Artes, humanidades e as ciências: música e a mediação de tensões interdisciplinares

Autores

  • Ian Cross Cambridge University

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v1i1.5271

Resumo

As ciências, por um lado, e as artes e humanidades, por outro, parecem comprometidas com maneiras diferentes de criar, compreender e usar o conhecimento. O papel da autoridade ou a validade do conhecimento nas ciências podem ser externalizados e generalizados através do processo de revisão por pares, ao passo que o conhecimento nas artes e humanidades é, muitas vezes, validado por meio da reputação, do apoio de especialistas e da influência direta. Historicamente, as duas co-existiram no sistema acadêmico sem, parece, se importar muito uma com a outra. Ao focalizar a discussão de algumas dessas questões, usarei minha própria instituição, o Centro de Música e Ciência (CMS) da Universidade de Cambridge, para poder sugerir maneiras pelas quais as abordagens inter-disciplinares podem reconhecer a especificidade das ciências, das artes e das humanidades, de modo a beneficia ambas.

Palavras-chave: ciências e artes; especificidades; processos de validação; criação e uso diferenciado do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ian Cross, Cambridge University

Inicialmente guitarrista, desde 1986 Ian Cross ensina na Faculdade de Música da Universidade de Cambridge, onde ele é professor e diretor no Centro de Música e Ciência, bem como membro do Wolfson College. Sua pesquisa é interdisciplinar, guiada pelo objetivo de desenvolver uma compreensão integrada da música conforme fundamentação na biologia e cultura; publicou extensamente nas áreas de cognição musical, teoria da música, etnomusicologia, música e evolução, acústica arqueológica, psicoacústica e, mais recentemente, sobre as relações entre música e linguagem.

Referências

BRUNER, Jerome. Actual minds, possible worlds. London: Harvard University Press, 1986.

HACKING, Ian. The social construction of what? London: Harvard University Press, 1999.

JENSEN, Michael. Authority 3.0: friend or foe to scholars? Journal of Scholarly Publishing, n. 39 v.1, p. 297-307, 2007.

KERR, Clark. The uses of the university. London: Harvard University Press, 1963.

LAKATOS, Imre. Falsification and the methodology of scientific research programmes. In: I. Lakatos & A. Musgrave (Eds.), Criticism and the growth of knowledge. Cambridge: C.U.P., 1970.

LAKOFF, George. Women, fire and dangerous things. Chicago: University of Chicago Press, 1987.

MERRIAM, Alan. P. Purposes of Ethnomusicology, an Anthropological View. Ethnomusicology, n.7, v. 3, p. 206-213, 1963.

POPPER, Karl. Natural selection and the emergence of mind. Dialectica, n. 32, v. 3-4, p. 339-355, 1978.

Publicado

05-05-2014

Como Citar

CROSS, I. Artes, humanidades e as ciências: música e a mediação de tensões interdisciplinares. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 18–34, 2014. DOI: 10.36025/arj.v1i1.5271. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/5271. Acesso em: 20 jun. 2024.