Fatores possíveis de promover ou comprometer a motivação de estudantes de ciências contábeis: análise em uma instituição de ensino de Minas Gerais

Palavras-chave: Teoria da Autodeterminação, Ciências Contábeis, Motivação

Resumo

Objetivo: O objetivo desta pesquisa é avaliar os fatores que influenciam a motivação de estudantes do curso de Ciências Contábeis de uma Instituição de Ensino Superior localizada em Minas Gerais, à luz da Teoria da Autodeterminação.

Metodologia: Para avaliar a motivação dos discentes, 70 estudantes do primeiro ano do curso de Ciências Contábeis e 100 alunos matriculados no 8º, 9° e 10° períodos da graduação em análise, ou seja, na fase final do curso, compuseram a amostra deste estudo mediante o preenchimento de um questionário contendo a versão brasileira da Escala de Motivação Acadêmica (EMA), composta por 29 questões.

Resultados: Foi possível inferir, por meio das médias encontradas para os fatores, que os discentes da fase inicial do curso estão mais autodeterminados e intrinsecamente motivados do que desmotivados com o percurso acadêmico. Em relação à motivação dos respondentes do final da graduação, se comparada à motivação de indivíduos matriculados na fase inicial do curso, constatou-se que a maioria deles encontra-se mais desmotivado no final da graduação.

Contribuições do Estudo: Tendo em vista os resultados encontrados, cabe à coordenação do curso, juntamente com os professores, refletirem quanto à adequação curricular, visando atender os anseios dos estudantes. Da mesma forma, compete aos professores o aperfeiçoamento da didática e metodologia de ensino, com vistas a suprir as necessidades dos discentes, assim como propiciar um ambiente favorável ao aprendizado. Acredita-se que essas são algumas medidas que irão contribuir para aumentar o nível de motivação dos alunos do curso de Ciências Contábeis e, consequentemente, melhorar o grau de satisfação destes indivíduos com relação à graduação oferecida pela IES em análise

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno da Silva Costa, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Janaina Gonçalves de Faria, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Bruna Camargos Avelino, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP), Professora Adjunta da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Talles Vianna Brugni, FUCAPE Business School

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP), Professor Associado da FUCAPE Business School.

Referências

Albuquerque, E. A., Batista, F. F., Albuquerque, L. S., Oliveira, F. D. C. & Pereira, G. M. (2016). Análise da motivação dos discentes do curso de Ciências Contabeis e Administração, sob as perspectivas da teoria da autodeterminação e das metas de realização. Qualitas Revista Eletrônica, 17(3), pp. 01-21. DOI: http://dx.doi.org/10.18391/req.v17i3.3043.

Beni, P. F., Breno, F. R., Villela, L. M., Esteve, R., Jones, G. D. C., & Forte, D. (2017). Processo de ensino-aprendizagem e a interação de professores e alunos em um curso de graduação em Administração de Empresas. Administração: Ensino e Pesquisa, 18(2), pp. 271-300. DOI: https://doi.org/10.13058/raep.2017.v18n2.565.

Borges, M. S., Miranda, G. J. & Freitas, S. C. (2017). A teoria da autodeterminação aplicada na análise da motivação e do desempenho acadêmico discente do curso de ciências contábeis de uma instituição pública brasileira. Revista Contemporânea de Contabilidade, 14(32), pp. 89-107. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n32p89.

Cardoso, L. R., & Bzuneck, J. A. (2004). Motivação no ensino superior: metas de realização e estratégias de aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, 8(2), pp. 145-155

Carmo, C. R. S., & Carmo, R. D. O. S. (2015). Ensino Presencial Versus a Distância: um Estudo sobre Motivação Discente para Aprendizagem e seus Direcionadores, no Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 19(3), pp. 64-79. DOI: https://doi.org/10.12979/12574.

Christan, P. (2019). A Interação Professor-Alunos no Processo de Ensino e Aprendizagem. In Anais do 14° Encontro Nacional de Prática de Ensino de Geografia: políticas, linguagens e trajetórias, Campinas, SP.

Cislaghi, R. (2008). Um modelo de sistema de gestão do conhecimento em um framework para a promoção da permanência discente no ensino de graduação. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

Colares, A. C., Castro, M. C. C., Barbosa Neto, J. E. & Cunha, J. V. (2019). Motivação docente na pós-graduação stricto sensu: uma análise a partir da teoria da autodeterminação. Revista Contabilidade & Finanças-USP, 30(81), pp. 381-395. DOI: https://doi.org/10.1590/1808-057x201909090.

Deci, E. L, Vallerand, R. J, Pelletier, L. G. & Ryan, R. M. (1991). Motivation and education: The self-determination perspective. Educational psychologist, 26(3-4), pp. 325-346. DOI: https://doi.org/10.1080/00461520.1991.9653137.

