À procura das infâncias perdidas

espaço, poesia e sensibilidades saudosistas em “Evocação do Recife”, de Manuel Bandeira (1925-1936)

Autores

  • Felipe Alves Paulo Cavalcanti

Palavras-chave:

Recife, Manuel Bandeira, Saudade, Gilberto Freyre, Nordeste

Resumo

Este artigo trata da elaboração de um espaço poético na obra de Manuel Bandeira, fruto da memória e da figuração: o Recife. Em particular, este artigo visa lançar luz sobre as formas de pensar e sentir a saudade (consciências e sensibilidades saudosistas) que atuaram na criação do poema “Evocação do Recife”, de Manuel Bandeira, feito a pedido de Gilberto Freyre para publicação em 1925 no livro comemorativo de cem anos do Diário de Pernambuco, também conhecido como “Livro do Nordeste”. Além disso, tentou-se examinar aqui a atuação destas consciências e sensibilidades saudosistas na recepção deste poema entre alguns dos intelectuais do campo literário pernambucano e nordestino nas décadas de 20 e 30, como o próprio Gilberto Freyre, José Lins do Rêgo e Jorge de Lima.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Alves Paulo Cavalcanti

Graduado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e mestrando pelo
Programa de Pós-Graduação em História da mesma instituição.

Arquivos adicionais

Publicado

20-12-2014

Como Citar

CAVALCANTI, F. A. P. À procura das infâncias perdidas: espaço, poesia e sensibilidades saudosistas em “Evocação do Recife”, de Manuel Bandeira (1925-1936). Revista Espacialidades, [S. l.], v. 7, n. 01, p. 268–288, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/17707. Acesso em: 26 fev. 2024.