A Casa de Farinha do Povoado Terreirão, Muniz Ferreira, Bahia

a informação étnico-racial e a memória em comunidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27736

Palavras-chave:

Casa de Farinha, Povoado Terreirão, informação étnico-racial, memória

Resumo

Este trabalho é resultado parcial da produção da dissertação sobre a informação e a memória social da Casa de Farinha no povoado Terreirão em Muniz Ferreira, Bahia. Logo, este trabalho se justifica por possibilitar a ampliação do conhecimento sobre as trajetórias e narrativas afro-indígenas, e pela compreensão de que há uma necessidade científica na área, de ampliar o entendimento a respeito de comunidades étnicas-raciais, uma vez que é necessário o combate contra o racismo estrutural, institucional e científico que tem produzido esquecimentos e apagamentos sobre essas histórias. Outrossim, nosso problema é saber: Quais elementos informacionais podemos identificar na Casa de Farinha, considerando as influências étnico-raciais (indígenas e africanas)? Assim, o objetivo geral é identificar os elementos informacionais do lugar, através da Casa de Farinha. Os objetivos específicos são: registrar as narrativas sobre a origem do Povoado Terreirão; apresentar os elementos informacionais desenvolvidos na Casa de Farinha do Povoado Terreirão; relatar a formação territorial do lugar no contexto do Recôncavo Baiano e do município de Muniz Ferreira; e apontar as informações documentais sobre o lugar. A metodologia utilizada é de abordagem descritiva e qualitativa. Utilizou-se métodos da etnometodologia, da pesquisa exploratória e do estudo de caso. As técnicas e procedimentos adotados foram: visita de campo, diário de campo, entrevistas, observação direta e participante, pesquisa bibliográfica e documental. Tem como resultados parciais as narrativas sobre a formação territorial do lugar e a apresentação dos elementos informacionais que representam a informação étnico-raciais observados in loco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eva Dayane Jesus dos Santos, UFBA/PPGCI

Mestranda em Ciência da Informação pelo Instituto Ciência da Informação, da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Zeny Duarte de Miranda, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Doutora em Letras (UFBA), Pós-doutora, Universidade do Porto - Portugal, Ministério da Ciência e Tecnologia e Ensino Superior - Portugal. Pesquisadora colaboradora do Grupo de Investigação Cultura Digital do Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória (CITCEM).

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das letras, 2019.

AGUIAR, Pinto de. Mandioca: o pão do Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982. (Série Retratos do Brasil, v. 166).

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2020.

AMORIM, Bianca Rihan Pinheiro. Documentos dialógicos, territórios dialéticos: um estudo sobre murais e seu papel na guerrilha simbólico-material do Movimento Zapatista de Libertação Nacional. 2019. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/1029. Acesso em: 2 abr. 2022.

ASANTE, Molefi Keti. Afrocentricidade: notas sobre uma posição disciplinar. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 93-110. Disponível em: https://afrocentricidade.files.wordpress.com/2016/04/afrocentricidade-uma-abordagem-epistemolc3b3gica-inovadora-sankofa-4.pdf. Acesso em: 7 jan. 2022.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 11, p. 89-117, maio/ago. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcpol/a/DxkN3kQ3XdYYPbwwXH55jhv/abstract/?lang=pt. Acesso em: 10 nov. 2019.

CUNHA, Manoela Carneiro da. Política indigenista no século XIX. In: CUNHA, Manoela Carneiro da (org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras: Secretaria Municipal de Cultura, 1998. p. 133-154.

DRAVET, Florence Marie; OLIVEIRA, Alan Santos de. Relações entre oralidade e escrita na comunicação: Sankofa, um provérbio africano. Miscelânea, Assis, v. 21, p. 11-30, jan./jun. 2017. Disponível em: https://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/8/1. Acesso em: 25 jan. 2022.

