O teatro atravessado

  • Christophe Bident Université de Picardie Jules Verne
Palavras-chave: Teatro contemporâneo, Teatro atravessado, site-specific, Vídeo, Novas tecnologias

Resumo

O autor tenta dar conta aqui da multiplicidade de formas e de lugares da criação teatral contemporânea por meio da noção de “teatro atravessado”. Ele se apoia especialmente em três exemplos escolhidos por sua heterogeneidade: BR-3, trabalho site-specific do Teatro da Vertigem; as performances vídeo-teatrais do Grupo Berlin, em particular Land’s end; as criações literárias, visuais e tecnológicas do encenador Guy Cassiers. O entendimento é o de que esses espetáculos procuram produzir nos espectadores menos representações que perspectivas, para retomar a noção antropológica de Viveiros de Castro: deslizamentos perceptivos, desligamentos conceituais, desfiliações sociais, colocando em ação, cada um à sua maneira, a política do “mestre ignorante” à que se refere Jacques Racière. Eles promovem assim novos modos de subjetivação.

Tradução do francês para o português de José da Costa (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO) 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christophe Bident, Université de Picardie Jules Verne

Christophe Bident é Professor de teatro na Universidade de Picardie – Jules Verne, na qual ele dirige o Instituto de Artes (Unité de Formation et de Recherche en Arts). Suas pesquisas o situam no cruzamento da literatura, do teatro e da filosofia. Ses recherches le portent au croisement de la littérature, du théâtre et de la philosophie. Sua publicações principais são as seguintes: Maurice Blanchot, partenaire invisible (Champ Vallon, 1998); Reconnaissances – Antelme, Blanchot, Deleuze (Calmann-Lévy, 2003); Le Geste théâtral de Roland Barthes (Hermann, 2012) e Koltès, le sens du monde (Les Solitaires intempestifs, 2014). Ele é também o responsável pela crítica teatral da revista Magazine Littéraire desde 2010.

Referências

AUDIO, Roberto, FERNANDES, Sílvia (org.). BR-3. São Paulo: Perspectiva/ EDUSP, 2006.

BIDENT, Christophe e LARMET, Chloé. Guy Cassiers: les images entravées. Théâtre Public, n° 212, avril-juin 2014, p. 42-48.

PINÇON, Guillaume. Anthropophagie du dehors: étude de théâtralités contemporaines au Brésil. Thèse inédite. Université de Picardie-Jules Verne, 2013. [Antropologia do fora: estudo de teatralidades contemporâneas no Brasil. Tese inédita defendida em co-tutela internacional. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO].

RANCIÈRE, Jacques. Le Spectateur émancipé. Paris: La Fabrique, 2008.

STANISLAVSKI, Constantin. Notes artistiques [1907-1913]. Trad. Macha Zonina et Jean-Pierre Thibaudat. [Belval]: Circé, 1997.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Métaphysiques cannibales. Trad. Oiara Bonilla. Paris: Presses Universitaires de France, collection « Métaphysiques », 2009.

Publicado
17-05-2016
Como Citar
BIDENT, C. O teatro atravessado. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, v. 3, n. 1, p. 50-64, 17 maio 2016.
Seção
Dossiê: Teatro em campo expandido