Gamificação para o ensino de engenharia no contexto da indústria 4.0: metodologia estratégica para a motivação dos estudantes

Palavras-chave: Quarta Revolução Industrial; Gamificação; Teoria do Flow.

Resumo

O objetivo deste estudo é propor a gamificação como ferramenta didática para o ensino da indústria 4.0, buscando fomentar a motivação e a satisfação discente durante o aprendizado. A proposta de gamificação tem a intenção de melhorar o desempenho discente pela ferramenta didática de jogos no ensino de engenharia, seja pela motivação discente fomentada no aprendizado pela gamificação dos conteúdos e atividades, seja pelo desempenho acadêmico resultante da consolidação do conhecimento nos jogos didáticos. A avaliação do processo de ensino e aprendizagem é proposta na forma de survey, do qual se pode obter o feedback discente acerca da sua motivação e satisfação do conteúdo e da forma de abordagem. A coleta prévia dos dados foi realizada por instrumento gamificado virtual em uma turma de graduação do em Engenharia em uma Universidade Federal brasileira. A análise prévia dos dados apresentou uma experiência discente positiva com o instrumento gamificado. Esse resultado indica que a Gamificação pode ser uma importante ferramenta docente para o aprendizado discente no conteúdo proposto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Luiz Perez Teixeira, Universidade Federal de Itajubá

Professor adjunto na Universidade Federal de Itajubá Campus de Itabira, Curso de Engenharia dos Materiais. Doutor em Ciências, Engenharia Metalúrgica e de Materiais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011) com doutorado em cotutela em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (2011), Mestre em Engenharia Metalúrgica e de Minas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2004), Graduado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Minas Gerais (1996) e especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Federal de Minas Gerais (1998). Professor de magistério superior pela Universidade Federal de Itajubá campus avançado de Itabira para cursos envolvendo materiais metálicos e compósitos (2013). Associado à ABM: Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração e à SME: Sociedade Mineira de Engenheiros. Professor de magistério superior pela Universidade Federal de Itajubá campus avançado de Itabira para cursos envolvendo materiais metálicos e compósitos (2013). Possui capacitação recente em metodologias de ensino e educação para engenharia pela UMinho (Portugal) e University of Delaware (EUA), com publicação de trabalhos em revistas, capítulos de livros e eventos. Associado à ABM, Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração e à SME, Sociedade Mineira de Engenheiros.

Priscilla Chantal Duarte Silva, Universidade Federal de Itajubá

Graduou-se em Letras com Habilitação em Português / Inglês pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2005), obteve título de Mestre em Linguística e Língua Portuguesa (bolsista CAPES) pela mesma instituição (2008). Em seu mestrado, estudou, na Análise do discurso e na Filosofia da Linguagem, a intencionalidade da mente com um enfoque na intencionalidade discursiva em charges políticas, visando identificar a direcionalidade semântica nesse gênero textual. Em 2013, concluiu doutoramento em Linguística e Língua Portuguesa, também pela PUC-MG, investigando a relação da leitura com os processos mnemônicos, em pacientes com Alzheimer. Em 2019, concluiu pós-doutorado em Comunicação e Discursos, na linha de Linguística Cognitiva na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa - FUL Portugal, estudando o uso de metáforas conceituais nas Ciências e em discursos sobre sustentabilidade ambiental. Tem experiência na área de Linguística e sua atividade de pesquisa está voltada principalmente para as áreas de: cognição, semântica, comunicação, educação e ensino.

Max Leandro de Araújo Brito, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2010), graduação em Biologia - Claretiano Centro Universitário (2018), mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2012) e doutorado em Energia pela Universidade Federal do ABC (2014). Atualmente é professor ajunto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tem interesse nas várias vertentes do pensamento crítico de Ivan Illich, a saber, gestão, educação, religião, energia, logística, meio ambiente, saúde, câncer. 

