Passos da luta pela emancipação feminina

A radicalidade como legado

Palavras-chave: Mary Wollstonecraft, Revolução Russa, Capital, Família, Angela Davis, Feminismo Negro

Resumo

Este artigo busca apresentar o ideário feminista que se relaciona com movimentos sociais de caráter revolucionário. Exponho inicialmente o pensamento pioneiro de Mary Wollstonecraft que, levando a concepção iluminista e a defesa da Revolução Francesa às últimas consequências, confere àquela uma radicalidade ausente nos pensadores modernos. Discorro então sobre o desenvolvimento da concepção socialista sobre o problema da emancipação feminina por pensadores como Marx, Engels, Kollontai e Lenin, destacando a subversão da instituição familiar proposta pelas e pelos bolcheviques na Revolução Russa, articulada com a dissolução da propriedade privada e do Estado, em uma proposta de completa reorganização da sociabilidade humana. Procuro também expor brevemente aspectos do feminismo negro da filósofa socialista Angela Davis como um importante desenvolvimento da concepção sobre a emancipação feminina elaborada durante a revolução russa. Com isso, pretendo propor que os e as herdeiras de um pensamento não são aquelas que repetem e estendem seus princípios, mas aquelas que desenvolvem sua radicalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BUCK-MORSS, Susan. “Hegel e o Haiti”. In: Novos Estudos, n. 90, Jul-2011, pp. 131-171. Tradução de Sebastião Nascimento.
DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. Tradução de Heci Regina Candiani. São Paulo: Boitempo, 2016.
ENGELS, Friedrich. Origem da família, da propriedade privada e do Estado. Tradução de Ciro Mioranza. São Paulo: Escala, s/d.
GOLDMAN, Wendy. Mulher, Estado e Revolução. São Paulo: Boitempo, 2014.
HEGEL, G. W. F. Princípios da Filosofia do Direito. Tradução de Orlando Vitorino. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
KOLLONTAI, A. Communism and Family. Kommunistka, n. 2, 1920. In: Selected Writings of Alexandra Kollontai. Tradução de Alix Holt. Allison &Busby, 1977 (a). Disponível em https://www.marxists.org/archive/kollonta/index.htm.
KOLLONTAI, A. Theses on Communist Morality in the Sphere of Marital Relations. Kommunistka, n. 12-12, 1921. In: Selected Writings of Alexandra Kollontai. Tradução de Alix Holt. Allison &Busby, 1977 (b). Disponível em https://www.marxists.org/archive/kollonta/index.htm.
KOLLONTAI, A. Sexual relations and the Class Struggle (1921). In: Selected Writings of Alexandra Kollontai. Tradução de Alix Holt. Allison &Busby, 1977 (c). Disponível em https://www.marxists.org/archive/kollonta/index.htm.
KOLLONTAI, A. The Labour of Women in the Evolution of the Economy (Panfleto, 1921). In: Selected Writings of Alexandra Kollontai. Tradução de Alix Holt. Allison &Busby, 1977 (d). Disponível em https://www.marxists.org/archive/kollonta/index.htm.
KOLLONTAI, A. An Interesting Letter from Russia (Carta para Dora B. Montefiori). In: The Communist, 21 de Outubro de 1920. Transcrito por Ted Crawford. Disponível em https://www.marxists.org/archive/kollonta/index.htm.
KOLLONTAI, A. A mulher trabalhadora na sociedade contemporânea. I Congresso de Mulheres de Toda a Rússia, 10-16 dezembro de 1908. In Schneider, Graziela (org.). A revolução das mulheres – Emancipação feminina na Rússia soviética. São Paulo: Boitempo, 2017.
KOLLONTAI, A. Lenin and the First Congress of Women Workers. In: LENIN, Vladimir Ilych. Reminiscences 1900-1922. Moscou, 1963, pp. 221-3. Disponível em https://www.marxists.org/archive/kollonta/index.htm.
MARX, Karl. O Capital – Crítica da economia política – Livro primeiro. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. Coordenação e revisão de Paul Singer. Coleção Os Economistas Vol. II. São Paulo: Nova Cultural, 1985.
MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1993.
MARX, Karl. Grundrisse: Manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. Tradução de Mário Duayer e Nélio Schneider, São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2011.
MARX, K.; ENGELS, F., El Manifesto Comunista. Tradução de Miguel Vedda. Buenos Aires: Herramienta, 2008.
MARX; ENGELS; LENIN. Sobre a mulher. São Paulo: Global, 1980.
ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou da Educação. Tradução de Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Martins Fontes, 1995.
WOLLSTONECRAFT, Mary. Reivindicação dos direitos da mulher. Tradução de Ivania Motta. São Paulo: Boitempo, 2016.
Publicado
26-01-2021
Como Citar
COTRIM, V. Passos da luta pela emancipação feminina. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 28, n. 55, p. 215-237, 26 jan. 2021.