A ferramenta SmartJud do processo judicial eletrônico

uma interface entre a Ciência da Informação e a Inteligência Artificial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27655

Palavras-chave:

inteligência artificial, gestão da informação, ciência da informação, SmartJud, Tribunal de Justiça da Bahia

Resumo

A pesquisa tem como objetivo analisar a ferramenta de Inteligência Artificial SmartJud do Processo Judicial Eletrônico do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. Em termos da metodologia, trata-se de um estudo de caso e de uma pesquisa documental, em relação aos objetivos é caracterizada como exploratório-descritiva, a coleta de dados foi realizada na base de dados da ferramenta de Chatbot, bem como através de entrevistas com os gestores e técnicos responsáveis pelo desenvolvimento da ferramenta. Como resultado foi observada a média anual de 66% de chamados resolvidos pelo SmartJud PJe para o ano de 2018, e evidenciada a utilização de conceitos na interface entre a Ciência da Informação e a Inteligência Artificial relacionados à gestão informacional. Pode-se concluir que, através da inclusão da funcionalidade do Chatbot, foi possível identificar a ampliação do atendimento às demandas informacionais através do sistema com a consequente redução de atendimento via Service Desk, movimentação de pessoal para atendimento de outros tipos de chamados, e redução de custos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula de Oliveira Villalobos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Professora Associada do Instituto de Ciência da Informação e do Programa de Pos-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia. Pos doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual de SãoPaulo.

Ricardo Veloso Fontoura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Analista de sistema doTJBA, mestre em Ciência da Informação pelo PPGCI/UFBA.

Referências

AGRAWAL, A.; GANS, J.; GOLDFARB, A. Prediction machines: the simple economics of Artificial Intelligence. Boston: Harvard Business Review Press, 2018.

ALMEIDA, C. C. de. O campo da ciência da informação: suas representações no discurso coletivo dos pesquisadores do campo no Brasil. 2005. 395 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/102010/212813.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 24 maio 2022.

ALVARENGA, L. Representação do conhecimento na perspectiva da Ciência da Informação em tempo e espaços digitais. Encontros Bibli: revista eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 8, n. 15, p. 18-40, jan./jun. 2003. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2003v8n15p18/5233. Acesso em: 24 maio 2022.

AZEVEDO, B. de. Como a inteligência artificial está transformando a prática jurídica. [S. l.: s. n.], 2020. Disponível em: https://bernardodeazevedo.com/conteudos/como-a-inteligencia-artificial-esta-transformando-a-pratica-juridica/#:~:text=todo%20o%20mundo.-,A%20intelig%C3%AAncia%20artificial%20est%C3%A1%20transformando%20a%20pr%C3%A1tica%20jur%C3%ADdica,De%20acordo%20com%20Christian%20A. Acesso em: 10 abr. 2022.

ARAÚJO, C. A. V. Um mapa da ciência da informação: história, subáreas e paradigmas. Convergência em Ciência da Informação, São Cristóvão/SE, v. 1 n. 1, n. 1, p. 47-72, 2018. DOI: https://doi.org/10.33467/conci.v1i1.9341. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/conci/article/view/9341. Acesso em: 10 jan. 2020.

BARR, A.; FEIGENBAUM, E. The handbook of Artificial Intelligence. Reino Unido: Butterworth-Heinemann Elsevier, 2014.

CAFEZEIRO, I.; COSTA, L. C. da; KUBRUSLY, R. C. Ciência da Computação, Ciência da Informação, Sistemas de Informação: uma reflexão sobre o papel da informação e da interdisciplinaridade na configuração das tecnologias e das ciências. Perspectivas em Ciência da Informação, [S. l.], v. 21, n. 3, p. 111-133, jul./set. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5344/2681. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pci/a/Q93GfSGTF4wS9WzMr4Lt8px/?lang=pt. Acesso em: 10 jan. 2018.

CAMPOS, M. L. A. Modelização de domínios de conhecimento: uma investigação de princípios fundamentais. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 33, n. 1, p. 22-32, jan./abr. 2004. DOI: https://doi.org/10.18225/ci.inf..v33i1.1064. Disponível em: https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1064/1152. Acesso em: 24 maio 2022.

CARVALHO, C. L; OLIVEIRA, H. C. Gestão e Representação do Conhecimento. Relatório Técnico. Goiás: UFG, 2008. Disponível em: http://ww2.inf.ufg.br/sites/default/files/uploads/relatorios-tecnicos/RT-INF_003-08.pdf. Acesso em: 25 jul. 2019.

CASELLA, M. História e evolução da Inteligência Artificial: uma abordagem não técnica. [S. l.]: Ed. Marco Casella, 2017.

CASTRO JÚNIOR, A.P. de; FRANCO, B. F.; CALIXTO, W. P. Gestão da informação em grandes volumes de dados no poder judiciário. In: ALMEIDA, F. A. S de et al. (org.). Coletânia Luso-Brasileira V/ Gestão da Informação, Cooperação em Redes e Competitividade. Porto (Portugal): Universidade do Porto, 2014. Cap. 2, p. 61-78.

ESTEBAN NAVARRO, M. A. El marco disciplinar de los lenguajes documentales: la Organización del Conocimiento y las ciencias sociales. Scire, Zaragoza, n. 2, v. 1, p. 93-107, ene./jun. 1996. DOI: https://doi.org/10.54886/scire.v2i1.1051. Disponível em: https://www.ibersid.eu/ojs/index.php/scire/article/view/1051. Acesso em: 10 jan.2018.

