Diretrizes para autores

ORIENTAÇÕES GERAIS

1 – Os créditos de autoria serão dados àqueles que contribuíram de forma substancial durante o desenvolvimento do artigo, levando em consideração: a concepção e esboço do estudo, ou a análise e interpretação dos dados; a elaboração do rascunho do artigo ou de sua revisão crítica, com contribuições importantes para seu conteúdo; o processo de aprovação da versão final a ser submetida. Os colaboradores que não entram nessas categorias poderão ser mencionados nos agradecimentos.

2 – A contribuição de cada um dos autores deve ser explicitada em declaração para esta finalidade. Não se justifica a inclusão de nome de autores cuja contribuição não se enquadre nos critérios acima.

3 – O número permitido de autores é de no máximo 10 autores. As credenciais como a titulação principal de cada autor e instituição de origem, devem vir seguidamente ao nome escrito por extenso, além do e-mail de correspondência. Exemplo: Paulo Ricardo Guimarães Chaves - Pesquisador do Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN. Pós doutor em Antropologia pela Universidade de Coimbra-Portugal. E-mail: prgchaves@gmail.com

4 – Os trabalhos submetidos para avaliação deverão seguir as instruções do TEMPLATE.

5 – Os trabalhos poderão ser publicados em língua portuguesa, ou em língua inglesa ou em língua espanhola.

6 – Os trabalhos serão submetidos à aprovação de especialistas reconhecidos nos temas tratados. Os trabalhos serão enviados para avaliação sem a identificação de autoria para garantir a revisão por pares a duplo-cego.

7 – Os trabalhos serão encaminhados aos avaliadores no menor tempo possível. O processo de seleção de artigos poderá envolver avaliação de especialistas ad hoc e do Comitê Editorial quando se fizer necessário.

8 – Os autores devem indicar a agência financiadora da pesquisa quando for o caso.

9 – As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade, nem sempre representando a opinião da Editora Científica e Conselho Editorial da Revista.

INSTRUÇÕES SOBRE OS MANUSCRITOS

A Revista Ciência Plural, aceita submissões de artigos originais em português, inglês e espanhol, relatos de experiência, análise documental, revisão integrativa, artigos de revisão sistemática e meta-análise (estudos quantitativos), artigos de revisão sistemática e metassíntese (estudos qualitativos), relatos de casos clínicos e números especiais (anais de eventos).

Artigos originais

São relatos de trabalho original, aqueles que incluem estudos observacionais, estudos experimentais ou quase-experimentais, avaliação de programas, análises de custo-efetividade, análises de decisão e estudos sobre avaliação de desempenho de testes diagnósticos para triagem populacional, destinados à divulgação de resultados de pesquisas inéditas de temas relevantes para a área pesquisada.

Relato de experiência

O relato de experiência é um texto que descreve precisamente uma dada experiência que possa contribuir de forma relevante para sua área de atuação. Ele traz as motivações ou metodologias para as ações tomadas na situação e as considerações e impressões que a vivência trouxe àquele que a viveu. O relato é feito de modo contextualizado, com objetividade e aporte teórico.

Análise documental

A análise documental é um tipo de pesquisa que utiliza fontes primárias, isto é, dados e informações que ainda não foram tratados científica ou analiticamente. Os documentos analisados podem ser atuais ou antigos, e ser usados para contextualização histórica, cultural, social e econômica de um lugar ou grupo de pessoas, situação, evento, agravo e contextualização em determinado momento da história.

Revisão integrativa

Revisão integrativa é um método que proporciona a síntese de conhecimento e a incorporação da aplicabilidade de resultados de estudos significativos na prática. Tem o potencial de promover os estudos de revisão em diversas áreas do conhecimento, mantendo o rigor metodológico das revisões sistemáticas. O método de revisão integrativa permite a combinação de dados da literatura empírica e teórica que podem ser direcionados à definição de conceitos, identificação de lacunas nas áreas de estudos, revisão de teorias e análise metodológica dos estudos sobre um determinado tópico. A combinação de pesquisas com diferentes métodos combinados na revisão integrativa amplia as possibilidades de análise da literatura.

Revisão sistemática e meta-análise

Revisão sistemática é um tipo de revisão que se propõe a responder uma pergunta específica utilizando métodos sistemáticos e definidos a priori na identificação, seleção e análise dos estudos quantitativos. Utiliza a meta-análise para agregar os resultados de dois ou mais estudos independentes, sobre uma mesma questão de pesquisa, combinando seus resultados em uma medida sumária. Testam hipóteses e têm como objetivo levantar, reunir, avaliar criticamente a metodologia da pesquisa e sintetizar os resultados de diversos estudos primários (unidades de análise). Utiliza métodos sistemáticos e explícitos para recuperar, selecionar e avaliar os resultados de estudos relevantes. É considerada a evidência científica de maior grandeza (padrão ouro) e são indicadas na tomada de decisão na prática clínica ou na gestão pública.

