AVALIAÇÃO DAS CONSULTAS DE PRÉ-NATAL: ADESÃO DO PRÉ-NATAL E COMPLICAÇÕES NA SAÚDE MATERNO-INFANTIL

  • Dídia de Oliveira Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi
  • Tainara Lôrena dos Santos Ferreira Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi
  • Daísy Vieira de Araújo Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi
  • Káthya Daniella Figueiredo Melo Enfermeira. Secretaria Municipal de Saúde de Cuité, Paraíba.
  • Fábia Barbosa de Andrade Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Cuidado Pré-Natal. Obstetrícia. Atenção Primária à Saúde.

Resumo


Introdução: As consultas de pré-natal realizadas na Atenção Primária à Saúde apresentam-se como momento indispensável para ofertar orientações necessárias no período da gestação e puérperio, sendo ocasião indispensável para que possa revelar seu medos, anseios e dúvidas sobre esse momento singular da mulher e seu feto. Objetivo: Avaliar a correlação entre adesão do pré-natal e complicações na saúde materno-infantil. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo e avaliativo dos indicadores de morbidade e mortalidade materno e infantil no município de Santa Cruz, no estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Resultados: Das mães que aderiram ao pré-natal foi achada uma prevalência 86% que não complicaram, ao passo que foi encontrado uma prevalência de 13% que tiveram complicação na gestação, tendo como causas sangramento, convulsão, infecção urinária, diabetes e hipertensão arterial. Conclusão: Destarte o pré-natal como importante para realizar um acompanhamento saudável da gestante e seu filho, prevenindo e/ou tratando as complicações que podem surgir nesse período, concorrendo, assim, para a diminuição dos índices de morbimortalidade materna e infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dídia de Oliveira Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi
Acadêmica do Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA)/Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Tainara Lôrena dos Santos Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi
Acadêmica do Curso de Enfermagem da FACISA/UFRN. Bolsista de Iniciação Científica PIBIC CNPq-UFRN.
Daísy Vieira de Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Professora da FACISA/UFRN. 

Fábia Barbosa de Andrade, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde. Professora Adjunto III da UFRN.

Referências

  • Monteiro CA, França Júnior I, Conde WL. Evolução da assistência materno-infantil na cidade de São Paulo. Rev Saúde Pública [periódico online]. 2000 []. 34: 19-25. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/rsp/v34n6s0/3515.pdf> Acesso em: 23 mar. 2014

  • Coimbra LC, Silva AAM, Mochel EG, Alves MTSSB, Ribeiro VS, Aragão VMF et al. Fatores associados à inadequação do uso da assistência pré-natal. Rev. Saúde Pública [periódico online]. 2003]. 37 (4): 456-62. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v37n4/16780.pdf> Acesso em: 05 abr. 2014.

  • Grangeiro GR, Diogenes MAR, Moura ERF. Atenção Pré-Natal no Município de Quixadá-CE segundo indicadores de processo do SISPRENATAL. Rev. esc. enferm. USP [periódico online]. 2008. 42 (1): 105-111. Disponível: <http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n1/14.pdf> Acesso em: 10 abr. 2014.

  • Oliveira GS, Lima MCBM, Lyra CO, Oliveira AGRC, Ferreira MAF. Desigualdade espacial da mortalidade neonatal no Brasil: 2006 a 2010. Ciênc. saúde coletiva [periódico online]. 2013. 18 (8): 2431-41. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/csc/v18n8/28.pdf> Acesso em: 15 abr. 2014.

  • Koffman MD, Bonadio IC. Avaliação da atenção pré-natal em uma instituição filantrópica da cidade de São Paulo. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [periódico online]. 2005. 5 (1): 23-32. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v5s1/27838.pdf> Acesso em: 18 abr. 2014.

  • Almeida CAL, Tanaka OY. Perspectiva das mulheres na avaliação do Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento. Rev. Saúde Pública [periódico online]. 2009. 43 (1): 98-104. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v43n1/7296.pdf> Acesso em: 23 abr. 2014

  • Rouquayrol MZ, Correia LL, Barbosa LMM, Xavier LGM, Oliveira JW, Fonseca W. Fatores de risco de natimortalidade em Fortaleza: um estudo de caso-controle. Jornal de Pediatria [periódico online]. 1996. 72(6). Disponível em: <http://www.jped.com.br/conteudo/96-72-06-374/port.pdf> Acesso em: 30 abr. 2014

  • Santos EMF, Amorim LP, Costa OLN, Oliveira N, Guimarães AC. Perfil de risco gestacional e metabólico no serviço de pré-natal de maternidade pública do Nordeste do Brasil. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. [periódico online]. 2012. 34 (3): 102-6. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032012000300002> Acesso em: 12 set. 2014

  • Kassar SB, Melo AMC, Coutinho SB, Lima MC, Lira PIC. Fatores de risco para mortalidade neonatal, com especial atenção aos fatores assistenciais relacionados com os cuidados durante o período pré-natal, parto e história reprodutiva materna. J. Pediatr [periódico online]. 2013. 89 (3): 269-77. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/jped/v89n3/v89n3a09.pdf> Acesso em: 15 out. 2014

Publicado
22-04-2018
Como Citar
PEREIRA, D. DE O.; FERREIRA, T. L. DOS S.; ARAÚJO, D. V. DE; MELO, K. D. F.; ANDRADE, F. B. DE. AVALIAÇÃO DAS CONSULTAS DE PRÉ-NATAL: ADESÃO DO PRÉ-NATAL E COMPLICAÇÕES NA SAÚDE MATERNO-INFANTIL. Revista Ciência Plural, v. 3, n. 3, p. 2-15, 22 abr. 2018.
Seção
Artigos