A aprendizagem da docência em teatro através da participação em um projeto de Extensão Universitária

Autores

  • Ricardo Carvalho de Figueiredo Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v2i1.5430

Palavras-chave:

Pedagogy of the theater, teacher training, apprenticeship, university extension.

Resumo

Problematizo nesse artigo a aprendizagem da docência em teatro com estudantes participantes de um projeto de extensão universitária. Proponho a formação do professor-artista e que sua prática artística dialogue com sua prática pedagógica, possibilitando que um processo alimente o outro e traga contribuições para uma renovação da prática teatral na escola. Justifico a importância do licenciando estar imerso no seu campo de trabalho e parto da premissa de que é na escola que de fato temos um aprendizado do que é ser professor. Finalizo o texto compreendendo a importância da imersão do futuro professor na escola, em uma parceria entre a escola e a universidade para a formação docente onde aprender não é distinto de fazer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Carvalho de Figueiredo, Universidade Federal de Minas Gerais

É doutor em Artes pela EBA/UFMG e docente do curso de graduação em teatro da mesma instituição. Atua na área da formação de professores de teatro e investiga a aprendizagem situada na formação do professor. É coordenador do subprojeto PIBID Teatro CAPES/FaE/UFMG desde 2011 e coordenador do projeto de extensão universitária “Teatro-educação: experimentos teatrais na Educação Infantil” junto à Unidade Municipal de Educação Infantil Alaíde Lisboa desde 2010. É membro da ABRACE e integrante do GT Pedagogia das Artes Cênicas.

Referências

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução CNE/CP 2/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2004. Seção 1, p. 2.

CARVALHO, Marília Pinto de. Vozes masculinas numa profissão feminina. Revista Estudos Feministas. Rio de Janeiro. Vol. 6. Nº 2. IFCS/UFRJ. 1998.

CUNHA, Amélia. Sobre a carreira docente, a feminização do magistério e a docência masculina na construção do gênero e da sexualidade infantil. In: IX ANPED Sul – Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul. 2012.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. A formação acadêmico-profissional: compartilhando responsabilidades entre universidades e escolas. In: EGGERT, E. (org.). Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. (p. 253 – 267).

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. A universidade e a formação de professores: uma discussão necessária. In: Boletim UFMG. Nº 1.772. ano 38. 23 de abril de 2012.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão e a flexibilização curricular: uma visão da extensão. Porto Alegre: UFRGS; Brasília: MEC/SESu, 2006.

Rede Nacional de Extensão http://www.renex.org.br

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 14ª Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

GALLO, Silvio. Repensar a educação: Foucault. Educação & Realidade. Porto Alegre: UFRGS, v.29, n.1, jan/jun. 2004, p.79-97.

INGOLD, Timothy. From the transmission of representations to the education of attention. In: H. Whitehouse (ed.), The debated mind: evolutionary psychology versus ethnography (Oxford: Berg, 2001), p. 113-153.

LAVE, Jean & WENGER, Etienne. Aprendizaje situado: participación periférica legítima. Universidad Nacional Autônoma de México. Estado de México, México, 2003.

MARTINS, Marcos Bulhões. Dramaturgia em Jogo: uma proposta de ensino e aprendizagem do teatro. Tese de Doutorado. SP: ECA – USP, 2006.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Trad. J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. São Paulo: Perspectiva, 1999.

PUPO, Maria Lúcia de Souza Barros. Além das Dicotomias. In: Seminário Nacional de Arte e Educação. Educação Emancipatória e Processos de Inclusão Sócio-Cultural, 2001, Montenegro, RS. Anais do Seminário Nacional de Arte e Educação. Montenegro, RS: Fundação Municipal de Artes de Montenegro, 2001. p. 31-34.

PUPO, Maria Lúcia. Prefácio: Abraçar e ser abraçado. In: DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do Teatro: Provocação e Dialogismo. São Paulo: Hucitec, 2006. (p. 11 – 16)

PUPO, Maria Lúcia. Formação de formadores em cena. In: Lamparina: Revista de ensino de teatro. v. 1, n.1. Belo Horizonte: Escola de Belas Artes da UFMG, 2010. (p.43 – 49).

ROLDÃO, Maria do Céu. Formar para a excelência profissional – pressupostos e rupturas nos níveis iniciais da docência. In: Educação e Linguagem. UFRGS. Ano 10, nº 15, jan-jun, 2007 (p. 18 – 42).

RYNGAERT, Jean-Pierre. Jogar, representar: práticas dramáticas e formação. SP: Cosac Naify, 2009.

SANTANA, Arão Paranaguá de. Teatro e Formação de Professores. São Luís: EDUFMA, 2000.

TARDIF, Maurice & RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. In: Educação e Sociedade. Ano XXI, nº 73, dezembro de 2000. (p. 209 – 244).

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 12ªed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

VINCENT, Guy; LAHIRE, Bernard; THIN, Daniel. Sobre a história e teoria da forma escolar. Educação em Revista. Belo Horizonte, n.33, jun. 2001.

Publicado

30-06-2015

Como Citar

FIGUEIREDO, R. C. de. A aprendizagem da docência em teatro através da participação em um projeto de Extensão Universitária. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 138–153, 2015. DOI: 10.36025/arj.v2i1.5430. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/5430. Acesso em: 26 set. 2022.