EVARISTO, Conceição. Gênero e Etnia: uma escre(vivência) de dupla face. In: SCHNEIDER, Liane; MOREIRA, Nadilza Martins de Barros. Mulheres no mundo: etnia, marginalidade e diáspora. 2. ed. João Pessoa: Editora CCTA, 2020. p. 219-229. (Coleção Pós Letras, v. 5). Disponível em: https://www.ufpb.br/editoraccta/contents/titulos/letras-1/mulheres-no-mundo-etnia-marginalidade-e-diaspora-2a-edicao/vol-05-mulheres-no-mundo-final.pdf. Acesso em: 24 maio 2022.

FRANCA, Aline da Silva. Narrativas do povo: o conhecimento tradicional registrado sob a autoria indígena coletiva. In: CONGRESSO INTERNACIONAL POVOS INDÍGENAS DA AMÉRICA LATINA, 3., 2019, Brasília, DF. Anais [...]. Brasília, DF: Universidade de Brasília, 2019. Disponível em: http://www.congressopovosindigenas.net/. Acesso em: 31 out. 2021.

FREIRE, Felisbello. História Territorial do Brasil. Salvador: Secretaria de Cultura e Turismo: Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, 1998.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

GOMES, Elisângela. Escrevivências na Biblioteconomia: afrocentrar para existir. In: SILVA, Franciéle Carneiro Garcês da (org.). Mulheres negras na Biblioteconomia. Florianópolis: Rocha Gráfica, 2019a. p. 14-65. (Selo Nyota). Disponível em: https://www.nyota.com.br/_files/ugd/c3c80a_e3b993f96358444290b6282fada1b634.pdf. Acesso: 7 jan. 2022.

GOMES, Elisângela. Um corpo que fala: o protagonismo das mulheres negras na capoeira angola. Folha de rosto: revista de Biblioteconomia e Ciência da Informação, [Juazeiro do Norte], v. 5, n. esp., p. 81-87, 2019b. Disponível em: https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/folhaderosto/article/view/395. Acesso em: 7 nov. 2021.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

HAMPÂTÉ BÂ, Amadou. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph (ed.). História geral da África, I: metodologia e pré-história da África. 2. ed. rev. Brasília: UNESCO, 2010. p. 167-212. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000190249.locale=en. Acesso em: 7 jan. 2022.

JECUPÉ, Kaká Werá. A terra dos mil povos: história indígena do Brasil contada por um índio. 2. ed. São Paulo: Peirópolis, 2020.

JESUS, Simone Cristina Figueiredo de. Viver em Muniz Ferreira: cotidiano e transformações de uma vila no Recôncavo Baiano (1930 – 1960). 2010. Dissertação (Mestrado em História Regional e Local) – Universidade do Estado da Bahia, Santo Antônio de Jesus, 2010. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=194106. Acesso em: 10 abr. 2019.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LIMA, Evanice Ramos. O léxico dos trabalhadores na produção artesanal de fogos em Muniz Ferreira, BA. 2006. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/11597. Acesso em: 7 jan. 2022.

MARTINS, Leda. A fina lâmina da palavra. O eixo e a roda, Belo Horizonte, v. 15, p. 55-84, 2007. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/o_eixo_ea_roda/article/view/3262. Acesso em: 26 mar. 2022.

MARTINS, Leda. Performances da oralitura: corpo, lugar da memória. Letras, Santa Maria, n. 26, p. 63-81, jun. 2003. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/letras/article/view/11881/7308. Acesso em: 20 maio 2020.

NASCIMENTO, Elisa Larkin. Introdução. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 27-31. Disponível em: https://afrocentricidade.files.wordpress.com/2016/04/afrocentricidade-uma-abordagem-epistemolc3b3gica-inovadora-sankofa-4.pdf. Acesso em: 7 jan. 2022.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, v. 10, p. 7-28, dez. 1993. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/12101. Acesso em: 15 maio 2020.

OLIVEIRA, Eunice Pita de. Alumiar: caminhos possíveis no acendimento a partir das ancestralidades. 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2021.

