O conceito de gênero musical no repertório e nas áreas de antropologia, comunicação, etnomusicologia e musicologia

  • Marcio Guedes Correa FIAM-FAAM Centro Universitário
Palavras-chave: Gênero musical, Manifestações musicais, Música erudita, Música popular, Música folclórica

Resumo

O objetivo desse artigo é trazer à baila algumas considerações a respeito das funções e utilizações dos gêneros musicais articuladas por diferentes autores das áreas de antropologia, comunicação, etnomusicologia e musicologia para, a partir delas, formular um possível conceito de gênero em música. As reflexões expostas e avaliadas nesse trabalho foram selecionadas por meio de uma pesquisa de caráter bibliográfico. Como resultado dessa análise, foi possível perceber que não há consenso a respeito do que é gênero musical. Dessa maneira, pode-se concluir que esse conceito se configura como um conjunto de funções e significados decorrentes de interesses diversos, atribuído às manifestações musicais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcio Guedes Correa, FIAM-FAAM Centro Universitário

Possui doutorado em música: relações interdisciplinares pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp (2018), mestrado em Música: musicologia/etnomusicologia pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp (2007) e graduação em Educação Artística com Licenciatura Plena em Música pela Faculdade de Artes Alcântara Machado (2002). Atualmente é 1º secretário da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música (ANPPOM ) e professor do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: violão, guitarra, educação musical, composição musical, instrumentação, musicologia e etnomusicologia.  

Referências

ALBINO, Cesar. LIMA, Sonia R. Albano de. O percurso histórico da improvisação no ragtime e no choro. In: Per Musi, Belo Horizonte, n.23, 2011, p.71-81.
ANDRADE, Mário de. Dicionário Musical Brasileiro. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1989.
BAUMAN, Zygmunt. A cultura no mundo líquido moderno; tradução: Carlos Alberto Medeiros. – 1 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.
_______________. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução: Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.
CARVALHO, José Jorge de. Transformações da sensibilidade musical contemporânea. In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 5, n. 11, p. 53-91, out. 1999.
CASTRO, Beatriz Magalhães. COSTA, Pablo Garcia da. Elementos extra-musicais na obra de K-ximbinho: questões sobre iconografia musical em suas capas de disco entre 1950 e 1960. In Per Musi, Belo Horizonte, n.23, 2011, p.124-137.
CORREA, Marcio Guedes. Gêneros musicais e suas múltiplas funções e significados no repertório e nas diversas áreas de conhecimento. Tese de doutorado apresentada ao Instituto de Artes da Unesp, 2018.
DENIZEAU, Gérard. Los géneros musicales: Una visión diferente de la historia de la música. Tradução: Eva Jiménez Juliá. Barcelona: Ma non Troppo – Ediciones Robinbook, 2005.
FABBRI, Franco. A theory of musical genres: two applications. Paper delivered at the First International Conference on Popular Music Studies. Amsterdam, 1981.
JANOTTI JR, Jeder Silveira. Música popular massiva e gêneros musicais: produção e consumo da canção na mídia. IN: comunicação, mídia e consumo, São Paulo, vol. 3 n. 7 p. 3 1 - 4 7 jul. 2006.
__________. À procura da batida perfeita: A importância do gênero musical para a música popular massiva. In: Éco-pós. V.6, n.2, agosto-dezembro 2003, pp. 31-46.
__________. Gêneros musicais, performance, afeto e ritmo: uma proposta de análise midiática da música popular massiva. In: Contemporânea, vol.2, no 2 p 189-204 Dez 2004.
LARA Filho, Ivaldo Gadelha de, SILVA, Gabriela Tunes da, FREIRE, Ricardo Dourado. Análise do contexto da Roda de Choro com base no conceito de ordem musical de John Blacking. In: PERMUSI, nº23, Janeiro-julho de 2011.
MEIRELLES, Regina. O SAMBA-CANÇÃO a eloqüência de um gênero musical. In: Textos Escolhidos de Cultura e Arte Populares, vol.2. n. 2. 2005.
MICHELS, Ulrich (editor) Atlas de música, I. Madrid: Alianza Editorial, 1999.
PIEDADE, Acácio. Perseguindo fios da meada: pensamentos sobre hibridismo, musicalidade e tópicas. In: Per Musi, Belo Horizonte, n.23, 2011, p.103-112.
SANDRONI, Carlos. Categorias raciais e gêneros musicais gravados no Rio de Janeiro dos anos 1930 e 1940. In: REVISTA USP, São Paulo, n.87, p. 134-143, setembro/novembro 2010.
SANT’ANA, Raquel. Debates sobre o tecnobrega: indústria cultural em termos de pós-fordismo. In: Revista História e Cultura, Franca-SP, v.2, n.2, p.78-96, 2013.
SCHROEDER, Jorge Luiz. Corporalidade musical na música popular: uma visão da performance violonística de Baden Powell e Egberto Gismonti. In: Per Musi, Belo Horizonte, n.22, 2010.
TRAVASSOS, Elizabeth. Tradição oral e história. In: Revista de História – Departamento de História da USP, São Paulo, nº 157, segundo semestre de 2007.
ZAMACOIS, Joaquín. Temas de Estética y de Historia de la Música: Barcelona: Labor, 1984.
Publicado
05-06-2019
Como Citar
CORREA, M. G. O conceito de gênero musical no repertório e nas áreas de antropologia, comunicação, etnomusicologia e musicologia. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, v. 5, n. 2, 5 jun. 2019.