FERNANDES, A. M. da R. Inteligência artificial: noções gerais. Florianópolis: Visual Books, 2003.

JONES, M. T. Artificial intelligence: a systems approach. Sudbury: Jones and Bartlett Publishers, 2009.

KHAPRE, S.; BASHA, S. A theoretical paradigm of information retrieval in information science and computer science. International Journal of Computer Science Issues, [S. l.], v. 9, issue 5, n. 2, p. 232-240, Sept. 2012. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/273384000_A_Theoretical_Paradigm_of_Information_Retrieval_in_Information_Science_and_Computer_Science. Acesso em: 24 maio 2022.

KIM, B. A new tech revolution: AI, big data, and other technology. American Libraries Magazine, v. 51, n. 5, p. 49, May 2020. Disponível em: https://digital.americanlibrariesmagazine.org/html5/reader/production/default.aspx?pubname=&edid=24f2f378-ac89-4732-8174-5f35fe6b7571. Acesso em: 10 jan. 2018.

LEE, K-F. Inteligência artificial: como os robôs estão mudando a forma como amamos, nos relacionamos, trabalhamos e vivemos. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2019.

MACHADO, V. P. Inteligência Artificial. Fortaleza: UECE, 2018. Disponível em: https://docplayer.com.br/190820270-Inteligencia-artificial-vinicius-ponte-machado.html. Acesso em: 10 abr. 2020.

MARQUES, M. B. Gestão da informação em sistemas de informação complexos. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, João Pessoa, v. 12, n. 2, p. 60-76, 2017. DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2017v12n2.35505. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/pbcib/article/view/35505/18544. Acesso em: 25 maio 2022.

MARTINS, L. A. Potenciais aplicações da Inteligência Artificial na Ciência da Informação. Informação e Informação, Londrina, v. 15, n. 1, p. 1-16, 2010. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/44515. Acesso em: 25 maio 2022.

MAZON, S. Watson Conversation is envolving to simplify how you build and scale virtual assistance. [S. l.]: IBM Watson Assistant, 2018. Disponível em: https://ibm-dte.mybluemix.net/ibm-watson-assistant. Acesso em: 25 jul. 2018.

NOBLE, J. Programming interactivity: a designer's guide to Processing, Arduino, and OpenFrameworks. Sebastopol: O'Reilly Media, 2009.

OLIVEIRA, A. Inteligência Artificial. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2019.

PEREIRA, L. M. Inteligência artificial: mito e ciência. São Paulo: [s. n.], 2005.

POLSON, N.; SCOTT, J. Inteligência Artificial: como funciona e como podemos usá-la para criar um mundo melhor. Amadora: Vogais, 2020.

RUSSELL, S.; NORVING, P. Artificial Intelligence: a modern approach. 4th ed. [S. l.]: Pearson, 2020.

SALOMÃO, L. F. (coord.). Inteligência Artificial: tecnologia aplicada à gestão de conflitos no âmbito do Poder Judiciário brasileiro. Rio de Janeiro: FGV Conhecimento, 2021. Disponível em: https://ciapj.fgv.br/sites/ciapj.fgv.br/files/estudos_e_pesquisas_ia_1afase.pdf. Acesso em: 25 maio 2022.

SARACEVIC, T. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectiva em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/235/22. Acesso em: 24 maio 2022.

SATURNO, A. Glossário Inteligência Artificial: entenda os principais termos usados na área. [S. l.]: CanalTech, 18 out. 2018. Disponível em: https://canaltech.com.br/inteligencia-artificial/glossario-inteligencia-artificial-125084/. Acesso em: 10 abr. 2022.

SILVA, A. M. da. Inteligência artificial. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2017.

SILVA, D. V. da. A Representação e a Recuperação da Informação: bases, diálogos e contribuições para o fazer arquivístico. Informação em Pauta, v. 4, n. 1, p. 89-90, jul. 2019. DOI: https://doi.org/10.32810/2525-3468.ip.v4i1.2019.41303.89-90. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/41303. Acesso em: 10 abril 2020.

SIQUEIRA, I. S. P.; PEREIRA, A. E. C. Perspectivas de aplicação da inteligência artificial à Biblioteconomia e à Ciência da Informação. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 22, n. 1/2, p. 39-80, jan./jun. 1989. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/_repositorio/2011/09/pdf_abeb70e727_0018687.pdf. Acesso em: 24 maio 2022.

TJBA. Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. Disponível em: http://www5.tjba.jus.br/portal/. Acesso em: 10 jan. 2018.

TURING, A. M. Computing machinery and intelligence. Mind, New York, v. 59, n. 236, p. 433-460, Oct. 1950. Disponível em: https://phil415.pbworks.com/f/TuringComputing.pdf. Acesso em: 24 maio 2022.

Downloads

Publicado

08-06-2022

Como Citar

VILLALOBOS, A. P. de O. .; FONTOURA, R. V. A ferramenta SmartJud do processo judicial eletrônico: uma interface entre a Ciência da Informação e a Inteligência Artificial. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 6, n. 1, p. e27655, 2022. DOI: 10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27655. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/27655. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê XV Encontro Nacional de Informação e Pesquisa em Informação (CINFORM)