Trabalho no lar, cuidado e equidade de gênero

um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1982-1662.2022v5n34ID25266

Resumo

O presente artigo apresenta os resultados da pesquisa “Trabalho doméstico: cidadania e equidade de gênero ” que é fruto do projeto de iniciação científica realizado na Universidade Federal do Maranhão – campus São Bernardo, com a orientação da Prof.ª Dr.ª Amanda Gomes Pereira. Esse projeto teve o objetivo de compreender as dinâmicas de poder interconectadas às relações de gênero, no leste do estado do Maranhão — mais especificamente nos municípios circunvizinhos de São Bernardo —, por meio de referenciais teóricos que dialogam com os estudos de gênero, feministas, pós-coloniais e decoloniais. Para tanto, essa pesquisa optou por uma abordagem mista, com a combinação das análises qualitativas e quantitativas. Assim, foram aplicados questionários online, com perguntas fechadas e abertas (contendo apenas 2 (duas) perguntas abertas), por meio da plataforma Google Forms, permitindo, dessa forma, preservar o anonimato das pessoas, tendo como amostragem 15 dos 16 discentes contemplados com Auxílio Estudante com Filha(o). Nesse sentido, os dados possibilitaram uma discussão em torno das desigualdades de gênero, afazeres domésticos e maternidade, evidenciando as problemáticas que essas mulheres/mães/estudantes enfrentam no acesso à educação de qualidade, bem como na permanência e finalização de seus cursos. Neste trabalho, descreveremos também as dificuldades encaradas pelos pesquisadores/as para a realização do projeto, visto que a pandemia de Covid-19 afetou não só a pesquisa em si, mas a vida das pessoas em escola global.

Palavras-chave: Gênero. Maternidade. Trabalho no lar. Políticas públicas.

 

 

Referências

BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BRASIL. Decreto no 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7234.htm Acesso em: 09 jun. 2019.

BRUSCHINI, Maria Cristina A. RICOLDI, Arlene Martinez. Família e trabalho: difícil conciliação para mães trabalhadoras de baixa renda. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 136, p. 93-123, jan./abr. 2009.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto 1. ed. -Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CACCIAMALI, Maria Cristina; HIRATA, Guilherme Issamu. A influência da raça e do gênero nas oportunidades de obtenção de renda: uma análise da discriminação em mercados de trabalho distintos. Bahia e São Paulo. Estudos Econômicos, v. 35, n. 4, p.767-795, Outubro/Dezembro, 2005.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de (org.). Pensamento feminista: conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019.

FONSECA, Claudia. Ser mulher, mãe e pobre. In: Del Priore, M. org., História das mulheres do Brasil. São Paulo: Contexto, 1997.

GATTI, Gabriel. Prolegómenos. Hacia un concepto científico de desaparición. En G. Gatti (Ed.), Desapariciones. Usos locales, circulaciones globales pp. 13-32. Bogotá: Siglo del Hombre-Uniandes, 2017.

GÓMEZ, Magela Reny Fonticiella. Acesso e permanência no ensino superior: o caso dos cursos de engenharia da UTFPR – Campus Medianeira. 2014. 154 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências. 2014.

IANNI, Otávio (org.). Florestan Fernandes: sociologia crítica e militante. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

IPEA. Retrato das desigualdades de gênero e raça. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. 4. ed. Brasília: Ipea, 2011. Disponível em: <https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_retradodesigualdade_ed4.pdf> Acesso em: 10 ago. 2020.

IPEA. Dossiê mulheres negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no Brasil / organizadoras: Mariana Mazzini Marcondes... [et al.]. - Brasília: Ipea, 2013. Disponível em: <https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_dossie_mulheres_negras.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2020.

MARQUES, Amanda Christinne Nascimento. “VIVENDO ENTRE-LUGARES”: A Trajetória dos Grupos Étnicos no Litoral Sul Paraibano. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 29, 2014, Anais [...].  Natal-RN, 2014.

MARX, Karl. O Capital: crítica da Economia Política. Livro 1. São Paulo: Boitempo, 2013.

MORAIS, Ana Maria; NEVES, Isabel Pestana. Fazer investigação usando uma abordagem metodológica mista. Revista Portuguesa de Educação, v. 20, n. 2, p. 75-104, 2007.

MOTA, Janine da Silva. Utilização do google forms na pesquisa acadêmica. Revista Humanidades & Inovação. v. 6, n. 12, 2019. Disponível em: <https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1106>. Acesso em: 10 ago. 2020.

OLIVEIRA, Emanuela Patrícia de. Cursos para trabalhadoras domésticas: estratégias de modelagem. 2007. 177 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/279028>. Acesso em: 9 ago. 2020.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: QUIJANO, Anibal. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais, perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 117-142.

REIS, M. C.A. Escolaridade dos pais e os retornos à educação no mercado de trabalho. Rio de Janeiro: IPEA, 2008.

RUBIN, Gayle. Políticas do sexo. São Paulo: Ubu Editora, 2017.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de (org.). Pensamento feminista: conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019.

SEGATO, Rita Laura. Gênero e colonialidade: em busca de chaves de leitura e de um vocabulário estratégico descolonial. E-cadernos ces, n. 18, 2012.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? UFMG, 2010.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Gomes Pereira, Universidade Federal do Maranhão

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, PPCIS/UERJ. Mestre em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Juiz de Fora/ UFJF. Bacharel em Ciências Sociais com habilitação em Antropologia pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Atualmente, atuo como Professora Adjunta de Sociologia no Curso de Licenciatura em Ciências Humanas/ Sociologia, Centro de Ciências São Bernardo, da Universidade Federal do Maranhão/UFMA. Faço parte do corpo docente do Programa de Pós-graduação em Sociologia UFMA (Mestrado Acadêmico) - Imperatriz como professora colaboradora.
Coordenadora do Curso de Especialização em Cidadania, Inclusão e Diversidade UFMA- Campus São Bernardo.
Coordenadora do Grupo de Estudos de Gênero e Educação Chita/ Gitã.
Pesquisadora integrante da Associação Brasileira de Antropologia desde 2016 e da Associação Portuguesa de Antropologia desde 2020. Faço parte da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais e do Observatório da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais On-Abecs (representante de Núcleo, Maranhão).
Prestei consultoria para o escritório da ONU em assentamentos urbanos na América Latina, ONUHabitat, de setembro de 2012 a março de 2013. Atuei como Agente de Suporte Acadêmico do Curso de Formação de Gestores Escolares SEB/ MEC 2009 e da Especialização - Gestão e Avaliação da Educação Pública/ Ceará, ambos oferecidos pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd/ FADEPE/ UFJF), nos quais tive a oportunidade de orientar estudantes de Pós-Graduação e participar das bancas avaliadoras dos trabalhos de conclusão de curso. Atuei como tutora a distância do Curso "Educação em Direitos Humanos", UFF/PROEX.

Ramisson Corrêa Ramos, Universidade Federal do Maranhão

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade.

Cassilene Magalhães Silva, Universidade Estadual do Maranhão

 Bacharel em Administração pela Universidade Estadual do Maranhão.

Downloads

Publicado

27-09-2022

Como Citar

GOMES PEREIRA, A.; CORRÊA RAMOS, R.; MAGALHÃES SILVA, C. Trabalho no lar, cuidado e equidade de gênero: um estudo de caso. Revista Inter-Legere, [S. l.], v. 5, n. 34, p. c25266, 2022. DOI: 10.21680/1982-1662.2022v5n34ID25266. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/25266. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS