QuaREPE: assimetrias nas representações (inter)culturais do mundo lusófono

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2024v9n1ID34635

Palavras-chave:

QuaREPE, Português Língua Estrangeira, Cultura, Interculturalidade

Resumo

Neste artigo, pretendemos apresentar uma análise de natureza qualitativa e descritiva acerca de como o Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro (QuaREPE) trata as questões da diversidade cultural e da interculturalidade. É importante salientar que, nas últimas décadas, discute-se muito acerca da importância de se desenvolver uma competência intercultural nos aprendentes de língua estrangeira. Entretanto, nas práticas educativas e nos materiais didáticos, a implantação desses preceitos ainda não é uma realidade. Diante disso, afloram os questionamentos de como o QuaREPE lida com a questão cultural e em que medida o documento é, de fato, intercultural. Objetivamos, portanto, analisar se o QuaREPE realmente estabelece um diálogo intercultural entre os aprendentes, reconhecendo as diversidades culturais. Para tanto, tabulamos todos os comandos das sugestões de trabalho constantes do QuaREPE – Tarefas, Actividades, Exercícios e Recursos para Avaliação, analisando mais detalhadamente três propostas de atividades. Nosso aporte teórico é constituído por autores como Kramsch (1998); Byram, Gribkova e Starkey (2002); Bennett (2013); e Agar (1994), dentre outros. Como resultado preliminar, apontamos que o QuaREPE – Documento Orientador adota uma perspectiva eurocêntrica, promovendo unicamente a cultura portuguesa e deixando de lado as representações do restante do mundo lusófono. Trata-se, portanto, de um documento que apresenta práticas malsucedidas no que respeita ao desenvolvimento efetivo de uma conscientização intercultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo da Silva Amorim, UFRN

Doutor em Língua Portuguesa pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, instituição na qual obteve os graus de bacharel e licenciado em Português, Latim e Respectivas Literaturas. Recebeu o título de PhD em Línguas Românicas pela Universidade da Carolina do Norte (EUA), onde também lecionou Língua Portuguesa e Literaturas Lusófonas por cinco anos. Participou de vários projetos, dentre eles, o de um livro de Português para Estrangeiros, publicado pela Georgetown University Press em 2010. Desde 2009, atua como professor na Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN, lecionando na Graduação e no ProfLetras. Atualmente, desenvolve pesquisas sobre interculturalidade e o ensino de Português Língua Estrangeira. Desde 2019, dirige o Instituto Ágora, unidade suplementar para o ensino de línguas e culturas estrangeiras modernas, que atende à comunidade interna da UFRN e ao público externo.

Ricardo Alexandre Peixoto Barbosa, UFRN

Doutorando em Linguística Aplicada, na linha de Ensino e Aprendizagem de Línguas, na UFRN. Mestre em Estudos da Linguagem (UFRN), na área de Linguística Teórica e Descritiva. Licenciado em História (UFRN) e em Letras - Língua Portuguesa (UNP). Vice-Coordenador do Curso Preparatório para o Exame Celpe-Bras (UFRN). Co-responsável pela aplicação do Exame Celpe-Bras na UFRN. Bolsista Capes. Avaliador especializado do Exame Celpe-Bras. “O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001”. 

Brenda Louise Ferreira, UFRN

Mestranda em Linguística Aplicada, na linha de Ensino e Aprendizagem de Línguas, na UFRN. Licenciada em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2019), onde atuou como bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), do Instituto Ágora (instrutora de Português para Estrangeiros) e de Iniciação Científica. Avaliadora especializada do Exame Celpe-Bras. “O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001”.

Referências

AGAR, M. Language shock: understanding the culture of conversation. New York: William Morrow, 1994.

BENNETT, M. J. Basic Concepts of Intercultural Communication: paradigms, principles e practices. 2. ed. [s.l.], Intercultural Press, 2013.

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BYRAM, M.; GRIBKOVA, B.; STARKEY, H. Developing the intercultural dimension in language teaching: a practical introduction for teachers. Language Policy Division, Directorate of School, Out-of-School and Higher Education, Council of Europe, 2002.

CORBETT, J. An Intercultural Approach to English Language Teaching. Clevedon: Multilingual Matters LTD, 2003.

FERREIRA, I. A. Perspectivas interculturais na sala de aula de PLE. In: SILVEIRA, R. (org.). Português língua estrangeira: perspectivas. São Paulo: Cortez, 1998. p. 39-48.

FLEURI, R. M. Desafios à educação intercultural no Brasil. Educação, Sociedade e Cultura. Porto, n. 16, p. 45-62, 2001.

GROSSO, M. J. et al. QuaREPE – Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro. Documento Orientador. Lisboa: Ministério da Educação, 2011.

GROSSO, M. J. et al. QuaREPE – Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro. Tarefas, Atividades, Exercícios e Recursos para a Avaliação. Lisboa: Ministério da Educação, 2011b.

KRAMSCH, C. Language and culture. Oxford: Oxford University Press, 1998.

MEYER, R. M. de B. Para o bem ou para o mal: a construção de identidade pelo falante de PL2E a partir de estereótipos de brasilidade – uma questão intercultural. In: MEYER, R. M. de B. (org.). Português para Estrangeiros: questões interculturais. Rio de Janeiro: PUC, 2013. p. 13-34.

MENDES, E. O português como língua de mediação cultural: por uma formação intercultural de professores e alunos de PLE. In: MENDES, E. Diálogos interculturais: ensino e formação em português língua estrangeira. Campinas: Pontes, 2011. p. 139-158.

MENDES, E. Por que ensinar língua como cultura? In: SANTOS, P.; ORTIZ, M. L. (org.). Língua e cultura em contexto de ensino de português para falantes de outras línguas. Campinas: Pontes, 2010. p. 53-77.

OLIVEIRA, L. A. Métodos de ensino de inglês: teoria, práticas e ideologias. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

PAIVA, A. F.; VIANA, N. A interculturalidade no ensino de línguas estrangeiras: reflexões acerca da competência (comunicativa) intercultural. Portuguese Language Journal, V. 11, p. 234-254, 2017.

Downloads

Publicado

22-04-2024

Como Citar

DA SILVA AMORIM, M.; BARBOSA, R. A. P.; FERREIRA, B. L. QuaREPE: assimetrias nas representações (inter)culturais do mundo lusófono. Revista Odisseia, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 91–109, 2024. DOI: 10.21680/1983-2435.2024v9n1ID34635. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/34635. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos