Coaching educacional

variações de uma metodologia em três trajetórias docentes

  • Taylor de Aguiar Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: Coaching, Coaching educacional, Antropologia da Educação, Educação empreendedora, Pedagogia do self-making

Resumo


Este trabalho aborda as variações da prática de coaching nas trajetórias de três professoras que atuam como coaches educacionais. Partindo de uma abordagem antropológica, enfatizamos relatos e percepções das três docentes sobre suas carreiras profissionais e destacamos elementos que compõem diferencialmente as suas práticas pedagógicas em torno do coaching. Nos três casos abordados, a aplicação do coaching à educação apresenta variações que mobilizam sentidos específicos em torno da ideia de “autonomia”. Argumentamos que, pelo entremeio dessas variações, há uma pedagogia do self-making a operar como matriz comum, informando ao coaching educacional uma perspectiva em que o sujeito educando é tomado como um empreendedor de si mesmo. Concluímos que a ênfase posta sobre a ideia de “autonomia” guarda relação com uma concepção de capital educacional extensiva à noção de capital humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXANDRE, Tarcísio Mota; RAMOS, William Lisboa. Coaching acadêmico: o processo de coaching no desenvolvimento do docente. Periódico Científico Negócios em Projeção, v. 6, n. 1, pp. 28-38, jun. 2015.

BATISTA, Karen; CANÇADO, Vera L. Competências requeridas para a atuação em coaching: a percepção de profissionais coaches no Brasil. REGE – Revista de Gestão, São Paulo, v. 24, n. 1, pp. 24-34, 2017.

BIRCK, Fernanda Kleber; ZILIOTTO, Denise Macedo. Coaching na Educação? Pesquisa-ação com gestores escolares. Acta Scientiarum – Human and Social Sciences, Maringá, v. 39, n. 2, pp. 165-175, mai./ago. 2017.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.

CAMPOS, Teodoro Malta; PINTO, Heloisa Maria Nunes. Coaching nas organizações: uma revisão bibliográfica. REUNA, Belo Horizonte, v. 17, n. 2, pp. 15-26, abr./jun. 2012.

CASALOTTI, Bruno. A felicidade dá trabalho: anotações de um campo de pesquisa sobre a prática do coaching. In: RECH, Carla M.; ESPINDULA, Brenda; HINZ, Rodrigo; SCHUCK, Camila; RIBEIRO, Fábio; MARTIL, Graciela; RODRIGUES, Léo Peixoto; ALMEIDA, Jalcione. (Orgs.). Diversidade sociológica: facetas da pesquisa em sociologia. Porto Alegre: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – UFRGS, 2017, pp. 108-133.

______. Os treinadores do “jogo interior”: estudo sobre a prática do coaching no contexto da reestruturação produtiva no Brasil. 2016. 232f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

CORREIO, Ivelise Fonseca de Matteu; CORREIO, Douglas de Matteu. Coaching na Educação: uma metodologia de alta performance. Rev. Compartilhe Docência, São Paulo, v. 1, n. 1, pp. 43-54, jan./jun. 2016.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FARIA, Louise Scoz Pasteur de. O poder dos sonhos: uma etnografia de empresas startup no Brasil e no Reino Unido. 2018. 223f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

GAVIRIA, Ricardo Antonio Castaño. Educação e contemporaneidade: uma reflexão antropológica e pedagógica. In: MONTEIRO, Filomena Maria de Arruda; FONTOURA, Helena Amaral da. (Orgs.). Pesquisa, formação e docência: processos de aprendizagem e desenvolvimento profissional docente em diálogo. Cuiabá: Editora Sustentável, 2017, pp. 49-62.

GRANT, Anthony M. Towards a psychology of coaching: the impact of coaching on metacognition, mental health and goal attainment. 2001. 327f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Departamento de Psicologia, Macquarie University, Sydney, Australia, 2001.

GUIMARÃES, Stéfane Cryslaine Alves. Say yes: etnografia do coaching, metodologia de desenvolvimento humano e promotor da felicidade. 2015. 53f. Monografia de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Sociais, com Habilitação em Antropologia) – Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. Antropologia e educação: um campo e muitos caminhos. Linhas Críticas, Brasília, v. 21, n. 44, pp. 19-37, jan./abr. 2015.

______. Entrelugares: antropologia e educação no Brasil. Educação, Santa Maria, v. 34, n. 1, pp. 29-46, jan./abr. 2009.

OLIVEIRA, Amurabi. Uma antropologia fora do lugar? Um olhar sobre os antropólogos na educação. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 23, n. 49, pp. 233-253, set./dez. 2017.

OLIVEIRA-SILVA, Ligia Carolina; WERNECK-LEITE, Cibele Dayana de Souza; CARVALHO, Pablo Stuart Fernandes; ANJOS, Alex da Costa dos; BRANDÃO, Helena Isabel Martins. Desvendando o coaching: uma revisão sob a ótica da psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 38, n. 2, pp. 363-377, abr./jun. 2018.

SCHAEFER, Ricardo; MINELLO, Italo Fernando. Educação empreendedora: premissas, objetivos e metodologias. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, pp. 60-81, jul./set. 2016.

SELIGMAN, Martin. Felicidade autêntica: usando a psicologia positiva para a realização permanente. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

SILVA, Carlos Roberto Ernesto da. Orientação profissional, mentoring, coaching e counseling: algumas singularidades e similaridades em práticas. Revista Brasileira de Orientação Profissional, São Paulo, v. 11, n. 2, pp. 299-309, jul./dez. 2010.
Publicado
12-08-2021
Como Citar
DE AGUIAR, T. Coaching educacional. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 8, n. 15, p. 1-20, 12 ago. 2021.