Escopo e Foco

A revista BiblioCanto é uma publicação eletrônica da Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), portanto, um espaço aberto para divulgação de trabalhos originais e inéditos de pesquisas científicas, artigo, ensaio, entrevista, relato de experiência, resenha, resumo, resumo expandido, na área da Ciência da Informação, Biblioteconomia, Arquivologia e áreas correlatas.
A BiblioCanto tem como missão a publicação do conhecimento na área da Ciências Sociais Aplicadas mais especificamente nas áreas de Ciência da informação, abrangendo a Biblioteconomia, Arquivologia e Teoria da informação de acordo com os parâmetros CAPES.

 

Histórico do periódico


O BiblioCanto é uma publicação da Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O mesmo foi lançado, inicialmente no formato de Jornal, em outubro do ano de 1994, durante a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, na gestão da então diretora Rejane Lordão Monteiro. O título do referido jornal foi sugerido pela bibliotecária Gildete Moura de Figueirêdo.
De acordo com Monteiro (1995, p. 2), a BiblioCanto é considerada “um espaço aberto para a informação, é a louvação à Biblioteca e à Biblioteconomia, é o veículo (no jornalismo) para divulgação de artigos de alunos, professores e funcionários da Universidade e, de intelectuais deste e de outros Estados”.
Esse periódico circulou durante o ano de 1995, com periodicidade semestral, sob a edição do escritor e jornalista Paulo Augusto, no entanto, sofreu interrupção de 1996 a 1999. O relançamento do BiblioCanto, em maio de 1999, na gestão da Profª Rildeci Medeiros, foi uma das marcas das comemorações do 40º aniversário da Biblioteca Central Zila Mamede, expressando dessa forma a continuação do sonho de Zila Mamede em transformar a biblioteca num espaço cultural.
O BiblioCanto sofreu nova interrupção em 2001 e só voltou a circular no ano de 2008, sob a responsabilidade da bibliotecária Nadia Aurora Vanti Vitullo. Nesse ano, o jornal passou por um processo de mudança e ingressou na era digital, a qual permitiu mais agilidade e rapidez ao processo de editoração.
Em 2009, o BiblioCanto sofre outra interrupção em virtude da mudança de cargo da sua última editora, bem como da carência de recurso humano especializado para dar andamento aos trabalhos da revista. E, no ano de 2015, o BiblioCanto passou para o formato de revista eletrônica, utilizando o Open Journal System (OJS), reafirmando o seu objetivo precípuo de servir como espaço aberto a disseminação da produção científica produzida no País.