ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DOS ACIDENTES PROVOCADOS POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

  • Isabelle Ribeiro Barbosa Centro de Controle de Zoonoses, Secretaria Municipal de Saúde, Natal-RN
Palavras-chave: animais peçonhentos, escorpiões, serpentes, aranhas, epidemiologia, vigilância em saúde

Resumo


Introdução: Anualmente ocorrem milhares de casos de acidentes por animais peçonhentos, sendo importante problema de saúde pública nas regiões tropicais do mundo. Objetivo: analisar as principais variáveis epidemiológicas e clínicas relacionadas aos acidentes por animais peçonhentos ocorridos no estado do Rio Grande do Norte. Métodos: foram analisados os acidentes por animais peçonhentos registrados no  Sistema de Informação de Agravos de Notificação no período de 2007 a 2011. Resultados: dos 15.694 registros, os escorpiões causaram 65,4% dos acidentes. O ano de 2011 e os meses de Maio a Setembro foram os de maior incidência; as extremidades dos membros foram as mais atingidas. A faixa etária de 15 a 24 anos (19,2%) e o sexo feminino (53,5%) foram os mais acometidos. Os acidentes ocorreram com mais frequência nas zonas urbanas (79,8%). A taxa de letalidade foi de 0,12%; 77,9% dos óbitos foram provocados por serpentes. O tempo entre o acidente e o atendimento foi entre 0 a 3h para 55,5% dos pacientes. Conclusões: O estado do Rio Grande do Norte revela um perfil de elevada incidência e letalidade em acidentes por animais peçonhentos, mostrando a necessidade de se estabelecer serviços em quantidade e qualidade suficientes para o atendimento precoce aos acidentados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
02-02-2016
Como Citar
BARBOSA, I. R. ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DOS ACIDENTES PROVOCADOS POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Revista Ciência Plural, v. 1, n. 3, p. 2-13, 2 fev. 2016.
Seção
Artigos