/view/909/414. Acesso em: 16 fev. 2021.

ROGERS, Scott. Level up: um guia para o design de grandes jogos. São Paulo: Blucher, 2012.

ROVITHIS, Emmanouel. A classification of audio-based games in terms of sonic gameplay and the introduction of the audio-role-playing-game: Kronos. AM ‘12, Corfu, Greece, 26-28 set. 2012, p. 160-164.

ROVITHIS, Emmanouel; FLOROS, A.; KOTSIRA, L. Educational audio gamification: theory and practice. In: EUROPEAN CONFERENCE ON E-LEARNING (ECEL), 17., 2018. Anais… Atenas, v. 17, nov. 2018, p. 497-505.

ROVITHIS, Emmanouel; MNIESTRIS, A.; FLOROS, F. Educational audio game design: sonification of the curriculum through a role-playing scenario in the audio game ‘Kronos’. In: AM 2014, out. 2014, New York. Anais… Proceedings of the 9th Audio Mostly: A Conference on Interaction With Sound (AM '14). Association for Computing Machinery, New York, NY, USA, Article 21, p. 1-6.

SALEN, Katie; ZIMMERMAN, Eric. Regras do jogo: fundamentos do design de jogos: principais conceitos, v. 1. São Paulo: Blucher, 2012a.

SALEN, Katie; ZIMMERMAN, Eric. Regras do jogo: fundamentos do design de jogos: interação lúdica, v. 3. São Paulo: Blucher, 2012b.

SCHAFER, R. Murray. A afinação do mundo. São Paulo: Ed. Unesp, 2001.

SCHELL, Jesse. A arte de game design: o livro original. Trad. Edson Furmankiewicz. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

SCHUYTEMA, Paul. Design de games: uma abordagem prática. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

STINSON, Jim. Real-time sound effects: the Foley way. Videomaker, [1 July 1999]. Disponível em: https://www.videomaker.com/article/7220-real-time-sound-effects-the-foley-way. Acesso em: 3 mar. 2021.

Publicado
08-08-2021
Como Citar
PASSOS, L. J. P.; FORNARI NOVO JUNIOR, J. E. Música, linguagem e videogames: um estudo sonológico sobre suas contribuições, correlações e confluências. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, v. 8, n. 1, 8 ago. 2021.
Seção
Perspectivas Multidisciplinares no Campo da Arte