AAnálise dos sólidos solúveis totais e do pH de chás e sua relação com a lesão cariosa e a erosão dentária

Autores

Palavras-chave:

Chá; Ingestão de Líquidos; Erosão dentária; Cárie dental; Acidez.

Resumo

A dieta representa um dos principais fatores associados à cárie e ao processo de erosão dentária, cujos alimentos consumidos influenciam diretamente na saúde oral do indivíduo. As alterações de pH no meio bucal, assim como a exposição frequente aos açúcares, podem resultar na desmineralização da estrutura dentária, expondo dentina e os túbulos dentinários, ocasionando dor, hipersensibilidade e comprometimento funcional e estético. Nesse sentido, objetivo do presente estudo foi avaliar as propriedades físico-químicas de três marcas e sabores de chás disponíveis no mercado, verificando os valores referentes à quantidade de açúcar e pH dessas bebidas, analisando se estão abaixo do pH crítico de potencial cariogênico e desmineralização dentária. A pesquisa seguiu a metodologia físico-química utilizada no estudo do Instituto Adolfo Lutz, na qual os Sólidos Solúveis Totais foram avaliados por meio da Escala Brix e a Acidez Titulável através do equipamento pHmêtro. Foram analisadas três marcas de chás, incluindo três sabores para cada marca. Nenhuma das amostras testadas apresentou quantidade de Sólidos Solúveis Totais significativas, revelando a ausência de açúcar em sua composição. Contudo, das três marcas analisadas, duas (Maravilhas da Terra e Q-vita) apresentaram valores de pH abaixo do considerado crítico (pH = 5,5) para dissolução da estrutura dentária, sendo capazes de induzir sua desmineralização, desencadeando um processo erosivo, na hipótese de tais bebidas serem consumidas em excesso. Desse modo, é possível identificar a importância do conhecimento da dieta como coadjuvante no diagnóstico de patologias bucais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMAECHI, B. T.; HIGHAM, S. M. In vitro remineralisation of eroded enamel lesions by saliva. Journal of dentistry, v. 29, n. 5, p. 371-376, 2001.

BIRKHED, D. Sugar content, acidity and effect on plaque pH of fruit juices, fruit drinks, carbonated beverages and sports rinks. Caries Res, Basel, v. 18, n..., p. 120-127, 1984.

BOMFIM, Alessandra Raymundo; COIMBRA, Maria Elisa Rodrigues; MOLITERNO, Luiz Flávio Martins. Potencial erosivo dos repositores hidroeletrolíticos sobre o esmalte dentário: revisäo da literatura. Rev. bras. odontol, p. 164-8, 2001.

CARVALHO, Edemir. Cidades brasileiras, crescimento e desigualdade social. Org & Demo, v. 3, p. 45-54, 2002.

CARVALHO, Tayana Silva et al. Analise do histórico de métodos de emagrecimento dos pacientes submetidos a cirurgia bariátrica em um hospital público de Belém-PA. RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 10, n. 55, p. 4-11, 2016.

CATÃO, Maria Helena Chaves de Vasconcelos; SILVA, Ayonara Dayane Leal da; OLIVEIRA, Ricardo Miguel de. Propriedades físico-químicas de preparados sólidos para refrescos e sucos industrializados. RFO UPF, v. 18, n. 1, p. 12-17, 2013.

CAVALCANTI, Alessandro Leite et al. Determinação dos sólidos solúveis totais (OBRIX) e pH em bebidas lácteas e sucos de frutas industrializados. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, v. 6, n. 1, p. 57-64, 2006.

CRUZ, Celsa Karolayne Silva et al. O uso de plantas medicinais no tratamento da obesidade: revisão integrativa. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. e439997167-e439997167, 2020.

CUNHA, Diego Alves da et al. Avaliação do Efeito Erosivo em Microscopia Eletrônica de Varredura e Propriedades Físico-Químicas de Bebidas Gaseificadas de Baixa Caloria. Rev. bras. ciênc. saúde, p. 3-10, 2011.

