A PARAÍBA SIFILIZADA

a construção de um espaço doente, discursos médicos, sífilis e instituições sanitárias (1921-1927)

  • Rafael Nóbrega Araújo Universidade Federal de Campina Grade
Palavras-chave: Sífilis;, Paraíba;, Discursos médicos, Instituições de Saúde, Dispensários

Resumo

O artigo analisa os discursos médicos e a constituição de políticas públicas no enfretamento da endemia da sífilis no estado da Paraíba ao longo da década de 1920. Nesse recorte, médicos, políticos e jornalistas construíram em seus discursos a representação de um espaço doente, de uma Paraíba marcada pela sífilis do litoral ao sertão, chamando a atenção para o combate dessa doença. Como consequência de um contexto de reforma sanitária em âmbito nacional, o governo da Paraíba firmou acordo com o Departamento Nacional de Saúde Pública (DNSP) para, dentre outras coisas, promover a profilaxia da sífilis e das doenças venéreas. As políticas de saúde pública gestadas nesse momento, revelam a construção de dispensários especializados como espaços de profilaxia e educação sanitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Nóbrega Araújo, Universidade Federal de Campina Grade
Doutorando em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Bolsista Capes. Mestre em História pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).Lattes: http://lattes.cnpq.br/0733769410678148. E-mail: rafael.nobreg.araujo@gmail.com 

Referências

AGRA DO Ó, Alarcon. Relatos de Males: notas acerca dos modos de adoecer na Paraíba Imperial. In: AGRA DO Ó et al. A Paraíba no Império e na República: estudos de história social e cultural. João Pessoa: Ideia, 2005, pp. 11-45.

ALMEIDA, José Américo de. A Paraíba e seus problemas. 3 ed. João Pessoa: A União, 1980.

AMADOR, Luiza Helena Miranda. “Degenerados e Contagiantes”: a luta contra a sífilis no Pará (1915-1934). Dissertação (Mestrado em História Social da Amazônia). Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.

ARAÚJO, Silvera Vieira de. Araújo, Silvera Vieira de. Entre o poder e a ciência: história das instituições de saúde e higiene da Paraíba na Primeira República (1889-1930). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

BASTISTA, Ricardo dos Santos. Sífilis e Reforma da Saúde na Bahia (1920-1945). Salvador: EDUNEB, 2017.

BATISTA, Ricardo dos Santos. Mulheres livres: uma história sobre prostituição, sífilis, convenções de gênero e sexualidade. Salvador: EDUFBA, 2014.

CARRARA, Sérgio. Tributo a Vênus: a luta contra a sífilis no Brasil, da passagem do século aos anos 40. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 1996.

CASTRO-SANTOS, Luiz Antônio de. “O pensamento sanitarista na Primeira República: Uma ideologia de construção da nacionalidade”. Dados. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v.28, n.2, p.193-210, 1985.

ENGEL, Magali. Meretrizes e doutores: saber médico e prostituição no Rio de Janeiro (1840-1890). São Paulo: Brasiliense, 2004.

FERNANDES, Irene Rodrigues da Silva. A economia paraibana na fase do isolamento relativo (1585-1930). In: FERNANDES, Irene Rodrigues da Silva. BARACUHY, Laura Helena. Atividades produtivas na Paraíba. João Pessoa: Ed. Universitária/UFPB, 1999, p. 21-48.

FLECK, Ludwik. La génesis y el desarollo de um hecho científico. Madrid: Alianza Editorial, 1986.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 48 ed. São Paulo: Global, 2003.

HOCHMAN, Gilberto. A era do saneamento: as bases da política de saúde pública no Brasil. 3 ed. São Paulo: Hucitec, 2012.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: UNICAMP, 1994.

LE GOFF, Jacques. Uma história dramática. In: LE GOFF, Jacques. As doenças têm história. Lisboa: Terramar, 1985, p. 7-8.

LIMA, Nísia Trindade; HOCHMAN, Gilberto. “Pouca Saúde e muita Saúva”: sanitarismo, interpretações do país e ciências sociais. In: HOCHMAN, Gilberto. ARMUS, Diego. (orgs.). Cuidar, controlar, curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004.

MARQUES, Vera Regina Beltrão. A espécie em risco: a sífilis em Curitiba nos anos 1920. In: NASCIMENTO, Dilene Raimundo. CARVALHO, Diana Maul de. (Org.). Uma história brasileira das doenças. 1 ed. v. 1. Brasília: Paralelo 15, 2004, p. 277-294.

MARTINS, Ana Luiza; LUCA, Tânia Regina de (orgs.). História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008.

NASCIMENTO, Dilene Raimundo do. As pestes do século XX: tuberculose e Aids no Brasil, uma história comparada. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

NASCIMENTO, Uelba Alexandre do. O Doce Veneno da Noite: prostituição e cotidiano em Campina Grande (1930-1950). Campina Grande: EDUFCG, 2008.

OLIVEIRA, Iranilson Buriti; SANTOS. Leonardo Querino Barboza dos. “Só é sujo
quem quer (?) – Representações médicas na Paraíba do início do século XX”. Revista de História Regional, v. 20, p. 130-145, 2015.

RAGO, Margareth. Os prazeres da noite: prostituição e códigos da sexualidade feminina em São Paulo, 1890-1930. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciência Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1990.

ROSEN, George. Uma história da saúde pública. 2 ed. São Paulo: HUCITEC. Rio de Janeiro: ABRASCO, São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1994.

ROSS, Sílvia de. Sífilis, o mal de todos: tema médico-científico nacional, discussões e práticas educativas no Paraná na primeira metade do século XX. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

SANGLARD, Gisele Porto. Entre os salões e o laboratório: Filantropia, mecenato e práticas científicas. Rio de Janeiro, 1920-1940. Dissertação (Doutorado em História das Ciências da Saúde) – Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2005.

VIANNA, Eliza. LOPES, Gabriel. Entrevista com Dilene Raimundo do Nascimento. Fronteiras & Debates, Macapá, v. 6, n. 2, p. 119-127, 2019.
Publicado
29-03-2021
Como Citar
NÓBREGA ARAÚJO, R. A PARAÍBA SIFILIZADA. Revista Espacialidades, v. 17, n. 1, p. 264-291, 29 mar. 2021.