Revisão sistemática e metassíntese

Revisão sistemática é um tipo de revisão que se propõe a responder uma pergunta específica utilizando métodos sistemáticos e definidos a priori na identificação, seleção e análise dos estudos qualitativos. Utiliza a meta-análise para agregar os resultados de dois ou mais estudos independentes, sobre uma mesma questão de pesquisa, combinando seus resultados em uma medida sumária.

Artigos originais, relatos de experiência, análises documentais, revisões integrativas, revisões sistemáticas com meta-análise e revisões sistemáticas com metassíntese devem apresentar a seguinte estrutura:

  • Introdução: deve ser curta, definindo o problema estudado, sintetizando sua importância e destacando as lacunas do conhecimento que serão abordadas no artigo. Seu último parágrafo deve conter os objetivos da pesquisa;
  • Revisão ou referencial teórico: deve ter um aporte da literatura pertinente, mostrando casos semelhantes, falando sobre diagnóstico, prognóstico, tratamento etc;
  • Metodologia: deve incluir as fontes de dados, a população estudada, amostragem, critérios de seleção, critérios de inclusão, procedimentos analíticos, dentre outros, os quais devem ser descritos de forma compreensiva e completa, mas sem prolixidade;
  • Resultados: deve descrever os resultados encontrados incluindo interpretações/comparações;
  • Discussão: deve incluir a apreciação dos autores sobre as limitações do estudo, a comparação dos achados com a literatura, a interpretação dos autores sobre os resultados obtidos e suas principais implicações e a eventual indicação de caminhos para novas pesquisas;
  • Resultados e Discussão: a Revista Ciência Plural permite que os resultados e discussão sejam escritos num único bloco quando o (s) autor (es) assim o preferir;
  • Conclusões: deve conter a síntese dos resultados sem, entretanto, repeti-los. Podem ser apontadas em tópicos ou escritas de forma cursiva;
  • Resumo: deve ser apresentado no FORMATO ESTRUTURADO, com o mínimo de 150 e o máximo de 300 palavras, contendo introdução, objetivo, metodologia, resultados e conclusão DESTACADOS EM NEGRITO no texto do resumo e seus correspondentes nos resumos em inglês (abstract) e resumo em espanhol (resumen);
  • Tabelas, gráficos e figuras, ilustrações em geral: são limitadas a 5 no máximo, devendo incluir apenas os dados imprescindíveis, evitando-se tabelas muito longas. As figuras não devem repetir dados já descritos nas tabelas;
  • Referências: (máximo de 25 referências) devem incluir apenas aquelas estritamente pertinentes e relevantes à problemática abordada. Deve-se evitar a inclusão de número excessivo de referências numa mesma citação. Citações de documentos não publicados e não indexados na literatura científica devem ser evitadas.

Relato de caso clínico

Descrição detalhada de casos clínicos, contendo características importantes sobre sinais, sintomas e outras características do paciente e relatando os procedimentos terapêuticos utilizados, bem como o desfecho do caso que deverá ser ancorado numa revisão da literatura consistente, que fundamente as características do caso apresentado.

Os relatos de caso clínico devem ser acompanhados do anexo “Termo de consentimento livre e esclarecido - TCLE”, devidamente assinado pelo paciente mencionado, permitindo sua publicação e mantendo o seu anonimato.

Relatos de caso clínico deve apresentar a seguinte estrutura:

  • Introdução: deve ser curta, definindo o problema estudado, sintetizando sua importância e destacando as lacunas do conhecimento que serão abordadas no artigo. Seu último parágrafo deve conter os objetivos do relato em si;
  • Revisão da literatura ou Referencial teórico: deve ter um aporte da literatura pertinente, mostrando casos semelhantes, falando sobre diagnóstico, prognóstico, tratamento etc;
  • Relato de caso: deve conter a descrição detalhada dos sinais e sintomas, características clínicas, comparação dos achados com a literatura, etc;
  • Conclusão: deve conter a síntese das observações, evolução sobre o caso;
  • Resumo: deve ser apresentado no FORMATO ESTRUTURADO, com o mínimo de 150 e o máximo de 300 palavras, contendo introdução, objetivo, relato de caso e conclusão destacados em negrito no texto do resumo e seus correspondentes nos resumos em inglês (abstract) e espanhol (resumen);
  • Ilustrações (fotos, imagens) são limitadas a 5 no máximo,
  • Referências: (máximo de 20 referências) devem incluir apenas aquelas estritamente pertinentes e relevantes à problemática abordada. Deve-se evitar a inclusão de número excessivo de referências numa mesma citação. Citações de documentos não publicados e não indexados na literatura científica devem ser evitadas.

Números especiais (Anais de eventos)

Documentos que compilam todo o conteúdo gerado, debatido, produzido e apresentado em um evento, isto é, todos os resumos de trabalhos apresentados, qualquer que seja o formato, palestras, conferências, comunicação oral e pôster. 

Os resumos dos artigos publicados nos anais devem ser apresentados no FORMATO ESTRUTURADO, com o máximo de 450 palavras ou 2.040 caracteres com espaço incluindo título do trabalho, autores, instituição, texto do resumo e palavras-chave. O texto do resumo deve conter introdução, objetivo, metodologia, resultados e conclusão DESTACADOS EM NEGRITO no texto do resumo.