DAWES, Colin. What is the critical pH and why does a tooth dissolve in acid?. Journal-Canadian Dental Association, v. 69, n. 11, p. 722-725, 2003.

DUARTE, Juliane Lucas Guastuci et al. A relação entre o consumo de chá verde ea obesidade: Revisão. RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 8, n. 43, p. 4, 2014.

Euromonitor International. Global Tea: Consumer Trends Converge Around Brewed Beverages. Disponível em: https://www.euromonitor.com/global-tea-consumer-trends-converge-around brewedbeverages/report?utm_campaign=Content%20Distribution&utm_medium=PR&utm_source=Partner&utm_content=APEX. Acesso em 21/01/2022.

FURTADO, Juliana Resende et al. Aspectos físico-químicos relacionados ao potencial erosivo de bebidas ácidas. RFO UPF, v. 15, n. 3, p. 323-328, 2010.

GONÇALVES, Ginna Kércia Matos et al. Erosive potential of different types of grape juices. Brazilian oral research, v. 26, n. 5, p. 457-463, 2012.

HUGHES, J. A. et al. Effects of pH and concentration of citric, malic and lactic acids on enamel, in vitro. Journal of dentistry, v. 28, n. 2, p. 147-152, 2000.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. v.1: Métodos químicos e físicos para análise de alimentos, 3. ed.Sao Paulo: IMESP, 1985.

KARAKAYA, SN EL, AA TAŞ, S. Antioxidant activity of some foods containing phenolic compounds. International journal of food sciences and nutrition, v. 52, n. 6, p. 501-508, 2001.

KITE, Owen W.; SHAW, James H.; SOGNNAES, Reidar F. The Prevention of Experimental Tooth Decay by Tube-feeding: Eight Figures. The Journal of Nutrition, v. 42, n. 1, p. 89-105, 1950.

LARSEN, M. J.; BRUUN, C. Esmalte-saliva–reações químicas inorgânicas. THYLSTRUP, A.; FEJERKOV, O. Tratado de cariologia, v. 2, p. 169-193, 1998.

LARSEN, M. J.; NYVAD, B. Enamel erosion by some soft drinks and orange juices relative to their pH, buffering effect and contents of calcium phosphate. Caries research, v. 33, n. 1, p. 81-87, 1999.

LEUNG, Lai Kwok et al. Theaflavins in black tea and catechins in green tea are equally effective antioxidants. The Journal of nutrition, v. 131, n. 9, p. 2248-2251, 2001.

LUNKES, Letícia Bello Flores; HASHIZUME, Lina Naomi. Avaliação do pH e titrabilidade ácida de chás comercialmente disponíveis no mercado brasileiro. RGO-Revista Gaúcha de Odontologia, v. 62, p. 59-64, 2014.

MOBLEY, Connie et al. The contribution of dietary factors to dental caries and disparities in caries. Academic pediatrics, v. 9, n. 6, p. 410-414, 2009.

MOREIRA, Mayara dos Santos Camêlo et al. Avaliação microestrutural do esmalte bovino exposto a bebidas lácteas fermentadas e propriedades físico químicas. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, v. 12, n. 2, p. 161-167, 2012.

MOYNIHAN P, PETERSEN PE. Diet, nutrition and the prevention of dental diseases. Public health nutrition. V. 7, n. 1A:p. 201-226, 2004.

MULIC, Aida et al. Dental erosive wear among Norwegian wine tasters. Acta Odontologica Scandinavica, v. 69, n. 1, p. 21-26, 2011.

MURAKAMI, Christiana et al. Risk indicators for erosive tooth wear in Brazilian preschool children. Caries research, v. 45, n. 2, p. 121-129, 2011.

NOVAES, Luiz Carlos Maciel et al. Fatores associados à necessidade de tratamento odontológico: estudo transversal na Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 27, 2018.

OKUNSERI, Christopher et al. Erosive tooth wear and consumption of beverages among children in the United States. Caries Research, v. 45, n. 2, p. 130-135, 2011.

OLIVEIRA, R. M. DE. Preparados Sólidos Para Refrescos E Sucos

Industrializados. p. 12–17, 2013.

