Ensino de dança na escola: reforma do ensino médio, disciplinamento e biopolítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v9i2.28861

Palavras-chave:

ensino da dança, reforma do ensino médio, biopolítica e dança, experiência docente, corpos insurgentes

Resumo

O presente estudo é motivado por experiências em Educação, observando o lugar secundário da dança no currículo escolar. A partir de um breve olhar histórico, discutem-se potencialidades e dificuldades que a dança enfrenta nas escolas públicas, analisando a situação do Ensino Médio em uma Coordenadoria Regional de Educação (CRE) do interior de Santa Catarina. Mesmo com a reforma do Ensino Médio, a dança ainda não é contemplada como componente curricular específico e instiga os pesquisadores sobre este tema. A metodologia utilizada neste estudo abrange pesquisa bibliográfica e informações contextuais sobre a dança na CRE escolhida. Os conceitos de corpo, biopoder, biopolítica e cuidado de si, de Michel Foucault e a noção de educação como exercício de liberdade, de Paulo Freire, são referenciais que subsidiam o desenvolvimento do artigo. A discussão mostra o quanto é urgente que a escola reveja como tem tratado a dança enquanto componente fundamental da Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Paduin Bittencourt, Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Tatiana Paduin Bittencourt é Graduada em Educação Física (Fundação Universidade Regional de Blumenau, 1998); especialista em Educação Física do Ensino Fundamental e Médio (Universidade Estadual de Londrina, 1999); em Coordenação Pedagógica (Universidade Federal de Santa Catarina, 2013), em Gestão Educacional (Universidade da Grande Dourados, 2016) e em Tecnologias Educacionais (Centro Universitário Sociedade Educacional de Santa Catarina, 2017). Mestre em Educação (Universidade Regional de Blumenau, 2020). Integrante da linha de pesquisa "Formação de professores, políticas e práticas educativas". Pesquisadora no Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Superior, GEPES. Investiga as tecnologias da informação e comunicação na formação docente. Tem experiência na área administrativa e de apoio técnico pedagógico nas redes municipal e estadual de ensino. Foi secretária municipal de educação, cultura e esportes (2013-2014) em Witmarsum, SC; professora formadora, ministrando cursos de curta duração na área das tecnologias educacionais (SED/SC); e assessora de direção (2019) em escola estadual. Atualmente é assistente técnico pedagógico em escola estadual em Witmarsum.

Celso Kraemer, Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Celso Kraemer é Licenciado em Filosofia pela UNIFEBE de Brusque (1990), mestrado em Educação pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2003) e doutorado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Professor da Universidade Regional de Blumenau desde 1991, Departamento de Ciências Sociais e Filosofia e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação. Atuação: Filosofia da Educação, Epistemologia da Educação.  Experiência em Filosofia contemporânea, educação, capacitação docente, ética e política. Coordenar o PIBID Interdisciplinar em Direitos Humanos e nos Cursos de Licenciatura da FURB desde 1992. Coordenador do Comitê Gestor do Pacto Universitário dos Direitos Humanos na FURB. Líder do Vozes Livres: Núcleo de Estudos da Diversidade de Gênero e Sexualidade – FURB e Líder do Grupo de Pesquisa Saberes de Si, vinculado ao PPGE/FURB. Pesquisa a temática da filosofia contemporânea, da sociedade, da educação de gênero e sexualidade, pensamento Queer.

Priscila Regina Dallabona Meneghelli, Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Priscila Regina Dallabona Meneghelli é Graduada em Pedagogia (Universidade do Estado de Santa Catarina, 2006), Pós-graduada em Ludo Pedagogia (Fundação Educacional Hansa Hammonia, 2006), complementação em Educação Infantil, Supervisão e Orientação Pedagógica (UNIASSELVI, 2009); graduação em Artes Visuais (Centro Universitário Leonardo da Vinci/2015). Mestre em Educação (Universidade Regional de Blumenau, 2019). Licenciada em Educação Física (UNIASSELVI, 2021). Tem experiência como docente na Educação Básica desde o ano de 2000 e como tutora em EAD desde 2015. Trabalhou como Coordenadora Educacional da Educação Infantil e ficou efetiva por 13 anos na rede pública de Presidente Getúlio, SC. Sócia e professora de dança na empresa Águia Dourada em Presidente Getúlio, SC. Possui cursos na área educacional e da dança tanto em âmbito nacional como internacional. Coordenou eventos culturais. Apresentou palestras e oficinas educacionais na cidade de Presidente Getúlio e Natal, RN. Atualmente é servidora efetiva do Estado de Santa Catarina no cargo de Assistente de Educação, em Presidente Getúlio.

Referências

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari Knop. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto Codex, Portugal: Porto Editora: 1994.

BRASIL, 1996. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, nº 248, 23/12/1996.

BRASIL. Lei nº 13.415/2017, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação na organização do Ensino Médio. Disponível em: https://www.sed.sc.gov.br/servicos/etapas-e-modalidades-de-ensino/29-modalidade-de-ensino/31310-novo-ensino-medio. Acesso em: 23 jul. 2022.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – Documento Introdutório. Versão Preliminar. Brasília: MEC/SEF, novembro, 1995.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: notas sobre uma teoria

performativa de assembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

DULLIUS, Marion Faedrich. A dança no esporte. Coleção Bailarina – vol. 2. Porto Alegre: AGE, 2000.

FOUCAULT, Michel. Em Defesa da Sociedade: curso no Collége de France (1975-1976). São Paulo: WMF Martins Fontes, [1976] 2010.

FOUCAULT, Michel. Ética, Sexualidade, Política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. Coleção Ditos & Escritos, v. 5.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: A Vontade de Saber. Rio de Janeiro: Graal,1988.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 1968; Paz e Terra, 1974.

HANNA, Judith Lynner. Dança, Sexo e Gênero – Signos de identidade, dominação, desafio e desejo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

KUENZER, Acacia Zeneida. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educação e sociedade, v. 11, n. 70, p. 15-39, abr. 2000.

MARQUES, Isabel A. Ensino de dança hoje: textos e contextos. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SANTA CATARINA, 2020. Currículo Base do Ensino Médio do Território Catarinense. Disponível em: http://www.cee.sc.gov.br/index.php/curriculo-base-do-territorio-catarinense. Acesso em: 01 ago. 2022.

SANTA CATARINA. Coordenadorias Regionais de Educação. Disponível em: https://www.sed.sc.gov.br/secretaria/coordenadorias-regionais. Acesso em: 29 jul. 2022.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos da docência como profissão de interações humanas. 9. ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2014.

VARGAS, Lisete Arnizaut Machado de. Escola em dança: movimento, expressão e arte. Porto Alegre: Mediação, 2007.

Publicado

01-12-2022

Como Citar

BITTENCOURT, T. P.; KRAEMER, C.; MENEGHELLI, P. R. D. Ensino de dança na escola: reforma do ensino médio, disciplinamento e biopolítica. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 9, n. 2, 2022. DOI: 10.36025/arj.v9i2.28861. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/28861. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: Dramaturgias e Epistemologias Insurgentes na Dança