Erotismo: uma resistência do sujeito às proibições

Autores

  • Lindinês Barros

Resumo

A pretensão deste artigo é compreender o Erotismo, enquanto resistência do sujeito, que
vai além do comportamento sedutor, e como algo instintivo e espontâneo. Busca, na sua
existência interior, superar os limites, quebrando leis, restrições, pois ao observarmos
que existimos por dentro – não havendo limites a partir dessa existência –, o existir
corresponde ao não se ter limites para a interioridade. Assim, buscaremos fundamentar a
compreensão de Erotismo, percebendo-o como uma constante nos homens, ao mesmo
tempo em que a cultura se instaura no interior deles, configurando-o com intervenções
segundo as variações no contexto sociocultural, concebendo restrições conhecidas sob o
nome de proibições. Através desta análise, percebemos o Erotismo como resistência do
sujeito, e a sexualidade como dispositivo de poder.
Palavras-chave: erotismo – resistência – poder – sexualidade – sujeito

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

23-12-2013

Como Citar

BARROS, L. Erotismo: uma resistência do sujeito às proibições. Revista Inter-Legere, [S. l.], n. 1, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/4800. Acesso em: 29 maio. 2024.