O CONHECIMENTO DE DEFICIENTES VISUAIS EM RELAÇÃO À SAÚDE BUCAL

  • Luiz Paulo de Amorim Monteiro UFRN
  • Anna Crisllainy da Costa Monteiro UFRN
  • Rodolfo Macedo Pereira UFRN
  • Iris do Céu Clara Costa UFRN
Palavras-chave: Pessoas com deficiências visuais. Odontologia preventiva. Saúde bucal.

Resumo


Introdução: A visão é uma das principais maneiras de interagir com o mundo. Em função desse déficit, os deficientes visuais desenvolvem mecanismo compensatório noutros sentidos como olfato, tato, audição e propriocepção. Objetivo: Investigar o nível de conhecimento em saúde bucal de 33 deficientes visuais matriculados no Instituto de Educação e Reabilitação de Cegos do Rio Grande do Norte (IERC-RN), conhecendo experiências que essas pessoas vivenciaram durante atendimento odontológico. Metodologia: Trata-se de estudo transversal, quanti-qualitativo usando entrevista. O material textual obtido pelas perguntas abertas gerou um corpus processado pelo Software IRAMUTEQ. Nesse contexto, o IRAMUTEQ categorizou o corpus através da classificação hierárquica descendente em seis classes distintas. Nas classes emergiram temas como acessibilidade, nervosismo e ansiedade no atendimento odontológico. A análise de similitude e a nuvem de palavras, também geradas pelo software possibilitaram perceber as principais expressões utilizadas, suas dificuldades, além de conexões com a saúde bucal e o ambiente odontológico. Resultados: As respostas das perguntas fechadas revelaram que a maioria dos entrevistados acredita que os dentes não duram para sempre, 90,09% escovam os dentes duas ou mais vezes por dia, utilizando principalmente escova e pasta, deixando o fio dental em segundo plano. Equívocos no conhecimento poderão ser superados pelo acesso a informação, criação de materiais educativos direcionados a essa clientela para enfrentamento das suas ansiedades e estímulo ao autocuidado. Conclusão:Paralelamente, a equipe de saúde bucal deve se preparar/capacitar para o atendimento desse segmento, pois pacientes com necessidades especiais exige habilidades diferenciadas, muita sensibilidade e conhecimento profissional adequado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Paulo de Amorim Monteiro, UFRN
Cirurgião-Dentista, Ex Bolsista de Iniciação Científica do Depto de Odontologia da UFRN. Cursando pos-graduação em Endodontia.
Anna Crisllainy da Costa Monteiro, UFRN
Cirurgiã-Dentista, Ex Bolsista de Iniciação Científica do Depto de Odontologia da UFRN. Cursando Residência Multiprofissional em Saúde da Criança no Hospital Universitário Onofre Lopes pela UFRN e pós-graduanda em Odontopediatria pela UFRN.
Rodolfo Macedo Pereira, UFRN
Cirurgião-Dentista, Ex Bolsista de Iniciação Científica do Depto de Odontologia da UFRN. Cursando pos-graduação em Implatodontia.
Iris do Céu Clara Costa, UFRN
Professora Titular do Departamento de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Referências

  • BARREIRA, A. K. et al. Percepção dos pais quanto à saúde bucal na clínica de odontopediatria da FOUFBA. Rev. Fac. Odontol. Univ. Fed. Bahia, v. 16, p. 13-20, 1997.

  • BONATTI, F. A. S. Desenvolvimento de equipamento de auxílio à visão subnormal. Arq. Bras. Oftalmol., v. 69, n. 2, p. 221-6, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abo/v69n2/29069.pdf>. Acesso em: 12 de set. de 2014.

  • BRASIL. Ministério da Educação. Documento subsidiário à política de inclusão. Brasília: MEC, 2005.

  • CALDAS JUNIOR, A. F.; MACHIAVELLI, J. L.(Orgs.). Atenção e Cuidado da Saúde bucal da pessoa com deficiência: protocolos, diretrizes e condutas para auxiliares de saúde bucal Recife: Ed. Universitária, 2015.

  • CRAFT, D. H.; LIEBERMEAN, L. Deficiência visual e surdez. In: WINNICK, J. P. Educação física e esportes adaptados. Barueri: Manole, 2004. p.181-205.

  • FERNANDES, A. M et al. Ensinando saúde bucal para deficientes visuais através de uma ferramenta web. In: 18º WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (WIE 2012), 2012, Rio de Janeiro, RJ. Anais ... Rio de Janeiro, 2012. v. 1. p. 1-10.

  • GOULART, A. C. F.; VARGAS, A. M. D. A percepção dos deficientes visuais quanto à saúde bucal. Arq. Odontol., v. 34, n. 2, p. 107-19, 1998.

  • INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 2010. Resultados Gerais da Amostra: Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Disponível em: < http://censo2010.ibge.gov.br/resultados>. Acesso em: 17 ago. 2014.

  • KANEGANE, K. et al. Ansiedade ao tratamento odontológico no atendimento de rotina. RGO., 2006;54(2):111-4.

  • MATOS, D. L.; LIMA-COSTA, M. F. Auto-avaliação da saúde bucal entre adultos e idosos residentes na Região Sudeste: resultados do Projeto SB-Brasil, 2003. Cad. Saúde Pública, v. 22, n. 8, p. 1699-1707, 2006.

  • O'DONNELL, D. Barriers to dental treatment experienced by a group of physically handicapped adults in Hertfordshire, England. Quintessence int. (Berlin, Germany: 1985), v. 16, n. 3, p. 225, 1985.

  • POSSOBON, R. F. et al. O tratamento odontológico como gerador de ansiedade. Psicol. Estud., v. 12, n. 3, p. 609-616, 2007.

  • POULTON, R. et al. Good teeth, bad teeth and fear of the dentist. Behav. Res. Ther, v. 35, p.327-334, 1997

  • SILVA, S. R. C.; CASTELLANOS FERNANDES, R. A. Autopercepção das condições de saúde bucal por idosos. Rev. Saúde Pública, v. 35, n.4, p. 349-355, 2001.

  • SILVEIRA. A. D. S.; TRIGUEIRO, R. P. C.; COSTA, I. C. C.Inclusão social e saúde oral. O Desafio de motivar pacientes invisuais. In: ALMEIDA, C. M. et al. Promoção da saúde oral: contributos para a organização e aplicação de programas. Portugal: Coisas de Ler, 2008. p. 205-218.

  • SOUZA FILHO MD, NOGUEIRA SDM, MARTINS MCC. Avaliação da saúde bucal de deficientes visuais em Teresina–PI. Arq. Odontol. 2010; v. 45, n. 2, p. 66-74.

  • THIRY-CHERQUES, H. R. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de dimensionamento. Revista PMKT. n.3, p.20-27, 2009.

  • TURATO, E. R. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas de saúde e humanas. Petrópolis: RJ, VOZES, 2003.

Publicado
06-07-2018
Como Citar
MONTEIRO, L. P. DE A.; MONTEIRO, A. C. DA C.; PEREIRA, R. M.; COSTA, I. DO C. C. O CONHECIMENTO DE DEFICIENTES VISUAIS EM RELAÇÃO À SAÚDE BUCAL. Revista Ciência Plural, v. 4, n. 1, p. 44-66, 6 jul. 2018.
Seção
Artigos