FORMATAÇÃO DO TEXTO

O texto todo deverá seguir o modelo do template no que se refere ao título e formato da fonte.

Título original: em caixa alta, fonte book antíqua, tamanho 18;

Título em inglês e espanhol: em caixa baixa, fonte book antíqua, tamanho 14, itálico;

Corpo do texto: fonte book antiqua, tamanho 12, justificado; espaçamento 1,5 entre linhas;

Resumos (resumo, abstract e resumen): fonte book antiqua, tamanho 12; justificado, espaçamento simples;

Margens: 2,5cm (superior, esquerda, inferior e direita);

REFERÊNCIAS

Artigo de periódicos

Halpern SD, Ubel PA, Caplan AL. Solid-organ transplantation in HIV-infected patients. N Engl J Med. 2002 Jul 25;347(4):284-7.

Mais de seis autores

Rose ME, Huerbin MB, Melick J, Marion DW, Palmer AM, Schiding JK, et al. Regulation of interstitial excitatory amino acid concentrations after cortical contusion injury. Brain Res. 2002;935(1-2):40-6.

Instituição/Organização como autor

Diabetes Prevention Program Research Group. Hypertension, insulin, and proinsulin in participants with impaired glucose tolerance. Hypertension. 2002;40(5):679-86.

Ambos os autores pessoais e instituição/organização como autor

Vallancien G, Emberton M, Harving N, van Moorselaar RJ; Alf-One Study Group. Sexual dysfunction in 1,274 European men suffering from lower urinary tract symptoms. J Urol. 2003;169(6):2257-61.

Margulies EH, Blanchette M; NISC Comparative Sequencing Program, Haussler D, Green ED. Identification and characterization of multi-species conserved sequences. Genome Res. 2003 Dec;13(12):2507-18.

Volume com suplemento

Geraud G, Spierings EL, Keywood C. Tolerability and safety of frovatriptan with short- and long-term use for treatment of migraine and in comparison with sumatriptan. Headache. 2002;42 Suppl 2:S93-9

Volume e suplemento com número

Glauser TA. Integrating clinical trial data into clinical practice. Neurology. 2002;58(12 Suppl 7):S6-12.

Volume com parte

Abend SM, Kulish N. The psychoanalytic method from an epistemological viewpoint. Int J Psychoanal. 2002;83(Pt 2):491-5.

Nenhum volume

Outreach: bringing HIV-positive individuals into care. HRSA Careaction. 2002 Jun:1-6.

Paginação em algarismos romanos

Chadwick R, Schuklenk U. The politics of ethical consensus finding. Bioethics. 2002;16(2):iii-v.

Livro no todo

Murray PR, Rosenthal KS, Kobayashi GS, Pfaller MA. Medical microbiology. 4th ed. St. Louis: Mosby; 2002.

Capítulo de livro

Meltzer PS, Kallioniemi A, Trent JM. Chromosome alterations in human solid tumors. In: Vogelstein B, Kinzler KW, editors. The genetic basis of human cancer. New York: McGraw-Hill; 2002. p. 93-113.

Editor (s), compilador (s) como autor

Gilstrap LC 3rd, Cunningham FG, VanDorsten JP, editors. Operative obstetrics. 2nd ed. New York: McGraw-Hill; 2002.

Eventos

Harnden P, Joffe JK, Jones WG, editors. Germ cell tumours V. Proceedings of the 5th Germ Cell Tumour Conference; 2001 Sep 13-15; Leeds, UK. New York: Springer; 2002.

Eventos em parte

Christensen S, Oppacher F. An analysis of Koza's computational effort statistic for genetic programming. In: Foster JA, Lutton E, Miller J, Ryan C, Tettamanzi AG, editors. Genetic programming. EuroGP 2002: Proceedings of the 5th European Conference on Genetic Programming; 2002 Apr 3-5; Kinsdale, Ireland. Berlin: Springer; 2002. p. 182-91.

Dissertação, Tese e Monografia

Borkowski MM. Infant sleep and feeding: a telephone survey of Hispanic Americans [dissertation]. Mount Pleasant (MI): Central Michigan University; 2002.

Artigo de periódico eletrônico

Abood S. Quality improvement initiative in nursing homes: the ANA acts in an advisory role. Am J Nurs. 2002 Jun [cited 2002 Aug 12];102(6):[about 1 p.]. Available from: http://www.nursingworld.org/AJN/2002/june/Wawatch.htmArticle

Monografia

Foley KM, Gelband H, editors. Improving palliative care for cancer [Internet]. Washington: National Academy Press; 2001 [cited 2002 Jul 9]. Available from: http://www.nap.edu/books/0309074029/html/.

Homepage/Web site

Cancer-Pain.org [Internet]. New York: Association of Cancer Online Resources, Inc.; c2000-01 [updated 2002 May 16; cited 2002 Jul 9]. Available from: http://www.cancer-pain.org/.