PACHALY, R. et al. Avaliação do pH de bebidas alcoólicas e não alcoólicas em função da temperatura de ingestão. Anais do 18º Encontro do Grupo Brasileiro de Professores de Dentística. Foz do Iguaçu, 2009.

RIBEIRO, A. G.; OLIVEIRA, A. F.; ROSENBLATT, A. Cárie precoce na infância: prevalência e fatores de risco em pré-escolares, aos 48 meses, na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6, p. 1695-1700, 2005.

RODRIGUES, Dhulia Nogueira; RODRIGUES, Debora Fernandes. Fitoterapia como coadjuvante no tratamento da obesidade. Revista Brasileira de Ciências da Vida, v. 5, n. 4, p. 19-19, 2017.

SELWITZ, Robert H.; ISMAIL, Amid I.; PITTS, Nigel B. Dental caries. The Lancet, v. 369, n. 9555, p. 51-59, 2007.

SHAFER, H.L. Shafer’s OralPathology.v.6 ,2009.

SHEIHAM, Aubrey. Dietary effects on dental diseases. Public health nutrition, v. 4, n. 2b, p. 569-591, 2001.

SOARES, Ana Keila; BONVINI, Brenda; FARIAS, Maria Mercês Aquino Gouveia. Avaliação do potencial erosivo e cariogênico de sucos artificiais em pó. Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo, v. 26, n. 3, p. 197-203, 2014.

SOBRAL, Maria Angela Pita et al. Influência da dieta líquida ácida no desenvolvimento de erosão dental. Pesquisa Odontológica Brasileira, v. 14, p. 406-410, 2000.

SOUZA, Bárbara Capitanio. Erosão dentária em paciente atleta: artigo de revisão. Revista Brasileira de Odontologia, v. 74, n. 2, p. 155, 2017.

TESCH, F. C.; OLIVEIRA, B. H.; LEA, A. Mensuração do impacto dos problemas bucais sobre a qualidade de vida de crianças: aspectos conceituais e metodológicos. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 11, p. 2555-2564, 2007.

TESSER, Charles Dalcanale; SOUSA, Islandia Maria Carvalho de; NASCIMENTO, Marilene Cabral do. Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Primária à Saúde brasileira. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 42, n. spe1, p. 174-188, set. 2018.

TOUGER-DECKER, Riva; VAN LOVEREN, Cor. Sugars and dental caries. The American journal of clinical nutrition, v. 78, n. 4, p. 881S-892S, 2003.

WATSON, I. B.; TULLOCH, E. N. Clinical assessment of cases os tooth surface loss. Br Dent J, London, v. 159, n. 5, p. 144- 148, Sep. 1985.

WEST, Nicola X.; JOINER, Andrew. Enamel mineral loss. Journal of dentistry, v. 42, p. S2-S11, 2014.

YANG, Chung S. et al. Cancer prevention by tea: animal studies, molecular mechanisms and human relevance. Nature Reviews Cancer, v. 9, n. 6, p. 429-439, 2009.

Downloads

Publicado

20-09-2023

Como Citar

GALVAO FROTA, V. L.; CAVALCANTI MASCARENHAS, A. .; ARAGÃO NUNES, A. B.; ARAUJO DE SOUSA, A. L. .; RIBEIRO DA SILVA, I. .; PONTES PAIXÃO, J. pontes P.; FONTINELE MIRANDA, N. C. .; RODRIGUES DA SILVA, P. M. .; DA SILVA LOPES NUNES, T. .; TALINE PEREIRA, T. .; VIEIRA DE CARVALHO, V. .; SANTOS BEZERRA PINTO, A. .; MONTEIRO FALCÃO, C. A. .; ARÊA LEÃO FERRAS, M. Ângela. AAnálise dos sólidos solúveis totais e do pH de chás e sua relação com a lesão cariosa e a erosão dentária. Revista de Casos e Consultoria, [S. l.], v. 14, n. 1, p. e31777, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/casoseconsultoria/article/view/31777. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão