A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE COM GRUPOS DE IDOSOS DIABÉTICOS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA PESQUISA-AÇÃO

Autores

  • Marise Soares Almeida
  • Ricardo Henrique Vieira Melo Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Rosana Lúcia Alves de Vilar
  • Alexandre Bezerra Silva
  • Mércia Lima de Melo
  • Antônio Medeiros Júnior

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-7286.2019v5n2ID16954

Resumo

Introdução: a Educação Popular em Saúde (EPS) remete indivíduos e grupos à troca de saberes e experiências, permitindo-lhes associar a saúde ao resultado das suas condições de vida levando a uma emancipação do sujeito. Objetivos: conhecer e promover ações educativas com portadores de Diabetes Mellitus (DM); realizar oficinas de capacitação em EPS com trabalhadores de saúde; conhecer e desenvolver ações educativas participativas com grupos de diabéticos; e avaliar os resultados das ações realizadas para os trabalhadores e usuários, em uma Unidade de Saúde da Família em Natal/RN. Métodos: Trata-se de uma pesquisa-ação com o referencial teórico da Teoria da Educação Libertadora, centrada na pedagogia problematizadora. Participaram da pesquisa trinta trabalhadores de saúde e trinta e seis usuários diabéticos. As ações foram organizadas através de rodas de conversa, dinâmicas de grupo, narrativas de vida, relatos de experiências, e explicitação de saberes, desejos, limitações, crenças e valores socialmente construídos. A coleta dos dados foi realizada através da Técnica de Associação Livre de Palavras, entrevista semiestruturada e grupo focal. O material empírico foi submetido a análise de ocorrência (Bardin) com auxílio do programa IRAMUTEQ (Ratinaud; Marchand). Resultados e discussão: Foram geradas palavras, expressões e categorias, a partir dos temas abordados e de situações criativas mostrando que a EPS vem sendo incorporada timidamente no processo educativo dos sujeitos deste estudo e bem distante dos princípios de participação, organização de um trabalho político, ampliação dos espaços de diálogo, respeito, de solidariedade e tolerância entre os diversos atores envolvidos no enfrentamento dos problemas de saúde, fundamentais para o aperfeiçoamento na construção de práticas saudáveis da atenção básica. Considerações finais: A utilização de práticas ativas de ensino-aprendizagem, centradas na ampliação da escuta e em capacitações sobre EPS, poderá possibilitar mudanças no cenário onde os usuários e trabalhadores de saúde atuam com a diabetes mellitus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marise Soares Almeida

Enfermeira da SMS Natal (RN); Mestre em Saúde da Família (RENASF/UFRN).

Ricardo Henrique Vieira Melo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Dentista da Estratégia Saúde da Família de Nazaré (SMS Natal/RN);

Mestre em Saúde da Família (RENASF/UFRN);

Preceptor do PetgraduaSUS (SMS-Natal/UFRN);

Preceptor da Residência Multiprofissional em Saúde (UFRN);

Facilitador Pedagógico do Programa de Educação Permanente em Saúde da Família (PEPSUS/UFRN).

Rosana Lúcia Alves de Vilar

Doutora em Ciências Sociais (UFRN); Docente do Depto de Enfermagem (UFRN) e do Mestrado Profissional em Saúde da Família (RENASF/UFRN).

Alexandre Bezerra Silva

Enfermeiro da SESAP (RN); Mestre em Saúde da Família (RENASF/UFRN).

Mércia Lima de Melo

Acadêmica do Curso de Licenciatura em Educação Física (UFRN).

Antônio Medeiros Júnior

Doutor em Ciências da Saúde (UFRN); Docente do Depto de Saúde Coletiva (UFRN) e do Mestrado Profissional em Saúde da Família (RENASF/UFRN).

Downloads

Publicado

03-09-2019

Como Citar

ALMEIDA, M. S.; MELO, R. H. V.; VILAR, R. L. A. de; SILVA, A. B.; MELO, M. L. de; JÚNIOR, A. M. A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE COM GRUPOS DE IDOSOS DIABÉTICOS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA PESQUISA-AÇÃO. Revista Ciência Plural, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 68–93, 2019. DOI: 10.21680/2446-7286.2019v5n2ID16954. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/16954. Acesso em: 26 set. 2022.