Deci, E. & Ryan, R. M. (1985). Intrinsic Motivation and Self-Determination in Human Behavior. Springer Science & Business Media. Nova Yorque: Plenum Press.

Durso, S. D. O., Cunha, J. V. A. D., Neves, P. A. & Teixeira, J. D. V. (2016). Fatores motivacionais para o mestrado acadêmico: Uma comparação entre alunos de Ciências Contábeis e Ciências Econômicas à luz da Teoria da Autodeterminação. Revista Contabilidade & Finanças, 27(71), pp. 243-258. DOI: https://doi.org/10.1590/1808-057x201602080.

FACE – Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais. Graduação: Ciências Contábeis - O Curso. Recuperado em 04 setembro, 2020, de https://www.face.ufmg.br/graduacao/ciencias-contabeis/o-curso.html.

Falcão, D. F. & Rosa, V. V. (2008). Um estudo sobre a motivação dos universitários do curso de administração: uma contribuição para gestão acadêmica no âmbito público e privado. In Anais do 32º Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, RJ.

Fávero, L. P.; Belfiore, P.; Silva, F. L.; Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Lourenço, A. A. & Paiva, M. O. A. (2010). A motivação escolar e o processo de aprendizagem. Revista Ciências & Cognição, 15(2), pp. 132-141.

Gagné, M. & Deci, E. L. (2005). Self‐determination theory and work motivation. Journal of Organizational behavior, 26(4), pp. 331-362. DOI: https://doi.org/10.1002/job.322.

Guimarães, S. É. R., Bzuneck, J. A. & Sanches, S. F. (2002). Psicologia educacional nos cursos de literatura: a motivação dos estudantes. Psicologia Escolar e Educacional, 6(1), pp. 11-19. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-85572002000100002.

Guimarães, S. É. R. & Bzuneck, J. A. (2008). Propriedades psicométricas de um instrumento para avaliação da motivação de universitários. Revista Ciências & Cognição, 13(1), pp. 101-113.

Kaiser, H. F. (1958). The varimax criterion for analytic rotation in factor analysis. Psychometrika, 23(3), pp. 187-200.

Leal, E. A., Miranda, G. J. & Carmo, C. R. S. (2013). Teoria da autodeterminação: uma análise da motivação dos estudantes do curso de ciências contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, 24(62), pp. 162-173. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000200007.

Lens, W., Matos, L. & Vansteenkiste. (2008). Professores como fontes de motivação dos alunos: o quê e o porquê da aprendizagem do aluno. Educação, Porto Alegre, 31(1), pp. 17-20, jan./abr.

Ryan, R. M. & Deci, E. L. (2000). Intrinsic and extrinsic motivations: Classic definitions and new directions. Contemporary educational psychology, 25(1), pp. 54-67.

Oliveira, P. A. et al. (2010). Motivação sob a perspectiva da Teoria da Autodeterminação: um estudo da motivação de alunos do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Montes Claros. In Anais do XII Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo, SP.

Osborne, J. W. & Jones, B. D. (2011). Identification with academics and motivation to achieve in school: How the structure of the self influences academic outcomes. Educational Psychology Review, 23(1), pp. 131-158. DOI: https://doi.org/10.1007/s10648-011-9151-1.

Pintrich, P. R., & De Groot, E. V. (1990). Motivational and self-regulated learning. Journal of Educational' Psychology, 82, pp. 33-40. DOI: https://doi.org/10.1037/0022-0663.82.1.33.

Porto, R. C., & Gonçalves, M. P. (2017). Motivação e envolvimento acadêmico: um estudo com estudantes universitários. Psicologia Escolar e Educacional, 21(3), 515-522. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-35392017021311192.

Sobral, D. T. (2003). Motivação do aprendiz de medicina: uso da escala de motivação acadêmica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19(1), pp. 25-31. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722003000100005.

Souza, Z. A. S., & Miranda, G. J. (2019). Motivação de alunos de graduação em Ciências Contábeis ao longo do curso. Enfoque: Reflexão Contábil, 38(2), 49-65. DOI: https://doi.org/10.4025/enfoque.v38i2.41079.

Tapia, J. A. & Fita, E. C. (1999). A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola.

Publicado
02-07-2021
Como Citar
DA SILVA COSTA, B.; GONÇALVES DE FARIA, J.; CAMARGOS AVELINO, B.; VIANNA BRUGNI, T. Fatores possíveis de promover ou comprometer a motivação de estudantes de ciências contábeis: análise em uma instituição de ensino de Minas Gerais. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 2, p. 249-274, 2 jul. 2021.
Seção
Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (Survey) (S3)