A condição inter e transdisciplinar da arte na cultura contemporânea

  • Maria Lucia Santaella Braga Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP
Palavras-chave: Arte, Cultura, Produção, Historicidade, Walter Benjamin

Resumo

A produção, o sistema e os circuitos das artes não são mais o que costumavam ser há poucas décadas. O emaranhado do campo das artes, que inclui não apenas sua produção já heteróclita, mas também todas as suas redes de exposição, recepção e mercado, tornou-se densamente complexo. Portanto, antes de demonizar o que muitos chamam de cacofonia das artes, é preciso considerar as conjunturas de sua historicidade, a heterogeneidade dos papeis de sua inserção nos ambientes socioculturais contraditórios, paradoxais e conflituosos do nosso tempo. Em meio ao turbilhão da produção e circulação artística na contemporaneidade, este artigo busca seus fundamentos na concepção benjaminiana do artista como produtor, uma concepção que só é inteligível se levarmos em consideração, ainda com Benjamin, a historicidade inalienável da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Lucia Santaella Braga, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP
Pesquisadora 1 A do CNPq, graduada em Letras Português e Inglês. Professora titular no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da PUCSP, com doutoramento em Teoria Literária na PUCSP em 1973 e Livre-Docência em Ciências da Comunicação na ECA/USP em 1993. É Coordenadora da Pós-graduação em Tecnologias da Inteligência e Design Digital, Diretora do CIMID, Centro de Investigação em Mídias Digitais e Coordenadora do Centro de Estudos Peirceanos, na PUCSP. É presidente honorária da Federação Latino-Americana de Semiótica e Membro Executivo da Associación Mundial de Semiótica Massmediática y Comunicación Global, México, desde 2004. 

Referências

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução. In Os Pensadores XLVIII. São Paulo: Abril Cultural, 1975, p. 9-34.

______________. O autor como produtor. In Water Benjamin. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985, p. 120-136.

BOURDIEU, Pierre. Distinction: A social critique of the judgement of taste. Trad. Richard Nice. Londres: Routledge, 1984.

CAUQUELIN, Anne. Arte contemporânea. Uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

DICKIE, George. Definindo arte: Intenção e extenção. In: Kivy P. (org.). Estética: Fundamentos e questões da filosofia da arte. São Paulo: Paulus, 2008.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de consumo e pós-modernismo. Trad. Julio Assis Simões. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

LAZZARATO, M. e NEGRI, A. Trabalho imaterial. Rio de Janeiro, DP&A Editores, 2001.

MCLUHAN, Marshall. A galáxia de Gutenberg. Trads. Leônidas Gontijo de Carvalho; Anísio Teixeira. São Paulo: Editora Nacional/Edusp, 1972.

RANCIÈRE. Jacques. O destino das imagens. Trad. Monica Costa Netto. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano. Da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

_________________. O papel da mídia no circuito da arte. In Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus, 2007, p. 137-154.

_________________. A arte no tempo de muitos tempos. In A ecologia pluralista da comunicação. Conectividade, mobilidade, ubiquidade. São Paulo: Paulus, p. 229-248.

_________________. A arte contemporânea e seus enigmas. In Cleomar Rocha; Suzete Venturelli (orgs.). Mutações, confluências e experimentações na Arte e Tecnologia. E-book, 2016, p. 109-120.

VENTURELLI, Suzete. Arte computacional e intervenções urbanas. In Pablo Gobira; Tadeu Muceli (orgs.). Configurações do pós-digital, no prelo.

Publicado
13-08-2017
Como Citar
SANTAELLA BRAGA, M. L. A condição inter e transdisciplinar da arte na cultura contemporânea. ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 4, n. 1, p. 48-58, 13 ago. 2017.
Seção
Dossiê: Perspectivas Multidisciplinares no Campo da Arte