Referências

Alves, L. R. G.; Minho, M. R. D. S.; Diniz, M. V. C. (2014). Gamificação: diálogos com a educação. In: Fadel, L. M. et al. (Org.). Gamificação na Educação. São Paulo, Pimenta Cultural, pp. 74-97. Obtido de: http://www.pgcl.uenf.br/arquivos/gamificacao_na_educacao_011120181605.pdf

Bissolotti, K.; Nogueira, H. G.; Pereira, A. T. C. (2014). Potencialidades das mídias sociais e da gamificação na educação a distância. RENOTE-Revista Novas Tecnologias na Educação, 12(2). Obtido de: https://doi.org/10.22456/1679-1916.53511.

Bordinhão, J.; Golfetto, I. F.; Baldessar, M. J., & Spanhol, F. J. (2014). Gamificação na educação. Seção 2, Gamification e teoria do flow. São Paulo: Pimenta Cultural, pp. 38-73.

Borges, S. D. S., Reis, H. M., Durelli, V. H., Bittencourt, I. I., Jaques, P. A., & Isotani, S. (2013). Gamificação aplicada à educação: um mapeamento sistemático. In Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-SBIE), Vol. 24, No. 1, p. 234. Obtido de: http://dx.doi.org/10.5753/cbie.sbie.2013.234.

Callister Jr, W. D. (2002). Ciência e Engenharia de Materiais: Uma Introdução. 12, Ligas Metálicas, 5ª Edição. Rio de Janeiro: LTC, pp. 243-263.

Centro de Gestão e Estudos Estratégicos - CGEE (2010). Siderurgia no Brasil 2010-2025. Capítulo 4, Lingotamento e Laminação (pp. 61-69) e “capítulo 5, Gestão Ambiental” (pp. 70-82). Brasília, 2010. Obtido de: https://www.cgee.org.br/documents/10195/734063/Siderurgia_no_Brasil__9567.pdf/893da7ee-8608-4251-adc1-10c2bf95b009?version=1.0

Csikszentmihalyi, M. (1990). Flow: The psychology of optimal experience. New York, NY: Harper Collins, p.74.

Da Silva, A. R. L., Sartori, V., & Catapan, A. H. (2014). Gamificação na educação. Seção 8, Gamificação: uma proposta de engajamento na educação corporativa. São Paulo: Pimenta Cultural, pp. 192-227. Obtido de: https://www.pimentacultural.com/gamificacao-na-educacao.

Easy LMS. (2019). Learning Management System. Obtido de: https://www.easy-lms.com/pt/, https://www.easy-lms.com/pt/centro-de-conhecimento/centro-conhecimento/aprendizagem-movel/item10388.

Ferreira, C. R.; Tavares, S. S.; Ferreira, B. H. M.; Fernandes, A. M.; Fonseca, S. J. G.; Oliveira, C. A. D. S.; Gouveia, L. L. D. A. (2017). Comparative Study About Mechanical Properties of Strutural Standard Concrete and Concrete with Addition of Vegetable Fibers. Materials Research, 20, pp.102-107. Obtido de: https://doi.org/10.1590/1980-5373-mr-2016-0905.

Gomes, M. S.; Da Silva, M. J. F. (2018). Gamificação: uma estratégia didática fundamentada pela perspectiva da Teoria das Situações Didáticas. Horizontes-Revista de Educação, 6(11), pp.18-30. Obtido de: https://doi.org/10.30612/hre.v6i11.8398.

Iedi. (2019). Políticas para o desenvolvimento da indústria 4.0 no Brasil. Website do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI). Obtido de: https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/15486.

Kiryakova, G.; Angelova, N.; Yordanova, L. Gamification in education. (2014). Computer Science. Obtido de: https://www.researchgate.net/profile/Gabriela_Kiryakova/publication/320234774_GAMIFICATION_IN_EDUCATION/links/59d6514eaca27213df9e77e4/GAMIFICATION-IN-EDUCATION.pdf.

