A Biblioteca Warburg e a biblioteca de artista: um possível desdobramento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v9i1.29637

Palavras-chave:

Kulturwissenschaftliche Bibliothek Warburg, Aby Waburg, Palavra, Atlas Mnemosyne, Biblioteca de artista

Resumo

Nota-se, a partir de meados dos anos de 1980, a retomada do interesse pela obra de Aby Warburg, com o aparecimento de diversos estudos em torno da Kulturwissenschaftliche Bibliothek Warburg (KBW) e do Atlas Mnemosyne. Nesse período foi detectado, no campo das artes visuais, o surgimento de inúmeras obras que utilizam-se da biblioteca como um suporte artístico. Provisoriamente denominadas bibliotecas de artista, o termo descreve a biblioteca como um espaço de construção poética e as produções de artistas cujo suporte é o espaço da biblioteca, seja esse um espaço real ou ficcional. Essa reflexão busca compreender as possíveis relações entre a KBW e as bibliotecas de artista. Serão apresentadas obras de Cláudio Parmigiani (Sem título, 2009) e Leila Danzinger, intituladas Ato e Fato e Tevye, o leiteiro (da Série A.S.A., 2018), e Bildung (2014).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Gomes Penido, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Adriana Gomes Penido (PhD), é artista e pesquisadora. Se interessou pela obra de Aby Warburg devido a seu interesse pela biblioteca como campo de reflexão. A KBW foi um ponto central em sua investigação. Vive e trabalha em Belo Horizonte, Brasil.

Referências

AGAMBEM, Giorgio. A potência do pensamento – ensaios e conferências. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

BARATIN, Marc; JACOB, Christian (org.). O poder das bibliotecas - a memória dos livros no Ocidente. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2000.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2013a.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Atlas ou a gaia ciência inquieta. Lisboa: KKYKKYM+EAUM, 2013b.

RANGEL, Daniel. Cem anos após Duchamp, debate sobre os limites da arte ainda gera polêmica. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2017/10/1924904-cem-anos-apos-duchamp-controversia-sobre-o-que-e-arte-ainda-gera-polemica.shtml. Acesso em: 20/12/2018.

RECHT, Roland. A escritura da história da arte diante dos modernos (observações a partir de Riegl, Wöfflin, Warburg e Panofsky. In: HUCHET, Stéphane (org.). Fragmentos de uma teoria da arte.São Paulo, Editora da USP, 2012, p.33- 60.

SETTIS, Salvatore. Warburg continuatus- descripción de una biblioteca. Madrid: Ediciones de La Central, 2011.

SUAREZ, Rosana. Nota sobre o conceito de Bildung (formação cultural). http://dx.doi.org/10.1590/S0100-512X2005000200005. Acesso em: 02/09/2019.

Downloads

Publicado

28-07-2022

Como Citar

GOMES PENIDO, A. A Biblioteca Warburg e a biblioteca de artista: um possível desdobramento. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 9, n. 1, 2022. DOI: 10.36025/arj.v9i1.29637. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/29637. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Variações sobre o Warburgiano / Variaciones sobre lo Warburguiano