OLIVEIRA, Henry Pôncio Cruz de; AQUINO, Mirian de Albuquerque. O conceito de informação etnicorracial na Ciência da Informação. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 466-491, set. 2012. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/96476. Acesso em: 7 maio 2022.

PARAÍSO, Maria Hilda Baqueiro. Índios, náufragos, moradores, missionários e colonos em Kirimurê no século XVI: embates e negociações. In: CAROSO, Carlos; TAVARES, Fátima; PEREIRA, Cláudio. (org.). Baía de todos os santos: aspectos humanos. Salvador: EDUFBA, 2011. p. 70-101. E-book. Disponível em: https://books.scielo.org/id/jy7mt/pdf/caroso-9788523211622-05.pdf. Acesso em: 10 mar. 2021.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989. Disponível em: http://www.uel.br/cch/cdph/arqtxt/Memoria_esquecimento_silencio.pdf. Acesso em: 10 maio 2020.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina: Clacso, 2005. p. 107-130. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf. Acesso em: 15 set. 2019.

REGO, André de Almeida. Trajetórias de vidas rotas: terra, trabalho e identidade indígena na província da Bahia (1822-1862). 2014. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/23400. Acesso em: 24 mar. 2021.

RIBEIRO, Ellen Melo dos Santos. Abastecimento de farinha da cidade do Salvador, 1850-1870: aspectos históricos. 1982. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1982. Disponível em: https://ppgh.ufba.br/sites/ppgh.ufba.br/files/1_abastecimento_de_farinha_da_cidade_do_salvador._aspectos_historicos.pdf. Acesso em: 24 mar. 2021.

SANTOS, Felix Souza. Crise agrícola no Recôncavo Baiano (1890-1910): município de São Felipe / Bahia. 2013. Dissertação (Mestrado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social) – Universidade Católica do Salvador, Salvador, 2013. Disponível em: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/bitstream/123456730/99/1/Felix-UCSAL2013.pdf. Acesso em: 7 maio 2022.

SANTOS, Felix Souza. O pão nosso de cada dia: a farinha de mandioca na cidade da Bahia e sua lavoura no Vale do Copioba no Recôncavo Baiano. 2018. Tese (Doutorado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social) - Universidade Católica do Salvador, Salvador, 2018.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2015.

SANTOS, Rosineide Costa Brito dos. Tendas da sobrevivência: trabalho e “arranjos” sócio-culturais trabalhadores de fogos de artifício, Recôncavo Sul, BA, 1950-1970. 2009. Dissertação (Mestrado em História Regional e Local) – Universidade do Estado da Bahia, Santo Antônio de Jesus, BA, 2009. Disponível em: http://www.ppghis.uneb.br/wp-content/uploads/2019/04/Rosineide-Costa-Brito-dos-Santos.pdf. Acesso em: 25 mar. 2022.

SIERING, Friedrich Câmara. Conquista e dominação dos povos indígenas: resistência do sertão dos Maracás, (1650-1701). 2008. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade Federal da Bahia, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/bitstream/ri/11257/1/Dissertacao%20Friedrich%20Sieringseg.pdf. Acesso em: 7 maio 2022.

TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

YAMÃ, Yaguarê. Awyató-Pót ikohá Maniho’k as’awy atiát sehay: a morte de Awyató-Pót e a origem da mandioca. In: YAMÃ, Yaguarê. Sehaypóri: o livro sagrado do povo Saterê-Mawé. São Paulo: Peirópolis, 2007.

Downloads

Publicado

25-05-2022

Como Citar

SANTOS, E. D. J. dos; MIRANDA, Z. D. de. A Casa de Farinha do Povoado Terreirão, Muniz Ferreira, Bahia: a informação étnico-racial e a memória em comunidade. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 6, n. 1, p. e27736, 2022. DOI: 10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27736. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/27736. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê XV Encontro Nacional de Informação e Pesquisa em Informação (CINFORM)