Lee, J. J.; Hammer, J. (2011). Gamification in Education: What, How, Why Bother? Academic Exchange Quarterly, 15(2).

McGonigal, J. (2011). Reality Is Broken: Why Games Make Us Better and How They Can Change the World. Penguin Press. New York, NY.

Mello, J. A. V. B., Gusmão, L. D. V. S. D., Feliciano, D. R.; Santos, F. (2019). Gamificação como alternativa de ensino e interação com a sociedade. Da Investigação às Práticas, 9(2), pp. 31-45. Obtido de: http://dx.doi.org/10.25757/invep.v9i2.163.

Pereira, A.; De Oliveira Simonetto, E. (2018). Indústria 4.0: conceitos e perspectivas para o Brasil. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 16(1). Obtido de: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v16i1.4938.

Ramos, A. B.; Junior, D. C. V. (2019). A utilização de gamificação para o ensino de gestão de projetos. International Journal of Knowledge Engineering and Management (IJKEM), 8(20), pp. 25-49. Obtido de: http://stat.intraducoes.incubadora.ufsc.br/index.php/IJKEM/article/view/5388.

Santos, B. P.; Alberto, A.; Lima, T. D. F. M.; Charrua-Santos, F. M. B. (2018). Indústria 4.0: desafios e oportunidades. Revista Produção e Desenvolvimento, 4(1), pp.111-124. Obtido de: https://doi.org/10.32358/rpd.2018.v4.316.

Seaborn, K.; Fels, D. I (2015). Gamification in theory and action: A survey. Int. J. Human-Computer Studies 74 (2015), pp.14–31.

Shackelford, J. F. (2008) Ciência dos materiais. 11, Metais. 6ª edição. Pearson. São Paulo, pp. 267-273.

Silveira, C.B. (2019). O Que é Indústria 4.0 e Como Ela Vai Impactar o Mundo. Obtido de: CitiSystems. https://www.citisystems.com.br/industria-4-0/.

Teixeira, R. L. P.; Teixeira, C. H. S. B.; de Araujo Brito, M. L.; Silva, P. C. D. (2019). Os discursos acerca dos desafios da siderurgia na indústria 4.0 no Brasil. Brazilian Journal of Development, 5(12), 28290-28309. Obtido de: https://doi.org/10.34117/bjdv5n12-016.

Teixeira, R. L. P.; Teixeira, C. H. S. B.; de Lacerda, J. C. (2019). Estudo de caso: descrição do sistema de qualidade total em uma unidade de laminação a frio de aço. Research, Society and Development, 8(1), e1781570-e1781570. Obtido de: https://doi.org/10.33448/rsd-v8i1.570.

Tortorella, G. L.; Fettermann, D. (2018). Implementation of Industry 4.0 and lean production in Brazilian manufacturing companies. International Journal of Production Research, 56(8), 2975-2987. Obtido de: https://doi.org/10.1080/00207543.2017.1391420.

Tropia, C. E. Z.; Silva, P. P.; Dias, A. V. C. (2017). Indústria 4.0: Uma caracterização do sistema de produção. In XVII Congresso Latíno-Iberoamericano de Gestión Tecnologica. ALTEC. Obtido de: https://www.researchgate.net/profile/Celio_Tropia/publication/317475373_Industria_40_uma_caracterizacao_do_sistema_de_producao/links/593b17fdaca272c4d9312200/Industria-40-uma-caracterizacao-do-sistema-de-producao.pdf

Publicado
05-03-2021
Como Citar
TEIXEIRA, R. L. P.; SILVA, P. C. D.; BRITO, M. L. DE A. Gamificação para o ensino de engenharia no contexto da indústria 4.0: metodologia estratégica para a motivação dos estudantes. Revista de Casos e Consultoria, v. 12, n. 1, p. e23964, 5 mar. 2021.
Seção
Artigos