SABER CIENTÍFICO E CORPOS FEMININOS

Quando ignorância se transforma em epistemologia

Resumo


Durante o surgimento da ciência moderna, os estudiosos em um dado momento se debruçaram sobre um determinado objeto de estudo: o corpo feminino. Como estes corpos foram compreendidos e analisados neste percurso? Articulando as ferramentas analíticas da epistemologia da ignorância à epistemologia feminista, sob um olhar racializado, este artigo se propõe a discutir os meandros de um saber científico que se mostrou sistematicamente imperfeito. Os exemplos utilizados remontam ao surgimento da ginecologia e à descoberta do aparelho reprodutor feminino. Perceberemos como as mulheres negras e brancas foram compreendidas de formas diferentes, e mais do que isso: com consequências violentas. Atravessando o tempo e o espaço, os reflexos podem ser sentidos até hoje no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
17-12-2020
Como Citar
MENDES GONÇALVES, C. SABER CIENTÍFICO E CORPOS FEMININOS. Revista Inter-Legere, v. 3, n. 29, p. C22031, 17 dez. 2020.
Seção
DOSSIÊ CRÍTICA DA RAZÃO CIENTÍFICA: SOCIOLOGIAS DO (DES)CONHECIMENTO