Acre: entre o velho e novo

Autores

  • Raimundo Nonato Cunha de França

Resumo

O presente estudo tem como foco a análise da gestão do Partido dos Trabalhadores
(PT) de 1999 a 2002, à frente do Executivo acreano, pois esse Partido tem ocupado,
cada vez mais, espaços nas esferas governamentais (municipais e/ou estaduais).
Para isso, centramos nossa análise na política implementada na reforma
administrativa por ele adotada, na tentativa de identificar que elementos poderiam
caracterizar uma ruptura com as formas precedentes de gestão no Acre. Nesse
intuito, detivemo-nos na revisão teórica de dois conceitos importantes que
atravessam este trabalho: o Modo petista de governar e Governança. A partir disto,
iniciamos o trabalho com o levantamento bibliográfico e a pesquisa de campo, com
coleta de documentos (Plano de Governo, Plano Plurianual, as Leis de Diretrizes
Orçamentárias, Jornais, Leis aprovadas na Assembléia Legislativa, IBGE, PNUD,
TSE) e entrevistas semi-estruturadas com personagens da vida política do Acre. A
sistematização e análise desses dados revelaram-nos que a forma de governar,
introduzida pelo PT no Acre, manteve muitos aspectos de continuísmo da tradição
política local. Todavia, a administração petista conseguiu, no âmbito do governo,
mudanças relevantes que a distingue das formas pretéritas de governar no Acre, por
exemplo, maior participação dos setores subalternos na formulação das políticas
públicas.
Palavras-chave: Acre, Governança, Partido dos Trabalhadores, Governo Petista

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

03-12-2013

Como Citar

DE FRANÇA, R. N. C. Acre: entre o velho e novo. Revista Inter-Legere, [S. l.], n. 5, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/4579. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

ESTUDOS